FéMenina

Um ministério com palavras…

Há mais de 10 anos atrás, a JUFEMI (Jun­ta fem­i­ni­na mis­sionária) esta­va inter­es­sa­da em cri­ar um link mais próx­i­mo com as meni­nas que fazem parte do seu cuida­do e, des­ta for­ma, eu Mar­t­in­ha acabei entran­do neste min­istério para aju­dar nes­ta aprox­i­mação. Naque­la época, min­ha que­ria ami­ga Ana Cláu­dia Christal servia neste min­istério e era min­ha grande incentivadora. 

Neste perío­do eu esta­va solteira, era mis­sionária em Flo­ri­anópo­lis e assim como Deus movia o coração das mul­heres mais vel­has de nos­sa Con­venção Batista Pio­neira, apon­tan­do que pre­cis­ari­am inve­stir mais nas vidas das adoles e jovens, Ele esta­va falan­do ao meu coração con­fu­so

Eu, em oração relu­ta­va sobre o fato de ain­da estar solteira, de ver min­has ami­gas casan­do, ten­do fil­hos e sentin­do que esta real­i­dade esta­va muito dis­tante de mim. Até o momen­to em que Deus min­istrou em meu coração através da vida de Ester. Havia um propósi­to para Ester estar naque­la condição que esta­va, havia os porquês divi­nos descon­heci­dos por ela e, a ela, cabia servir as pes­soas a sua vol­ta. Deus não esta­va erra­do no tem­po de Ester: “Quem sabe se não foi para um momen­to como este que você chegou à posição de rain­ha” (Ester 4.14). Meus joel­hos doer­am naque­la man­hã, meu sofá ficou enchar­ca­do, min­ha face incha­da, mas eu enten­di. Ah, se enten­di. Ao invés de eu recla­mar do meu esta­do solitário e olhar a vida das min­has ami­gas casadas com inve­ja camu­fla­da de admi­ração eu dev­e­ria servir e aju­dar as meni­nas que pas­savam pelas mes­mas lutas que eu esta­va pas­san­do. Não era tem­po de chorar soz­in­ha, mas de apoiar-nos e cuidar­mos dos nos­sos corações, pois servíamos o mes­mo Deus de Ester, aque­le que tem um propósi­to para cada fase de nos­sa vida

Foi assim que Deus preparou meu coração para o FéMenina. 

A par­tir daí tudo foi toman­do for­ma e um dia, surgiu a ideia de começar­mos a cri­ar con­teú­dos na inter­net para as meni­nas da nos­sa Con­venção e surgiu a ideia do blog FéMeni­na.  Foi mais ou menos assim: um grupo de meni­nas reunidas no quar­to da Gabi, uma mis­sionária doid­in­ha, adoles diver­tidas, uma design­er e tcharam: foi inven­ta­do o nome que achá­va­mos que com­bi­na­va com a gente: FéMeni­na. Sim, muito antes da Hele­na Tanure e out­ros gru­pos uti­lizarem em suas con­fer­ên­cias e pro­gra­mações, nós usamos este nomez­in­ho legal e até temos seu reg­istro para nos­sa pro­teção de propósito. 

Eu, Mar­ta, leiga ou mel­hor, leiguís­si­ma, pas­sei a ser uma cri­ado­ra de con­teú­dos e agru­pado­ra da galera. Quem diria? Eu, não! Nos­sa ami­ga design­er (Delize, famosa Dedê da FBP) criou o logo, o site do pro­je­to e eu e as out­ras meni­nas começamos a nos­sa diver­ti­da aven­tu­ra de escr­ev­er e garim­par ideias interessantes. 

Ami­gas de todos os lados nos aju­daram, jor­nal­is­tas, pro­fes, estu­dantes de difer­entes class­es e áreas. Nos acam­pa­men­tos, em con­ver­sas com as meni­nas, acon­te­cia o infor­mal recru­ta­men­to das escritoras. E muitas, sem práti­ca, mas com vida com Deus e cria­tivi­dade, começaram a aven­tu­rar-se conosco. 

Muitas ideias não foram tão legais, e isso faz parte de quem se arrisca em faz­er qual­quer coisa, mas out­ras chama­ram a atenção das meni­nas e der­am muito cer­to. E, para te con­tex­tu­alizar, há 10 anos atrás prati­ca­mente não exis­ti­am blogs e sites brasileiros com con­teú­dos legais cristãos para as meni­nas, e, dessa for­ma, nós vimos isso como uma pos­si­bil­i­dade de cri­ar­mos con­teú­dos leves que con­tribuíssem para o cresci­men­to espir­i­tu­al das meni­nas, mas aci­ma de tudo nos aprox­i­masse do propósi­to de amar e servir a Deus com ale­gria

E o pro­je­to do blog FéMeni­na acabou ten­do pro­porções difer­entes e muito maiores do que imag­i­namos, acabou toman­do a con­fig­u­ração de min­istério local de dis­cip­u­la­do com meni­nas e até Con­gres­sos e com o tem­po muitas meni­nas acabaram se desco­brindo como escritoras e pas­saram a coop­er­ar não ape­nas no FéMeni­na na área da escri­ta, mas em out­ras orga­ni­za­ções. Várias meni­nas pas­saram a apren­der a mex­er nas artes dig­i­tais e fiz­er­am parte do nos­so time, lançamos um livro e ago­ra já esta­mos orga­ni­zan­do o próximo. 

Se eu for con­tar nos dedos, não faço ideia de quan­tas pes­soas já nos aju­daram neste Min­istério, muitas e muitas. Algu­mas por pouco tem­po, out­ras por muito tem­po, né Fabi Sil­va? ❤️ Mas o que eu pos­so diz­er é que o FéMeni­na fez e faz parte de muitas vidas e talvez as pes­soas que mais são abençoadas por Ele são aque­las que fazem parte dos basti­dores, que acabam dividin­do a vida e crescen­do no fru­ti­ficar dos dons espir­i­tu­ais em conjunto. 

Hoje, esta­mos acom­pan­han­do a real­i­dade atu­al e não temos mais tan­tos lon­gos tex­tos em nos­so blog, mas temos con­teú­dos sem­anais diver­sos em out­ras mídias para con­tin­uar avançan­do no nos­so propósi­to que é cuidar do coração da jovem e da ado­les­cente solteira. ❤️ Por isso per­gun­to: como você está? Tem encon­tra­do ale­grias e forças para viv­er da mel­hor for­ma a fase que está pas­san­do? Min­ha oração é que o FéMeni­na de um jeito ou de out­ro ajude no seu cresci­men­to e fortalecimento. 

E se você é nova por aqui, vou te apre­sen­tar meu tradi­cional tchauz­in­ho para te deixar super à von­tade em nos­sa casa: Bei­jokas da Mar­t­in­ha e até logo se Deus per­mi­tir. ❤️ 

Postagens Recentes

Regue seus relacionamentos com Jesus!

Hon­ra aos pais: Assun­to com­pli­ca­do, não?!  Para começar, quero citar um dos ver­sícu­los mais con­heci­dos quan­do falam­os sobre hon­ra (prin­ci­pal­mente aos pais): “Hon­ra teu pai e tua mãe,

Leia mais »

Panela ou frigideira?

Você já pen­sou na difer­ença de uma pan­ela e uma frigideira? O que uma tem e a out­ra não, pelo menos na maio­r­ia das vezes,

Leia mais »

Categorias