insegurança

Insegurança

Não existe um momento que haja mais insegurança do que quando somos bebês, afinal, nessa idade dependemos de outras pessoas para tudo: para nos segurar, cuidar, alimentar, banhar e trocar. Crescemos e começamos a andar. E, ainda assim, dependemos de alguém para segurar as nossas mãos até que nossas pernas sejam suficientemente firmes e coordenadas para aguentar o nosso peso e dar os primeiros passos. 

Crescemos um pouco mais e já não dependemos tanto fisicamente dos outros. Mas, então, outros (nossos pais, familiares e amigos), nos dão segurança emocional para enfrentar as adaptações com a escola e, em seguida, os desafios da adolescência. Durante o nosso desenvolvimento dependemos da segurança que obtemos de fora, até que desenvolvamos a nossa segurança interna. No entanto, algumas pessoas não conseguem desenvolvê-la a um nível adequado, a ponto de prejudicar a execução de tarefas cotidianas. A isso damos o nome de insegurança emocional

A insegurança é um estado emocional, no qual há sentimentos de inferioridade, incapacidade e não merecimento. As pessoas demasiadamente inseguras pensam que não são capazes ou boas os suficientes para realizar uma tarefa e, com frequência, acreditam que não são merecedoras de amor, reconhecimento e aceitação. 

Apesar de a excessiva insegurança ser prejudicial, insegurança em nível baixo pode ser muito útil e até ter um efeito protetor. Quando nos sentimos inseguros, os níveis de ansiedade e agitação aumentam, o que nos ajuda a elaborar estratégias para enfrentar a situação. A insegurança se torna um problema quando ela é demasiadamente elevada, gerando excesso de ansiedade e agitação que acabam nos paralisando. Um exemplo simples: uma aluna está participando de um projeto na universidade, quando surge uma oportunidade de apresentar um trabalho deste projeto em um grande congresso. Esta apresentação não seria somente uma grande oportunidade para aumentar o reconhecimento do projeto, mas também iria trazer grande visibilidade para a aluna, que poderia fazer contatos profissionais, aumentando sua chance de ser empregada após o fim do curso. Esta aluna tem o conhecimento teórico e prático, sendo altamente qualificada para fazer a apresentação. Contudo, sua insegurança e ansiedade estão em um nível tão alto que ela acha que não será capaz de realizar esta tarefa. Então, o medo se torna tão grande que ela desiste e perde uma grande chance que poderia transformar a sua vida. 

Mas e aí, será que a minha insegurança está em um nível patológico? 

Pessoas inseguras tem muito medo de serem rejeitas e criticadas e, por conta disso, tem dificuldade de expressar seus sentimentos e pensamentos. Ao mesmo tempo, elas têm medo de falhar e de não corresponder as expectativas dos outros (família, parceiro, chefe, colega, etc). 

É importante frisar que a insegurança muitas vezes não está presente em todas as áreas da vida. Algumas pessoas podem ser inseguras com suas famílias e seguras no trabalho, e vice e versa. Da mesma forma, uma pessoa pode ter crescido segura e sua insegurança surgir mais tarde na vida, ou ser insegura desde a infância até o início da vida adulta e, depois de trabalhar a insegurança, sentir menos medo e ansiedade. 

Mas como eu posso diminuir a minha insegurança? 

Primeiro, se a sua insegurança está em um nível muito alto e você tem condições, procure a ajuda de um psicoterapeuta. Cada caso é único e tem suas particularidades, afinal, diferentes pessoas se tornam inseguras por diferentes motivos. Cada pessoa tem a sua história de vida que influenciou, de alguma maneira, no problema da insegurança. A ajuda deste profissional será muito útil no processo de entender-se melhor. 

Fora a ajuda de um profissional, eu posso te dar algumas dicas de como diminuir o problema. 

Se conheça

Em quais áreas você se sente inseguro? Identifique as situações que você vive e que te trazem insegurança. E no trabalho? Em relacionamentos?

Para reverter um quadro de insegurança é importante trabalhar autoimagem, autoconfiança e autoestima. Faça uma lista dos seus pontos fortes e de seus pontos fracos. Reconhecer suas maiores qualidades te ajudará a aumentar sua confiança e autoestima. Saber suas áreas de dificuldade te ajudarão a distinguir onde você precisa (e quer) melhorar, e criar estratégias para atingir seu objetivo. 

Se questione

Identifique as crenças e os pensamentos que te limitam. Muitas vezes, em algum momento de nossa vida somos levados a acreditar e pensar que não somos capazes. Identifique a crença por trás desse pensamento (por ex.: “eu não sou capaz de realizar uma tarefa tão complexa”; “eu não sou bonita o suficiente”; “ninguém quer ouvir o que eu penso”). Após identificar a ‘falsa crença’, se questione se isso é realmente verdade e lembre de situações que você viveu em que a essa crença foi derrubada. Pode ser um dia em que alguém te parabenizou por ter executado uma tarefa tão bem, ou o dia em que você opinou sobre algo e te deram ouvidos, ou o dia que alguém elogiou o seu look, por exemplo. 

Perceba que a insegurança pode ser apenas fruto do seu pensamento, e que você pode substituir cada crença errado por crenças positivas. 

Enfrente seu medo

De pouco em pouco você pode enfrentar situações que te trazem insegurança, em pequenos passos. Você pode ver isso como um treinamento de tentativa e erro, experimentando comportamentos alternativos àqueles com que você está acostumada. E, claro, este treino pode ser feito com pessoas com as quais você se sente confortável. Isso te ajudará a ser mais assertiva e desenvolver novas competências. 

Não se compare

Cada um reage de diferentes maneiras frente a diferentes situações. Ninguém é bom em tudo ou mau em tudo. Você tem muitas qualidades que outros não tem e vice e versa. Foque em melhorar áreas da sua vida que você deseja e que te farão bem, e não porque você quer se comparar a outra pessoa. 

Em situações que em você se sente muito inseguro, lembre-se de Isaías 41:10

“Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa.”

Deus é todo poderoso e Ele está sempre contigo, te ajudando e capacitando. Você só precisa pedir ajuda a Ele e confiar.

Bárbara Saur

Posted in Edificadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *