Coisas que eu deveria ter aprendido antes de sair de casa

Coisas que eu deveria ter aprendido antes de sair de casa

Saímos de casa por inúmeras maneiras – estudo, trabalho, casamento – e, nem sempre, estamos preparadas para, de fato, sair. A casa é tão tranquila! O ninho é tão aconchegante! O colo é reparador. Mas, um dia, nosso tempo chega e precisamos deixar a casa dos pais.

Contudo, de que maneira estamos indo? Será que nos preparamos para esse momento? Será que temos ideia de tudo que poderá acontecer? Certamente não sabemos de todas as coisas, entretanto, podemos nos preparar para as coisas que sabidamente irão acontecer. 

Por isso, algumas coisas saíram de dentro do meu coração (outras de dentro das minhas lágrimas) e gostaria de compartilha-las aqui, para que você pense nesse assunto e prepare-se: pois uma hora algo parecido também pode acontecer com você.

Eu deveria ter aprendido antes de sair de casa que preciso ter convicção naquilo que acredito.

Por que você não faz ……..(coloque aqui algo que você já ouviu)……?

Quando nos inserimos em um novo grupo social, precisamos nos identificar e definir quem somos, o que gostamos de fazer e por que gostamos de fazer o que fazemos.

Às vezes, você nunca parou pra pensar sobre o jeito que você arruma sua mala: talvez seja porque você aprendeu que aquele jeito é a única maneira de organizar a mala. Ou então você nunca parou pra pensar como é o jeito ideal arrumação, mas como sua mãe faz daquele jeito, você repete com excelência e tudo certo, a mala fecha. Entretanto, você não está mais em casa e muita gente vai perguntar por que você faz o que faz.

Se parece complicado com o simples exemplo de arrumar uma mala, imagine só justificar suas decisões, tentar explicar sobre as ideias que regem a sua vida e a sua maneira de entender o mundo. Essas ideias são chamadas de cosmovisão e, por mais complexas que elas pareçam, se você não tem convicção, você vai ficar perdida e confusa – e ai, minha amiga, seu problema vai ser bem maior do que arrumar a mala. Crenças erradas levam a expectativas equivocadas.

Em relação a convicção, lembro-me da história da casa construída sob a rocha e a outras sob a areia (Mateus 7.24-23). A mesma tempestade veio para ambas as casas, mas apenas a que foi construída com alicerces em local apropriado resistiu. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela não caiu, porque tinha seus alicerces na rocha (Mateus 7:25).

Dificilmente você vai precisar responder perguntas diretas como: Deus existe? Quem é Deus? Como o mundo veio a existir? Qual a razão da nossa existência? O que acontece depois que a vida acaba? Porém, essas respostas regem a maneira como você toma decisões, como você se relaciona com as pessoas, como você reage às circunstâncias da vida. A cosmovisão são as lentes que você usa para enxergar o mundo.

Ainda que existam diversas maneiras de se organizar uma mala, assim como existem muitas cosmovisões, há apenas uma cosmovisão cristã e ela é encontrada na Palavra de Deus: a Bíblia.

Antes de enfrentar o mundo ao sair de casa, procure conhecer as lentes que você tem usado. Será que elas não podem estar embaçadas?

“Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Romanos 12:1,2

Procure renovar a sua mente com a palavra do nosso Criador para experimentar a sua boa, agradável e perfeita vontade! Conhecer a cosmovisão cristã vai te ajudar na sua vida diária e a se posicionar diante de temas conflitantes com outras cosmovisões (alguns exemplos são família, casamento, sexualidade, compromisso com a Igreja, organização do tempo e prioridades, finanças e trabalho).

A maneira como entendemos a vida humana depende da concepção que temos da narrativa humana. Qual a narrativa que molda a sua vida?

Aqui uma síntese do enredo cristão:

  1. Existe um Deus pessoal e bom que criou todas as coisas;
  2. A desobediência dos seres humanos corrompeu todas as coisas boas criadas, trazendo o mal, sofrimento e juízo sobre o mundo;
  3. Deus envia seu filho Jesus como novo homem para morrer na cruz como pagamento pela desobediência, recebendo o juízo pelo mal;
  4. Mas Jesus ressuscita dos mortos para restauração de todas as coisas e inaugura uma era de nova criação;
  5. Todos aqueles que aceitam o dom gratuito de Deus devem viver sob Senhorio de Jesus, anunciando a verdade cristã, enquanto aguardam a consumação dos tempos.

Indicação de leitura: Crer também é pensar, John Stott

Um grande abraço,

Geíza Lemos Hein

Posted in Conselhos de amiga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *