FéMenina

Rachaduras escondidas

Rachaduras escon­di­das

Hoje quer­e­mos con­tin­uar falan­do sobre uma parte muito impor­tante que deve­mos obser­var no outono.

🍁🌞

Na natureza, as estações cri­adas por Deus têm seus propósi­tos, elas servem para preparar o solo, dar flo­res e fru­tos. A repro­dução e amadurec­i­men­to de cada espé­cie depende das estações. Em nos­sas vidas, as estações têm um papel igual­mente impor­tante, des­de que este­jamos aten­tas e dis­postas a faz­er aqui­lo que pre­cisa ser feito den­tro de cada estação que vivenciarmos. 

 

➡ Quero falar dire­ta­mente com você sobre a questão das fis­sur­as, trin­cas e rachaduras. Você já perce­beu que com o frio do out­ono algu­mas vezes as nos­sas mãos e lábios dão aque­la “rachad­in­ha”? E nos­sa pele resseca?

 

Pen­san­do nis­so, quero com­par­til­har algo pes­soal e que me fez e faz refle­tir até hoje. No final de 2019 meu esposo e eu começamos um proces­so para com­prar uma casa após orar­mos e a vis­i­tar­mos muitas vezes. No dia em que nos mudamos, e nos próx­i­mos dias e meses seguintes, obser­va­mos diver­sas fis­sur­as, trin­cas e rachaduras pela casa inteira, em todos os cômo­d­os e em diver­sos pon­tos difer­entes. Rachaduras de vários taman­hos e for­matos. Coisas que não estavam expostas em todas as vezes que visi­ta­mos. Foi um perío­do muito difí­cil para nós. E tem dias que ain­da é. 

Essas palavras “FISSURA, TRINCA E RACHADURA”, ficaram meses ecoan­do em meu coração, até que Deus foi me falan­do sobre isso e suas impli­cações em nos­sas vidas. 

 

Você sabe o que é são rachaduras, trin­cas ou fissuras?🤔

Ou quais são as suas causas?🤔

Pesquisan­do sobre isso, desco­bri as seguintes definições técnicas:

 

“Ape­sar da nomen­clatu­ra dis­tin­ta, em lin­has gerais as fis­sur­as, trin­cas e rachaduras são a mes­ma coisa: aber­turas alon­gadas que se esten­dem pelas pare­des ou partes estru­tu­rais da con­strução, como vigas, pilares e lajes. O que as difere é o taman­ho e o “tem­po de vida” des­ta abertura”.

Qual­quer que seja sua dimen­são, a ocor­rên­cia de uma aber­tu­ra é uma anor­mal­i­dade da edi­fi­cação. Aparente­mente não tão prob­lemáti­cas, as fis­sur­as são, porém, um pon­to vul­neráv­el. Dessa maneira, uma peque­na fen­da, por exem­p­lo, pode oca­sion­ar infil­trações, bol­has na pin­tu­ra e prob­le­mas no revestimento.

 

➡ Algu­mas causas que ger­am fis­sur­as, trin­cas e rachaduras:

  • Com­pro­me­ti­men­to estru­tur­al: quan­do a aco­modação do solo não ocorre de for­ma uni­forme, e umas áreas sedem mais que outras.
  • Sobre­car­ga da fun­dação: Quan­do a fun­dação é cal­cu­la­da para rece­ber o peso de uma casa e depois é con­struí­do out­ro pavi­men­to jun­to ou em cima.
  • Vibração ou trep­i­dação: o tráfego inten­so de veícu­los nas ruas e a  prox­im­i­dade do imóv­el  prin­ci­pal­mente na parte de fun­dação, causam vibrações ou trep­i­dações con­tínuas que ger­am trincas.

🤔O que isso tem a ver comi­go e com o Outono?🤔

Exata­mente nesse pon­to que quero chegar, será que eu e você não esta­mos como uma “casa” que vem sofren­do os efeitos do out­ono ano após ano, e isso tem ger­a­do em nós algu­mas fis­sur­as, trin­cas ou rachaduras? Será que o resse­ca­men­to, as per­das, os ven­tos e o frio que o out­ono traz não estão nos fazen­do dar essas “aber­turas” para coisas que Deus não quer não aprova? 

O que quero falar dire­ta­mente com você e de for­ma inten­cional é sobre a real­i­dade das fis­sur­as e trin­cas que temos em nos­so coração. Elas refletem dire­ta­mente em nos­so com­por­ta­men­to e rela­ciona­men­tos, e cada vez que ten­ta­mos escon­der, fugir ou fin­gir que não sabe­mos de sua existên­cia, acabamos dan­do bre­chas para que essas fis­sur­as e trin­cas se tornem rachaduras, ou seja, que se abram ain­da mais e causem um estra­go pro­fun­do no solo do nos­so coração. 

Quan­do começamos a inves­ti­gar a fun­do ess­es prob­le­mas em nos­sa casa, percebe­mos que os mes­mos havi­am sido mas­cara­dos e dis­farça­dos com mas­sa cor­ri­da e tin­ta. Então, tive­mos que mex­er em alguns dess­es pon­tos, pois havi­am riscos e infil­tração de água da chu­va, prej­u­di­can­do ain­da mais o que já esta­va ruim e o restante do imóvel.

 

Nes­sa “mex­i­da” que damos na casa, foi pre­ciso um tra­bal­ho inten­so, doloroso e barul­hen­to. Tive­mos que lit­eral­mente arran­car a “maquiagem” usa­da para escon­der os prob­le­mas, e isso resul­tou em arran­car a tin­ta, a mas­sa cor­ri­da, o con­cre­to, e até mes­mo cavar um pouco mais fun­do para poder con­ser­tar o prob­le­ma na sua origem. 

 

Talvez min­ha queri­da, eu e você já tive­mos algum out­ono assim como a real­i­dade da min­ha casa. Às vezes nós, as “pro­pri­etárias”, de nos­sas casas (vidas), sabe­mos onde estão as trin­cas, fis­sur­as e rachaduras den­tro de nós, mas faze­mos de tudo para “mascarar/maquiar/esconder” para que aque­les a quem quer­e­mos “vender” e ofer­e­cer uma “casa” bem lin­da, arru­ma­da e em per­feitas condições de uso não perce­bam o quan­to não esta­mos bem em nos­sa estru­tu­ra (inte­ri­or). 

Mas na ver­dade esta­mos cheias de “mas­sa cor­ri­da e tin­ta”, bus­can­do escon­der nos­sas rachaduras para não pre­cis­ar­mos admi­tir para nós mes­mas que pre­cisamos de aju­da, e que pre­cisamos sim, deixar Deus mex­er nes­sas partes que ten­ta­mos maquiar de todas as for­mas, e que estão se tor­nan­do maiores e mais pro­fun­das den­tro de nós a cada dia e exper­iên­cias que passamos.

 

“Se não tratadas, as trin­cas, fis­sur­as e rachaduras podem com­pro­m­e­ter a estru­tu­ra do imóv­el, com riscos até de desaba­men­tos par­ci­ais ou colap­so da con­strução, em casos mais graves”.

 “Às vezes uma aber­tu­ra pequenin­in­ha é mais perigosa do que uma brecha”.

 

Queri­das meni­nas de fé, se den­tro da engen­haria e arquite­tu­ra ess­es pon­tos são fun­da­men­tais a serem obser­va­dos para uma base sól­i­da e uma estru­tu­ra forte, saudáv­el e cor­re­ta em uma con­strução, quan­to mais nas nos­sas vidas e corações que tam­bém esta­mos con­stru­in­do! Deve­mos nos aten­tar quan­to às brechas/fissuras/trincas ou rachaduras que vamos acu­mu­lan­do ao lon­go da vida e das cir­cun­stân­cias mais vari­adas que passamos.

Lem­bro-me do tex­to de Jere­mias 18 onde o vaso que está sendo cri­a­do se que­bra nas mãos do Oleiro e o mes­mo faz dele um vaso novo. Todas somos vasos que nos­so Deus criou. Ain­da que algu­mas de nós este­jam “trin­cadas” pelo frio do out­ono, o impor­tante é que este­jamos nas MÃOS DO OLEIRO, pois Somente Ele, o nos­so Deus, pode mex­er em nos­sas rachaduras a fun­do, e faz­er ali um vaso novo, uma casa nova, bem estru­tu­ra­da e fir­ma­da na rocha que é Jesus. 

Há uma frase sobre ter­re­mo­tos que apren­di há alguns anos no Rio de Janeiro com um casal de mis­sionários muito espe­cial (Não pos­so citar os nomes, pois são mis­sionários de área de risco da JMM). Sem­pre guardei essa frase para usá-la em algum momen­to espe­cial, e creio que esse é ago­ra. Numa out­ra opor­tu­nidade ain­da quero com­par­til­har mais sobre isso, mas a frase é a seguinte: “O ter­re­mo­to é um ajuste inter­no que gera um caos exter­no” (CR). 

Se pre­ciso for, que deix­e­mos o Sen­hor faz­er um “ter­re­mo­to” espir­i­tu­al em nos­so Out­ono. Lem­bre-se, Deus con­hece cada fibra do nos­so inte­ri­or e Ele quer nos tratar no pro­fun­do, curar nos­so “solo” para que sejamos árvores de raiz firme, que dão fru­tos cer­tos na estação cer­ta e para a hon­ra e glória de Deus Pai. 

Um abraço carinhoso,

Michelle Kuhn

 

Refer­ên­cias:

https://www.gazetadopovo.com.br/haus/arquitetura/trincas-fissuras-e-rachaduras-saiba-como-identificar-e-resolver-o-problema/

Rachaduras, Trin­cas e Fis­sur­as : Como Iden­ti­ficar os Riscos


https://www.arqweb.com.br/portal/noticia/165/trincas-fissuras-e-rachaduras.html

Postagens Recentes

Alegrem-se (parte 1)

“Ale­­grem-se sem­pre no Sen­hor. Nova­mente direi: Ale­­grem-se!” (Fil­ipens­es 4.4 — NVI) Oi, guria!! Como você está? Aqui é a Mari e a Ked, esta­mos aqui pra

Leia mais »

Nem Frio e Nem Quente

Heeey guria, tudo bem?  Depois de pas­sar pelo calor do verão, esta­mos con­tem­p­lan­do a estação do out­ono por aqui. Con­fes­so que, como a cringe que sou, a

Leia mais »

Categorias