FéMenina

Quando seu coração está em caquinhos

Quando seu coração está em caquinhos, o que fazer?

Estar apaixon­a­da é um dos momen­tos em que os sor­risos são sufi­cientes para ilu­mi­nar o mun­do, somos tomadas por um bom humor con­ta­giante, como se estivésse­mos viven­cian­do uma man­hã de Nár­nia infini­ta. Mas, por out­ro lado, estar apaixon­a­da tam­bém é um dos momen­tos que exigem maior atenção de nos­sa parte, porque os sen­ti­men­tos cos­tu­mam a embar­al­har os nos­sos pen­sa­men­tos, e quan­do isso acon­tece, as con­se­quên­cias podem ser desas­trosas. E é ness­es momen­tos que muitas de nós come­te­mos erros que poderão mar­car neg­a­ti­va­mente o resto das nos­sas vidas.

Ah! E quan­do os dias pas­sam e as coisas começam a mudar? De repente o meni­no já não te tra­ta mais do mes­mo jeito, e um belo dia, você recebe aque­las palavras “Olha só, não vai dar para con­tin­uar, pois…” Aque­las palavras deix­am seu coração em caquin­hos, e o seu mun­do parece desmoronar. Ele mal imag­i­na isso. Você pen­sa: “Mas nós tín­hamos tan­tos planos jun­tos…”, “eu sem­pre dese­jei namorar uma vez só”, “eu orei tan­to por você”, e a real­i­dade gri­ta para você: “Já era. Ele não quer mais namorar você”.

Hey meni­na, prepara­da para ler sobre esse tema tão desafi­ador? Então, faça seu café ou chá, respire fun­do e bora lá.

De alguém que teve o coração com buraquin­hos para alguém com o coração em caquin­hos! 

Antes de tudo, ape­sar de ser algo difí­cil e dolori­do de viv­er, enten­do que pas­sar por um “tér­mi­no” nos traz muitas lições, e enten­do que estas servem para aju­dar out­ras pes­soas que pas­sam pela mes­ma situ­ação, e cá estou eu, com mui­ta oração, escreven­do esse tex­tin­ho com o intu­ito de aju­dar alguém que está com o coração em caquinhos.

Mes­mo que o namoro seja recente ou de anos, a hora que um rela­ciona­men­to ter­mi­na e a “tal con­ver­sa” acon­tece, o coração dói, e como dói. Con­cor­do que é um momen­to muito dolori­do, e algu­mas vezes, bas­tante sofri­do (quem me con­hece, sabe o quan­to eu sofri rsrs’). A sen­sação é de que o coração está par­tido em mil­hares de pedaços. Porém, há meni­nas que reagem de for­ma mais tran­quila, sem ficar muito abal­a­da, e rap­i­da­mente partem para out­ro rela­ciona­men­to, a fim de ten­tar esque­cer o “ex”, ou como diria min­ha mel­hor ami­ga: “fale­ci­do” (risos). Mas há out­ras meni­nas (tipo eu) que entram em uma fase de recol­hi­men­to, reflexão e tris­teza. Muitas chegam a achar que nun­ca mais irão gostar de alguém novamente.

Cal­ma! Sei que esse proces­so é muito sofri­do, mas pos­so afir­mar que pas­sa. Por mais forte que seja a dor e a decepção, Deus cura! Sei que é muito triste pas­sar por um rompi­men­to, várias per­gun­tas que nos lev­am a ten­tar enten­der o que deu de erra­do (ain­da mais quan­do for moti­vo de traição). Só Deus e o tem­po para curar a feri­da.

Sim, todas nós temos o dire­ito de chorar, de ficar indig­na­da, mas é muito impor­tante enten­der que não podemos nos deixar entre­gar para essa situ­ação. Há uma citação do livro “Esper­ança para o coração feri­do” que diz:

Seguir em frente, em meio ao luto, sofri­men­to e per­da exige que a nos­sa fé e amor estão em seu nív­el mais alto. Jesus mar­chou em frente, na batal­ha, cheio de amor e fé. Frus­tran­do os desígnios de dia­bo, que que­ria que a morte fos­se a últi­ma palavra no cam­po de batal­ha em prol das alas humanas, Jesus vira o jogo. Ele trans­for­ma o seu sofri­men­to e morte no próprio meio de vida para todos aque­les que lhe entregam a vida. Em meio a nos­sa dor, mágoa e per­das, Jesus chega até nós (às vezes, acor­dan­do-nos!) com a ordem de irmos em frente, avançan­do com Ele pelas batal­has que ain­da temos de enfrentar um mun­do afligi­do pela dor e sofri­men­to. Não seguimos soz­in­hos. Ele já pas­sou por esse cam­in­ho antes de nós, e ago­ra irá em frente conosco.

Sim! Deus é a nos­sa esper­ança! Min­ha mis­são hoje é essa, alertá-la primeira­mente de que o sofri­men­to que você está pas­san­do hoje, vai pas­sar! Você não vai ficar a vida inteira choran­do pela per­da. Em segun­do lugar, estou escreven­do para ten­tar te enco­ra­jar a lev­an­tar a cabeça e enx­u­gar as lágri­mas. Não quero que você pense que estou sendo insen­sív­el, não, muito pelo con­trário, quero aju­dar você a sor­rir nova­mente. Mas, aprovei­tan­do, quero deixar algu­mas dicas para super­ar esse momen­to, que fun­cionaram comi­go hehe.

A primeira dica é: Enten­der que ter­mi­nou! Sim, é triste, mas é real. O rela­ciona­men­to chegou ao fim! Vale chorar, ficar na cama, não quer­er sair, não quer­er faz­er nada, mas só por um momen­to. Não deixe isso virar roti­na! Além dis­so, não pense que o mun­do acabou ou que nun­ca mais vai encon­trar alguém, ou que ninguém a quer. Não esqueça de Jesus pagou um alto preço na cruz por amor à você, então, enten­da de que Deus te quer inteira, pois Ele sim, jamais vai te aban­donar. Cer­ta vez uma ami­ga falou para mim: “É muito mel­hor ser ama­da e cuida­da por Jesus”.  Além dis­so, agarre-se a ver­dade de que Deus con­tin­ua sendo bom, ape­sar das cir­cun­stân­cias. Ele nos ama e quer que rece­bamos o mel­hor dEle (Rm. 8.32).

A segun­da dica é: Aproveite para faz­er coisas difer­entes. Sim, para hon­ra e glória de Deus, aproveite para faz­er as coisas que você deixou de faz­er por estar namoran­do ou porque você dizia não ter tem­po. Aproveite o tem­po de solteira e divir­ta-se (com sabedo­ria). Ahh! Faça uma leitu­ra! Aproveite para ler o livro “men­ti­ras em que as garo­tas acred­i­tam e a ver­dade que as lib­er­ta” escrito pela Nan­cy Leigh Demoss.

A ter­ceira dica: Decrete abstinên­cia de reen­con­tros. Par­tic­u­lar­mente acha­va isso uma bobagem, mas faz sen­ti­do. Segun­do alguns autores, você pre­cisa ficar, pelo menos, 60 dias sem falar com o “ex” para recu­per­ar seu emo­cional. E sabe qual o argu­men­to deles? Você não voltaria para o anti­go emprego do qual tivesse sido demi­ti­da só para se sen­tir uma incom­pe­tente, né?! Esse negó­cio de ficar “ami­ga” do “ex” leva um tem­po (quan­do acon­tece). Claro, não vai virar inimi­ga, mas, sossegue, e pre­fi­ra faz­er novas amizades do que pas­sar tem­po cor­ren­do atrás do “ex”. Vale ressaltar que, essa não é a hora de você procu­rar out­ro namora­do, pois não será amor, será carên­cia que gera imprudên­cia!

A quar­ta dica: Pense antes de atacar a geladeira. Não é porque você está triste que pre­cisa atacar a geladeira e com­er brigadeiro de col­her todos os dias. Pre­fi­ra faz­er uma cam­in­ha­da, med­i­tar na Palavra de Deus, con­ver­sar com uma ami­ga, e esqueça o chocolate.

A quin­ta dica: Procure aju­da! É isso mes­mo. Pro­cure uma ami­ga, uma irmã mais vel­ha em Cristo, e depen­den­do, até mes­mo uma aju­da profis­sion­al para poder desaba­far e ser dis­cip­u­la­da. Nas min­has piores fas­es, Deus envi­ou pes­soas chaves que me acom­pan­haram nesse proces­so, e con­fes­so que elas foram muito impor­tantes para dar aque­le “empurrão” para sair da cama.

A sex­ta dica: Assun­to encer­ra­do. Você já pas­sou por todas as eta­pas. Você já chorou, já falou, já ata­cou a geladeira, mas em algum momen­to você pre­cisa parar de se lamen­tar e ficar choramin­gan­do pelos can­tos. A ver­dade é que aos poucos muitas pes­soas começam a se afas­tar, pois não con­seguem mais ouvir você falan­do sobre esse assun­to. Lem­bre-se do que a Palavra de Deus ensi­na: ninguém põe remen­do de pano novo em vesti­do vel­ho […] nem se põe vin­ho novo em odres vel­hos […]. Mas põe-se vin­ho novo em odres novos, e ambos se con­ser­vam (Mt 9.16,17).

A séti­ma dica é: Per­doe! O que? Per­doar? Está fican­do malu­ca, só pode! Eu real­mente não sei o tipo de decepção que você pas­sou, mas inde­pen­dente das coisas ter­ríveis que lhe acon­te­ce­r­am, é necessário per­doar o seu ex-namora­do. O perdão é um princí­pio cristão, que não está dire­ta­mente lig­a­do a dar uma nova chance, mas um pré-req­ui­si­to para que ten­hamos paz, con­so­lo, ale­gria etc. Acred­ite! A fal­ta de perdão irá afe­tar somente à você! Per­doar é sair do “pre­juí­zo”. Não temos a capaci­dade de ter “amnésia”, mas podemos optar em parar de ficar relem­bran­do e entris­te­cen­do-nos com o que acon­te­ceu. Caso você ten­ha deci­di­do per­doar, mas está ten­do difi­cul­dades com isso, coloque essa causa nas mãos de Deus, para que Ele te ajude a que­brar essa bar­reira. Não se esqueça que, você tam­bém é per­doa­da por Jesus Cristo (Mc 11.25).

A últi­ma dica e a mais impor­tante: Se aprox­ime ain­da mais de Deus. Exata­mente isso. Nesse momen­to de dor, chegue diante do Pai e fale para Ele o quan­to você está machu­ca­da, e fale com toda sin­ceri­dade. Ele ama ouvir você! Os meus mel­hores momen­tos com Deus foram quan­do eu me sen­tia abraça­da por Ele, sem con­seguir falar nen­hu­ma palavra, com meu ros­to cober­to de lágri­mas. Ele faz infini­ta­mente mais do que pen­samos e imag­i­namos. Se você pre­cisou pas­sar por isso, é porque há um propósi­to (Rm 8.28)! Talvez, Deus per­mi­tiu você pas­sar por isso, para voltar ao primeiro amor, para dar a pri­or­i­dade para Ele! Não troque o essen­cial por um garo­to.

Enfim, Deus tem uma espe­cial­i­dade incrív­el em nos sur­preen­der, creia nis­so! Você não perdeu sua úni­ca chance de ser feliz, lem­bre-se de que Deus tem planos mel­hores que os nos­sos! Oro para que Deus “junte os pedaços” do seu coração, e aproveite esse momen­to para deixar Deus moldar o seu coração. Em suma, busque a Deus com todo seu coração, alma, forças e entendi­men­to! Ele cer­ta­mente trans­for­mará teu coração em caquin­hos em um coração restau­ra­do e novo.

Deus é e sem­pre será sufi­ciente, e repi­to o con­sel­ho da min­ha ami­ga, “é muito mel­hor ser ama­da e cuida­da por Jesus”. 🙂

P.s.: Essas dicas ain­da valem para mim, esta­mos jun­tas neste processo!

Bei­jin­hos,

Jaque­line Bresch

Postagens Recentes

Dia de render graças

Na data de hoje, em alguns país­es do mun­do, cel­e­bra-se o Dia de Ação de Graças. Meu intu­ito aqui não é traz­er aspec­tos históri­cos, culturais,

Leia mais »

Frustrações

Quan­do somos cri­anças, dese­jamos muitas coisas. Quer­e­mos aque­le brin­que­do que é lança­men­to, uma roupa igual aque­la que a mel­hor ami­ga tem, a nova sandália ou

Leia mais »

Viajando juntas

Esta sem­ana nós temos fal­a­do sobre amizades aqui no fé! Ami­gas que oram jun­tas, que cam­in­ham jun­tas… e hoje vim falar um pouquin­ho sobre amigas

Leia mais »

Investindo em Boas Amizades

Des­de a esco­la à igre­ja e ativi­dades extra, é prováv­el que você este­ja rodea­da de ami­gas. Algu­mas que você con­hece há muito tem­po, out­ras nem

Leia mais »

Desconstruindo um TABU

O que é a vida ide­al para a maio­r­ia de nós?🤔 Talvez seja con­tin­uar sendo chama­da de prince­sa mes­mo após adul­ta, encon­trar o seu príncipe do

Leia mais »

Categorias