FéMenina

Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve?

     Temos repeti­do inúmeras vezes nos­so hino nacional, na certeza de que é algo que vem lá de den­tro do peito. E para algu­mas pes­soas, de fato é isso mes­mo. Uma paixão desen­f­rea­da que dom­i­na a maneira com que eu vivo e me rela­ciono com as pes­soas. Ape­sar da músi­ca tam­bém ressaltar nos­sas qual­i­dades, nos­sas belezas, nos­sa ter­ra e nos­so povo, gostaria de pen­sar­mos jun­tas sobre essa tal pátria idolatrada.

     Como cristãs, deve­mos agir dessa maneira?

     Sem­pre que falam­os sobre idol­a­tria, já respon­demos. Claro que não, Deus sem­pre em primeiro lugar! Entre­tan­to, não é o que temos pres­en­ci­a­do nos nos­sos gru­pos, nos per­fis e em tan­tas falas por aí. Acred­ite se quis­er, sem­ana pas­sa­da em Goiás teve até um irmão da igre­ja que lev­ou um tiro de out­ro por causa de dis­cussão políti­ca na igre­ja! Veja só aonde cheg­amos. E, pos­sivel­mente, não pare por aí.

     Pausa dramáti­ca e bem impor­tante: Res­pi­ra fun­do. Não quer­e­mos falar sobre lado nen­hum por aqui. Acred­i­ta­mos que o voto é essen­cial para exercer­mos a cidada­nia, e que, como cristãs, deve­mos votar e fazê-lo com mui­ta sabedo­ria, afi­nal, pre­cisamos ser boas “mor­do­mas”. Sendo assim, con­tin­ue essa leitu­ra em amor, porque, afi­nal, o que nos une, é muito maior do que aqui­lo que nos separa!

     Assim, continuamos..

     Tudo aqui­lo que tira Deus do seu dev­i­do lugar é idolatria. 

     E, segun­do Tim­o­thy Keller, “nos­so coração é uma fábri­ca de ídolos”. 

     Temos deposi­ta­do nos­sa esper­ança no gov­er­no humano. Colo­camos nos­sas expec­ta­ti­vas no dese­jo de uma “nação san­ta” que virá através do seu leg­is­lador. Deixa eu te con­tar: isso jamais vai acon­te­cer. Somente Jesus pode traz­er sal­vação e a redenção que tan­to pre­cisamos. Somente o Espíri­to San­to é capaz de trans­for­mar o coração. Somente Deus pode nos lib­er­tar da idol­a­tria e nos garan­tir a vida que fomos cri­a­dos para viver.

     No anti­go tes­ta­men­to, Deus havia escol­hi­do uma nação. Ele sep­a­rou e abençoou Israel. Quan­do Jesus der­ra­ma seu sangue na cruz, não existe mais um povo escol­hi­do. Ele sal­va povos, lín­guas e nações. Através de Jesus, não existe mais um úni­co povo que recebe a benção de Deus, mas todo aque­le que o recon­hece como Cristo se tor­na embaix­ador do Reino. O Reino não será man­i­festo através de gov­er­nantes ou leis, mas sim através de um coração novo que procla­ma o Rei dos Reis! 

     Se o evan­gel­ho não trans­for­mar o coração, todas as boas obras estão mor­tas. Isso é Lei, e a Lei não salva.

     Res­pi­ra fun­do de novo, se pre­cis­ar, releia esse últi­mo pará­grafo. A cen­tral­i­dade do evan­gel­ho deve estar em todas as coisas que faze­mos, inclu­sive ao con­ver­sar­mos sobre esse assunto.

     É claro que dese­jamos que nos­so povo con­heça ver­dadeira­mente a Cristo e se ren­da diante da cruz; é claro que dese­jamos que todos pos­sam ter aces­so ao con­hec­i­men­to da Palavra de Deus. Mas pre­cisamos estar aten­tos: isso não acon­te­cerá por deter­mi­nação do Esta­do. Tam­bém não pre­cisamos dele para cumprir a nos­sa missão.

     Out­ro aspec­to muito impor­tante que não podemos deixar de lado é sobre o caráter de Deus. Ele está no con­t­role e con­tin­ua sendo sober­a­no, mes­mo que o meu (e o seu) can­dida­to não seja eleito. Obvi­a­mente, dese­jamos um país estáv­el, seguro e somos respon­sáveis pelo resul­ta­do das urnas, por isso pre­cisamos de um coração sen­sív­el à von­tade de Deus. Entre­tan­to, deve­mos estar com nos­sos corações pron­tos para rece­ber um “não” de Deus. Ele é, em todo o tem­po, Deus.

     “Lem­bre a todos que se sujeit­em aos gov­er­nantes e às autori­dades, sejam obe­di­entes, este­jam sem­pre pron­tos a faz­er tudo o que é bom, não calu­niem a ninguém, sejam pací­fi­cos e amáveis e mostrem sem­pre ver­dadeira man­sid­ão para com todos os home­ns.” Tito 3:1,2

     Como temos tra­bal­ha­do nes­sas sem­anas, somos chama­dos a hon­rar, sejam nos­sos gov­er­nantes, pais ou pro­fes­sores, e a nos sujeitar­mos, recon­hecen­do que são líderes escol­hi­dos por Deus.

     Sendo assim, tra­go algu­mas dicas práti­cas para os próx­i­mos dias:

  • Apren­da a ouvir;
  • Per­se­vere na oração;
  • Leia (ain­da mais) a bíblia;
  • No fim, busque sem­pre a unidade do corpo;
  • Sujeite-se às autoridades.

     Vive­mos em um mun­do caí­do e temos deposi­ta­do nos­sa esper­ança nas pes­soas erradas. Nos­sa esper­ança deve estar em Jesus, que é per­feita­mente jus­to e fiel. Somente Ele pode traz­er a redenção que toda a Cri­ação aguar­da (Rm 8. 19–23). 

     Assim, enquan­to aguardamos sua vol­ta, somos chama­dos a procla­mar a sua glória, sendo sal e luz nes­sa ter­ra (Mt 5.13–14). Recebe­mos dons e tal­en­tos para res­p­lan­de­cer a glória daque­le que nos salvou. Não somente com palavras, mas com ações (Tia­go 2.26). Lem­bre-se: as ações que glo­ri­fi­cam a Deus vem de um coração trans­for­ma­do e regen­er­a­do (1 Cor 10.31). 

     E, final­mente, busque sem­pre a unidade do cor­po (Efé­sios 4:1–4). Somos um através do sangue do Cordeiro. Muitas coisas peque­nas podem ser difer­entes entre aque­les que são chama­dos por Cristo, mas Ele nos une com o prin­ci­pal: a cruz. 

 

Que Deus nos dê sabedoria!
Com car­in­ho, Geiza❤️

Postagens Recentes

Regue seus relacionamentos com Jesus!

Hon­ra aos pais: Assun­to com­pli­ca­do, não?!  Para começar, quero citar um dos ver­sícu­los mais con­heci­dos quan­do falam­os sobre hon­ra (prin­ci­pal­mente aos pais): “Hon­ra teu pai e tua mãe,

Leia mais »

Panela ou frigideira?

Você já pen­sou na difer­ença de uma pan­ela e uma frigideira? O que uma tem e a out­ra não, pelo menos na maio­r­ia das vezes,

Leia mais »

Categorias