Status: Virgem aos 15, 20, 30 e poucos anos…

Ao pensar sobre virgindade, lembrei que existiam vários filmes que tratavam desse tema. Dei aquela “googleada” e encontrei vários títulos (não recomendados por nossa equipe, tá?): Virgem aos 40 – Virgem em Apuros – O último virgem – O diário de uma virgem – 18 anos e ainda virgem? – Um virgem de 41 anos – Ainda virgem? Mesmo sem ter assistido estes filmes, tenho quase certeza de que eles tratarão a virgindade como algo ruim e como uma perda de tempo. Dificilmente encontraremos nas mídias algo que reforce a ideia de que esperar o cara certo é tudo de bom. É por isso, amiga, que nós viemos aqui reforçar suas convicções.

Não sei quem está lendo este texto agora e muito menos qual é o seu status. Se já está na faixa dos 15, 20, 30, 40 e se em sua história você faz parte do seleto grupo que tem resistido às tentações sexuais e, como diz o último título do filme acima, ainda é virgem, vou tentar humildemente traçar a linha histórica dos comentários que uma garota que quer manter-se virgem até casar-se recebe na sociedade atual:

Fase 1: Freira da família!

  • Vai virar freira?

Fase 2: Pena!

  • Que desperdício! Menina tão bonita, só podem ter feito lavagem cerebral em ti!
  • Mentira que tu vais esperar o casamento, né?
  • Não existem mais homens virgens no mundo! Por que esperar, se ele não está te esperando?

Fase 3: Titia é uma palavra que combina contigo!

  • Desse jeito, vais ficar para titia! Estás escolhendo muito!

Fase 4: Piadinhas sem graça (já que todas as alternativas acima se esgotaram):

  • Se cupido existisse ele teria este lema a teu respeito: “Mil cairão ao teu lado, dez mil à tua direita. Mas tu não serás atingido”.

Falo destas piadinhas e comentários com propriedade, pois ouvi em minha adolescência e juventude “all the time”. Mas como uma ex integrante deste grupo seleto, quero reforçar uma das maiores lições aprendidas em minha vida: obedecer a Deus como resposta de amor é a melhor sensação do mundo. Por isso, quero te relembrar do porquê sua espera deve ser consciente e de fato pura:

Nossa motivação deve ser uma resposta de amor ao amor de Deus por nós e ao amor que eu quero oferecer ao cara que Deus tem preparado para mim. Essa espera nem sempre é fácil, às vezes demora mais do que o planejado e é cheia de propostas, dúvidas e temores. Ouso compará-la a uma série com longas temporadas, que precisam ser contempladas, uma a uma.

Tem muitas séries legais que nos emocionam, nos divertem, nos entristecem e nos enchem de curiosidade e nos fazem apertar o play rapidinho para irmos de uma vez para o próximo episódio. Confesso que muitas vezes, preciso ter muita paciência para esperar a próxima temporada que parece nunca chegar na Netflix. Sem falar daquelas séries que tem muitas temporadas e nos dão aquela tentação de ler a resenha do último episódio, mas precisamos nos controlar porque a história é revelada episódio após episódio. Temos que assistir cada detalhe com atenção, porque senão, poderemos ficar completamente perdidas. Não dá pra chegar na metade da série e querer ver o último episódio. Se não, perderemos o processo que deixou aquela série EMOCIONANTE, INCRÍVEL e IMPERDÍVEL.

Quando o assunto é sexo, precisamos viver episódio após episódio (assim como nas séries) para chegarmos lá no tão esperado episódio final que é o casamento. Não dá para pular episódios, nem temporadas. Se fizermos isso, nós é que sairemos perdendo. Perderemos a alegria da espera, os detalhes legais, perderemos até mesmo a curiosidade, e a bênção de viver na obediência. Quando nos envolvemos em práticas sexuais fora do casamento pulamos etapas, perdemos a pureza, e o encantamento da espera.

Se o sexo pode ser comparado a uma série, qual é o episódio final?

Quando você encontrar aquele cara que mais combina contigo, poderá desfrutar do que Deus planejou desde o princípio. Eu casei com 30 anos e pela graça de Deus consegui manter-me virgem. E posso dizer que valeu a pena esperar por este dia. Meu marido e eu sentimos como foi especial obedecer com alegria a vontade de Deus. Lembro que quando era missionária em SC, algumas meninas de 12 e 13 anos riam de mim quando eu contava meu testemunho de estar esperando pelo meu futuro marido e que ainda não tinha feito sexo com quase 30 anos. Fiquei com vergonha? É claro que não! Fiquei com meu coração entristecido ao ver o que o mundo tinha feito nos corações delas. Aquilo que é certo aos olhos de Deus, era motivo de vergonha para elas.

Por isso, amiga, lembre-se disso: não são suas amigas, nem familiares e colegas que devem determinar o que você faz e acredita. É Deus quem deve te guiar. É a Bíblia. Escolha obedecer a Deus mesmo quando parecer difícil. Escolha confiar mesmo quando você já não for uma adole e os 20 ou 30 anos estiverem chegando e você ainda estiver solteira. Combinado?

Você não faz ideia como é legal saber que alguém também esperou por você. Ore por ele desde já. Não pule episódios. Viva sua adolescência e juventude fazendo muitos amigos e amigas, viajando, estudando, trabalhando, servindo a Deus na sua igreja, no seu bairro, indo a muitos acampamentos e vivendo como uma garota que se alegra em esperar pelo cara legal que também está esperando por você para que no episódio final da sua super série romântica vocês sejam felizes agradando a Deus sem perder nenhum detalhe legal da história linda que Ele escreveu para vocês.

Dicas “sinceronas”:

  • Nesta etapa da sua vida, agregue a pureza a cada escolha pessoal. De nada adiantará manter o hímen intacto se o seu coração for cheio de pecado como maus pensamentos e orgulho pessoal (aliás podemos erroneamente usarmos a virgindade como medalha para nossa autopromoção e isso será um erro terrível);
  • Alie a sua escolha a busca pela pureza da sua mente e coração;
  • Tenha amigas que também estão esperando para fazer sexo dentro do casamento. Isso te lembrará que você não está sozinha;
  • Lembre-se do texto: “Aquele que PENSA estar em pé, cuide para não cair”.(1 Co 1.12) Nunca pense estar aprovada em nenhuma área da vida, caso contrário você relaxará e poderá cair. Saiba que você é humana e diariamente conta com a graça de Deus para caminhar em obediência e amor;
  • Tenha muito cuidado com as pessoas que você se relaciona, pois um relacionamento com um cara que não sabe controlar-se poderá te levar a amargos arrependimentos;
  • E se eu cair? O que deverei fazer? Deverá recomeçar no seu propósito de santidade. Comece aonde você está. E não acredite nas mentiras ditas por aí, que após cair é impossível ficar sem. Pode ser mais difícil, mas nunca será impossível. Comece hoje e guarde seu corpo, mente e coração para…

Ah, sobre isso eu conversarei contigo na quinta-feira. Pode ser?

Um abraço carinhoso,

Marta Hoffmann Bueno

As oportunidades de Deus estão perto de você

“Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o
amor”. 1Co 13.13

Quase encerrando a série sobre a temática do Congresso FéMenina, Inteira, vamos conhecer o testemunho de duas pessoas plenamente felizes com o que Deus colocou aos seus cuidados.

Um povo não alcançado em nosso meio! Elas são a Dani e a Silvia. Mas hoje ficaremos com a história da Dani e na próxima semana, com a Silvia, virá o convite do CAIS, que comentei no artigo anterior. Não perca!

A Dani sentiu a convicção de um chamado para trabalhar no ministério aos 14 anos, vendo uma apresentação dos King’s Kids com uma coreografia que tinha LIBRAS. Então, estudou LIBRAS, fez a faculdade de fonoaudiologia com o objetivo de servir a Deus. Sua família nunca a apoiou muito, pelo fato de saber que ela precisaria ir morar em Curitiba, e aperfeiçoar-se no ministério, na Primeira Igreja Batista de Curitiba. E ela não queria caminhar nesta direção sem a benção da sua mãe. Como Deus conduz tudo com sabedoria, após concluir a faculdade de fonoaudiologia, a mãe da Dani ouviu de Deus que ele havia separado sua filha para o ministério. Com o detalhe que aquela foi a única vez que sua mãe ouvir Deus falar com ela. Benção concedida, e a Dani seguiu em frente. Em 2010 foi estudar teologia, em Curitiba. Como seminarista, atuou em todas as áreas do Ministério Eficiente (surdos, deficiência visual e deficiência motora) e implantou o Ministério AME, que atende deficientes intelectuais e autistas.

“Não é necessário ter uma formação específica para isso, explicou. Pois no começo, eu não sabia como ensinar a bíblia para o deficiente intelectual. Então, pensei: eu posso amar, abraçar, beijar. Assim, AME é o imperativo de amar, o amor ágape. Amamos, de forma intencional, sem esperar por nada em troca. A resposta do deficiente intelectual ou do autista será diferente.

Os desafios são enormes na igreja. Há o preconceito, o desconhecimento em achar que não é necessário ter essas pessoas na igreja ou de desenvolver a inclusão com as demais crianças. Se for adulto, pode-se desenvolver ações específicas, mas é importante que eles participem nas atividades da igreja; nos cultos, pequenos grupos ou células. Quando as demais pessoas pensam que atrapalha, dificulta a inclusão. Como corpo de Cristo, se uma igreja local não tem pessoa com deficiência, entendo que essa igreja é deficiente. Porque cada um tem a sua riqueza, a sua subjetividade. Eles também nos ensinam sobre o amor de Deus.

Precisamos quebrar esse preconceito, tirar o estigma de que é assunto desconhecido e tornar conhecido. Isso acabará atraindo pessoas que não são da igreja, numa ação evangelística. A inclusão é um instrumento para tornar o evangelho acessível para a pessoa com deficiência e sua família, pois ambos acabam ficando isolados. Não têm acesso a muitos lugares, muito menos na igreja. Quando abrimos as portas da igreja, acabamos ajudando essa família, proporcionando dignidade humana, melhoria de vida. O evangelho tem o poder de transformar de forma integral, pois Deus deseja tocar numa pessoa, numa família de forma integral. Igrejas com práticas includentes abrem oportunidades de transformação de vidas.

Em 2019 o Ministério Eficiente começou com o treinamento semestral chamado de “Igreja Acessível”. Para que os membros da PIB Curitiba conheçam mais sobre as deficiências, ensinando-os a incluir os deficientes em qualquer atividade da igreja e não apenas no Ministério Eficiente. Os deficientes poderão ser acolhidos e bem recebidos. A ideia é multiplicar a experiência para outras igrejas, ensinando sobre cinco áreas de deficiência: auditiva, visual, física, intelectual e autista. O próximo passo será ensinar a desenvolver ações específicas ampliando o conhecimento dos membros da igreja sobre o assunto.

Quando uma igreja considera a possibilidade de incluir os deficientes, isso já é motivo de gratidão. Não existe segredo. Acolher é tratar bem o deficiente como se trata qualquer outra pessoa. Na internet há meios de se informar um pouco mais. Incluir não é apenas proporcionar acessibilidade, pois de nada adianta ter uma rampa ou elevador se o deficiente é visto com indiferença quando chega ao templo. Ele se sente invisível. Por outro lado, uma igreja que não tenha acessibilidade, mas saiba acolher, valoriza a presença da pessoa com deficiência. É uma atitude positiva. Vale muito mais do que ter apenas estrutura física para receber. Acolher é o primeiro grande passo.

Para quem quer se desenvolver nessa área, converse com Deus a respeito, fale com o seu pastor, pois as pessoas com deficiência são um povo não alcançado pelo evangelho de Cristo. Pesquise a população da sua cidade, se há algum trabalho em outras igrejas, se informe sobre políticas públicas e ame”!

A Daniele Gotardo Veloso é Fonoaudióloga, Teóloga, Especialista em Educação Especial, Especialista em Educação Bilíngue para Surdos – Letras LIBRAS / Língua Portuguesa, Mestranda em Teologia, Docente na FABAPAR, TILSP, Ministra Auxiliar no Ministério Eficiente.

Fabiana Silvestrini

ânimo

Ânimo | Concurso Congresso FéMenina

Como assim “Tende bom Ânimo”?

O que te deixa animada? Roupas novas? Aquela sua comida preferida? Estar com o peso que você gosta? Conseguir concluir as tarefas do dia com antecedência? Um relacionamento sem brigas? Todos nós ficamos animados com coisas assim. E isso não é um problema.

O problema só começa, quando nossa alegria começa a depender disso, pois todas essas coisas trazem uma felicidade temporária e passageira, e nem sempre podemos comprar uma roupa nova, por exemplo.

Leia mais…

endurecida

Endurecida | Concurso Congresso FéMenina

Quem não contempla, endurece.

Coração quente, quebrantado e maravilhado, só contemplando o quão fascinante Ele é, queimando de amor e querendo mais e mais… que sentimento maravilhoso! O primeiro amor deveria permanecer durante toda nossa jornada, seria tão intenso!

Mas com o passar do relógio, o quente amorna, a rotina ocupa e o que era fascinante fica esquecido; No modo automático nem nos damos conta do quão endurecidos nos encontramos. No coração que já não se encanta tudo é monótono e perde-se o interesse de adorar.

Leia mais…

inteira

Inteira | Concurso Congresso FéMenina

Inferior, vi estampado no outdoor. Fora de forma, escrito na revista que abri. Fraca, de acordo com aquela postagem da rede social. Feia, nas curtidas que não recebi. Sozinha, na mensagem não respondida. Burra, na nota que eu não alcancei. Fracassada, no concurso em que não passei. Inútil, pois não nasci com o talento dela. Ultrapassada, pois não comprei o último lançamento. Insuficiente, na falta de um relacionamento. Sorrindo por fora. Quebrada por dentro. Que atire a primeira pedra quem nunca passou por um desses momentos. 

É uma mistura cruel das nossas próprias dúvidas, traumas e inseguranças, com uma sociedade que impõe padrões inalcançáveis de beleza e cobra um estilo de vida perfeito como post de instagram. E assim, dia após dia, vamos nos enchendo de rótulos e nos desfigurando em busca de uma identidade que nem é a nossa. 

Leia mais…

juntos e shallow now

Juntos e shallow now | Concurso Congresso FéMenina

Juntos e shallow now?

Recentemente um assunto viralizou nas redes sociais e foi motivo de muitos memes e figurinhas enviadas em grupos de mensagens instantâneas, utilizadas de maneira bem-humorada para representar a contradição originada da junção e tradução feita de um trecho da música “Shallow” da Lady Gaga, tema do filme Nasce uma Estrela.

Essa repercussão se deu pelo fato de que na versão apresentada em português a música fala que estamos “juntos e shallow now”, que traduzindo é “estamos juntos e rasos agora”, e isso é no mínimo engraçado.

Leia mais…

consumista, eu

Consumista, eu?

Então lhes disse: “Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens”. Lc. 12:15

Quem nunca sonhou em ter um guarda-roupas como o da Cher Horowitz, do filme As Patricinhas de Beverly Hills, ou ainda em passear pelo shopping cheia de comprinhas novas?

É fato que grande parte de nós já desejou consumir muito mais que o necessário, seja para sentir-se aceita por um grupo social, com o intuito de estar na moda, ou simplesmente pelo prazer de adquirir algo.

Entretanto, por mais que os filmes, séries e a mídia em geral muitas vezes nos façam pensar que a felicidade está no “ter”, as raízes do consumismo em nós podem apresentar um grande perigo – e suas consequências tendem a ser ainda piores.

Por exemplo, você já parou para pensar no motivo pelo qual compra as roupas que compra (ou, se por alguma razão não consegue comprá-las, por que as deseja)? Será mesmo que você gostou daquela peça ou só a levou para casa por estar na vitrine de sua loja favorita? Quantas são as vezes em que adquirimos produtos por empolgação momentânea e sequer o usamos depois!

A verdade é que muitas vezes acabamos investindo nosso dinheiro, nossas energias e nosso coração em coisas das quais não precisamos – ou pior, nem queremos – de forma exagerada e até mesmo irresponsável. Isso se chama consumismo, e pode ser resultado de pecado em nós. Por isso, hoje te convido a refletir comigo em algumas verdades sobre o assunto. Vamos lá?

· Uma atitude consumista pode ser fruto de desejo por competição, ambição e até mesmo inveja.

Permita-se recordar: alguma vez você já desejou ter algo (seja uma peça de roupa, um calçado, um celular ou qualquer outra coisa) apenas porque outra pessoa a tinha? É bem possível que a maioria das pessoas nem perceba, mas frequentemente nós adquirimos bens simplesmente com

o intuito de mostrar a outros que os possuímos. Analisar nossa verdadeira motivação ao comprar algo é o primeiro passo para não cair no pecado da disputa, da ambição ou da inveja.

· É um sinal de que não estamos firmando nossa identidade no lugar certo.

Você pode não saber, mas toda essa corrida desenfreada por bens materiais é resultado de uma construção proposital em nossas mentes, que tem como finalidade nos fazer acreditar que precisamos comprar o tempo todo, e cada vez mais. Crer na ideia de que somos definidas por aquilo que possuímos é um sinal claro de que não estamos firmando nossa identidade em Cristo. Não permita que nada tome o lugar de Jesus em sua vida, pois isso seria idolatria. Só Ele pode definir quem somos. É nele que nossa identidade precisa estar firmada, e não em meros produtos feitos por mãos humanas.

· Pode ser uma tentativa frustrada de suprir algo dentro de nós.

Você está triste, ansiosa, desanimada ou precisando “dar um up” em si mesma. Então corre para a shopping mais próximo ou para seu site de compras favorito, a fim de ver as novidades e, quem sabe, comprar alguns produtinhos novos. Você até se anima na hora, mas logo depois a tristeza, o desânimo e a ansiedade acabam voltando com toda força.

Quem aí reconheceu essa cena? Não é difícil encontrarmos meninas (e aqui incluo muitas de nós) que já viveram ou ainda vivem isso. Tentamos de todas as formas fugir de nossos dilemas internos comprando coisas novas, ao invés de corajosamente encará-los e clamarmos pelo socorro de Jesus. Enquanto isso, os problemas continuam lá, destruindo nossa alma pouco a pouco.

Eu mesma já passei por isso. Sempre que sentia uma profunda tristeza ou vazio dentro de mim, corria para a livraria mais próxima e depositava minhas esperanças em livros, ao invés de olhar nos olhos da minha dor e entregá-la ao meu Salvador.

Se existe algo que precisamos entender é que todo e qualquer vazio que existir dentro de nós só pode ser curado e suprido por Jesus. Não há blusinhas, maquiagens, sapatinhos novos (ou mesmo livros!) que possam substituir o amor escandaloso de Cristo por nós. Jesus encarou sua dor frente a frente, e enfrentou a cruz por amor a mim e a você. Ignorar isso, tentando suprir nossas necessidades com qualquer outra coisa ou pessoa que não seja Ele, é rejeitar seu sacrífico por nós.

Em Efésios 1:22-23, o apóstolo Paulo nos diz:

“Também sujeitou tudo o que existe debaixo de seus pés e o designou cabeça sobre absolutamente tudo o que há, e o concedeu à Igreja, que é o seu Corpo, a plenitude daquele que satisfaz tudo quanto existe, em toda e qualquer circunstância.”

Queridas, só Cristo pode nos satisfazer em TODA E QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA. Portanto, que sejamos humildes, fortes e submissas o suficiente para encarar nosso pecado de frente e pedir perdão ao nosso Senhor. Que sempre possamos lembrar de levar a Ele nossas necessidades antes de qualquer coisa, pedindo sabedoria para que possamos honrar a Deus também com nossas finanças e maneira de consumir.

Há muitos outros pontos que poderíamos falar sobre o consumismo, como por exemplo suas consequências sociais e ambientais, mas vamos deixá-los pra um outro momento. Por enquanto, fico por aqui, esperando de coração que este texto tenha ajudado você a enxergar um pouquinho além sobre o assunto.

Um grande beijo,

Caelen Vargas

essa tal felicidade

Essa tal felicidade…

 

Segundo o Dicionário Caldas Aulete Digital, “Felicidade” significa: Qualidade, condição ou estado de feliz; grande satisfação ou contentamento, boa sorte, bom êxito em algo que se fez; SUCESSO.

De fato, “Ser feliz” é o que as pessoas mais buscam na vida. Seria hipocrisia dizer que se busca somente a felicidade dos que estão ao seu redor porque na verdade se fazemos isto, é porque de certa forma isso nos deixa felizes, completos, realizados. Ninguém é tão masoquista a ponto de buscar a total infelicidade dos outros, a não ser que tenha problemas mentais, mas as pessoas buscam a felicidade, elas buscam ser felizes.

Muitas pessoas buscam essa tal felicidade em suas profissões, procurando fazer aquilo que gostam na escolha de suas faculdades e cursos, mas ao mesmo tempo pensam na questão financeira: Qual é a profissão que vai me fazer ganhar mais dinheiro? Ou como posso ganhar dinheiro fazendo aquilo que gosto? É algo que tem se pensado muito quando se pensa em um futuro feliz. Existem até mesmo aqueles que pensam que a felicidade é aproveitar a vida bebendo, fumando e aprontando tudo o como se não existisse amanhã, buscam a felicidade nestas prisões que só o que fazem é destruir e aprisionar mais a pessoa.

Por vezes têm este tipo de atitude para serem aceitos por um grupo, ou para chamar a atenção das pessoas para si mesmo, procurando preencher o vazio que a falta de felicidade traz. Infelizmente essa é uma das armadilhas que mais têm aprisionado os jovens e adolescentes. Outra forma de buscar felicidade me fez lembrar de uma música bem famosa do falecido Tim Maia, intitulada: “Essa tal felicidade”. Nesta música ele fala da família e de um amor, me recordando de como eu via a “chegada deste amor” na minha vida. Quando se falava de amor, de alguém para ser o meu amor, eu pensava em um sentimento tão grandioso que preencheria todos os graus de felicidade da minha vida, de alguém que preencheria o vazio no meu coração e que depois que o encontrasse tudo seria lindo e seríamos “felizes para sempre”.

Não culpo quem ainda pensa dessa forma, afinal de contas principalmente nós meninas, somos levadas a pensar que o príncipe encantado vai chegar no cavalo branco e vai te fazer feliz para sempre. Analisando outras músicas que falam de Felicidade, podemos ver que a grande maioria gira em torno do relacionamento romântico de um casal que se encontra de uma forma emocionante e que a partir daquele momento tudo fica lindo, maravilhoso e se encontra a felicidade.

Graças a Deus pude entender um pouco mais sobre o significado do amor antes de passar por esta fase da vida, e eu encontrei de fato o meu grande amor que preencheu esse vazio da minha vida, mas aprendi que o meu verdadeiro príncipe encantado em vez de estar em um cavalo branco, foi humilhado, maltratado, taxado como ladrão, julgado injustamente, depois de tudo isso foi pregado em uma cruz e demonstrou tanto, mas tanto amor por mim que se ofereceu em meu lugar, pagou pelos meus pecados, morreu e ressuscitou no terceiro dia, me trouxe vida, mas não somente vida aqui nesta terra, mas vida eterna, vida completa. Ele derrotou a morte e me deu vitória. Jesus demonstrou a maior prova de amor que alguém poderia ter mostrado e fez isso de uma forma completa, sem erros e duradoura. Ela não acaba aqui nesta terra, ela dura para sempre, além de termos a esperança maravilhosa de morarmos no céu, onde não haverá choro, onde vamos reencontrá-Lo e ninguém poderá tirar a nossa alegria. (João 16.22).

Pensando em tudo o que Jesus fez por mim e por você, podemos entender que Ser feliz não depende de encontrar um amor para dividir com você o resto da vida, não depende de você conquistar um bom trabalho, ter um bom salário e amar o que faz. Ser feliz não depende também de você trabalhar a vida inteira em prol das outras pessoas. Todas estas coisas são muito boas e se você tem tudo isso, seja grato. O que eu posso dizer é que ser feliz depende da presença ou não de Deus na sua vida. Se Ele está presente, há alegria, há felicidade, se Ele não está, você pode tentar fazer de tudo, pode tentar encontrar um amor, pode ter um ótimo trabalho e fazer o que gosta, pode dedicar toda a tua vida para ajudar as pessoas e se sacrificar por elas, mas se Deus não estiver presente, nada vai adiantar.

Quando lemos 1 Coríntios cap. 13 há uma definição do amor, onde fala: “Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine…” e ele continua falando sobre várias coisas, e você pode estar se perguntando o que tem a ver isso com a presença de Deus? Eu te respondo: Deus é amor! Ele é a essência do amor! Todo o amor vem dEle! Se eu fizer todas estas coisas e não tiver amor, nada vai adiantar, e da mesma forma, se eu fizer todas estas coisas, mas não tiver a presença de Deus na minha vida, nada vai adiantar!

O Salmo 16.11 fala “ na Tua presença me encherás de alegria…” somente na presença de Deus é que podemos ter alegria plena, felicidade completa. Sim! Mesmo que ao redor tudo esteja desabando, mesmo que você não tenha encontrado o amor da sua vida, ou que esteja passando por uma terrível decepção com a pessoa que você achou que seria a certa. Ainda que você não tenha lá o trabalho dos sonhos, ganhe pouco por mês e viva se incomodando, ainda que esteja passando por algum tipo de necessidade, tanto financeira quanto emocional, se você está na presença de Deus, você é Feliz, não importa a situação, não importa que circunstância você esteja passando.

Se você ainda não está desfrutando da Sua maravilhosa presença, não perca tempo, não espere por um amor que um dia virá, ou por aquela promessa de trabalho ou daquela faculdade ou curso que um dia ainda vai chegar. Não espere por uma viagem ou um evento que irá acontecer para ser feliz. Você pode ser feliz hoje, basta pedir para Cristo entrar, o texto bem conhecido de Apocalipse 3.20 fala que Ele está à porta e bate, e Ele está falando isso para uma igreja! Às vezes você pensa que já convidou Jesus para entrar, mas talvez não tenha deixado Ele comandar, infelizmente muitas vezes temos a ideia de que achamos que sabemos o que é melhor para nós e decidimos as coisas sem consultá-Lo, e na maioria das vezes simplesmente ignoramos Sua presença. A presença de Cristo faz toda a diferença em todos os detalhes, e é essa Maravilhosa presença que traz a verdadeira felicidade.

Quer ser Feliz? Deixe Cristo entrar! Não perca tempo!

Greyce Karoline Hepfner Scholz

Palavra

Enraizadas na Palavra

Oi gurias! Tudo certo com vocês?! Espero que estejam ok!

Hoje eu quero falar sobre algo que vocês, provavelmente, já estão exaustas de ouvir: a importância do estudo da Bíblia! Não é um tema nada novo, mas ao analisar nosso cenário atual acredito que se faz importante darmos uma atenção especial pra esse assunto…Leia mais…