Palavra

Enraizadas na Palavra

Oi gurias! Tudo certo com vocês?! Espero que estejam ok!

Hoje eu quero falar sobre algo que vocês, provavelmente, já estão exaustas de ouvir: a importância do estudo da Bíblia! Não é um tema nada novo, mas ao analisar nosso cenário atual acredito que se faz importante darmos uma atenção especial pra esse assunto…Dentre as coisas mais básicas e primordiais da vida de um cristão está a leitura e estudo da Palavra. Todo cristão, mesmo que ainda começando sua caminhada na fé, sabe da importância do estudo da Bíblia. Afinal, como vamos conhecer, criar intimidade e adorar a Deus sem nenhum contato com Ele? Através da leitura da Palavra nosso Pai fala conosco, aprendemos com Ele e podemos reconhecer seu grande amor. Na Bíblia encontramos direcionamento para adequarmos nossa conduta de acordo com o que o Criador espera de nós.

Ao estudar a Bíblia, a grande tendência é que você seja confrontada! Você possivelmente ouvirá Deus falando ao teu coração sobre algumas coisas que você tenha feito que não agradaram muito à Ele, que não condizem com as atitudes que Ele espera de nós, conhecedores da Verdade. Nada novo até aqui, né meninas?! Pois bem… Nos últimos tempos (acho que não é só comigo), mesmo sem procurar, tenho me deparado com vário vídeos/pregações que vêm modificando algumas verdades absolutas na Bíblia. O que me chamou atenção em vários destes vídeos/pregações foi a forma como alguns pastores colocam o ser humano como tema central (com palavras doces, falando da importância da minha vida, com um sonzinho suave ao fundo, luzes apagadas…) e é sobre isso também que eu gostaria que você refletisse comigo hoje.

Meninas, não estou julgando o pastor “A” ou pastor “B”, ou a forma de culto, com música no fundo, ou as luzes apagadas… minha chamada hoje pra vocês (e pra mim) é: estudem as escrituras! (“Porque desde criança você conhece as Sagradas Letras, que são capazes de torná-lo sábio para a salvação mediante a fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.” 2 Timóteo 3:15-17)

“Deus não tem nenhuma obrigação com você”.

Ouvi essa frase de um amigo seminarista por diversas vezes e, hoje, olhando o cenário do nosso “meio evangélico”, acredito que seja relevante aprofundar esse assunto. A voz de Deus é doce. Sua Palavra nos mostra que somos importantes para Ele, e que por amor Ele enviou seu filho para morrer por nós (João 3:16). Você é importante, você é alvo do amor de Deus, não tenha dúvida alguma disso. Porém, Deus não tem nenhuma obrigação com você. E nós não podemos romantizar o Evangelho a ponto de chegarmos na situação em que estamos, onde muitos pregadores têm colocado o homem no centro de tudo.

Deus não tem obrigação nenhuma com nenhum de nós. Tudo que temos e somos é fruto da misericórdia dEle, e de seu amor que chega até nós através da Cruz de Cristo. (“Não por causa dos atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, Ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo.” Tito 3:5). Quando Cristo, nos seus últimos suspiros, diz: “Está consumado” (João 19:30), tanto nosso trabalho para chegar até Deus se encerra (o véu se rasgou – Mateus 27:50-51), como a maior e melhor promessa de Deus para conosco se cumpre: Seu filho veio, morreu, ressuscitou, e temos hoje livre acesso a Ele (“Pois por meio dEle tanto nós como vocês temos acesso ao Pai, por um só Espírito” – Efésios 2:18). Depois disso é tudo graça (graça – favor que não é merecido).

“Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões – pela graça vocês são salvos.” Efésios 2:4-5.

Não quer dizer que você não possa pedir nada… inclusive: Ele quer te ouvir pedir. Quer dizer que Ele é Senhor, não um faz-tudo, não o gênio da lâmpada. Você não pode exigir nem “determinar” o que Ele vai fazer na sua vida. Você não pode controlar as bênçãos de Deus, muito menos barganhar com Ele. O distanciamento do homem com o estudo da Palavra de Deus, tem nos levado a um Evangelho de auto-ajuda e antropocentrismo (homem como tema central) que não é nada Bíblico. Esteja firme na Bíblia quando se deparar com pregações que acariciam tua alma e não te trazem nenhum desconforto perante a Cruz de Cristo.

“Que a Palavra te desfaça, que te afogue em Sua Graça Só a Cruz esconderá quem você não é”

(17 de janeiro – Os Arrais)

A Palavra de Deus não tem o objetivo de nos massagear, muito menos de nos deixar confortáveis. Em meio às Palavras duras ditas por Jesus, muitos resolveram o abandonar (João 6:60-70), porém vale ressaltar o que Simão Pedro responde à Jesus em contrapartida aos que decidiram deixá-lo: “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna. Nós cremos e sabemos que és o Santo
de Deus”.

Em meio a essas ondas populares de evangélicos, com seus vários “evangeliquês”, se enraíze na Palavra do nosso Deus. Sabemos que é só através da Cruz de Cristo que nos achegaremos aos braços de amor do nosso Pai!

“Como pode o jovem manter pura a sua conduta? Vivendo de acordo com a tua palavra. Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos. Guardei no coração a Tua palavra para não pecar contra ti. Bendito sejas, Senhor! Ensina-me os teus decretos. Com os lábios repito todas as leis que promulgaste. Regozijo-me em seguir os teus testemunhos como o que se regozija com grandes riquezas. Meditarei nos teus preceitos e darei atenção às tuas veredas. Tenho prazer nos teus decretos; não me esqueço da Tua palavra.” Salmos 119:9-16

Caroline Sebem

Posted in Edificadas, Outros and tagged , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *