Culpa

A culpa é minha… E eu coloco ela em quem eu quiser!

“A culpa é minha e eu coloco ela onde e em quem eu quiser!”

Começando pela minha própria vida, tenho visto o quanto cada vez mais a culpa nunca é nossa. A gente terceiriza tudo que é responsabilidade. É responsabilidade da escola e/ou igreja educar os filhos, é responsabilidade do governo resolver nossos problemas com lixo, poluição e escassez de recursos naturais… E com isso a culpa sempre é dos outros. O Brasil tá um caos porque o governo é corrupto, as cidades estão poluídas porque os outros jogam lixo no chão e as indústrias jogam o esgoto nos rios, a criminalidade é alta porque a educação básica é precária, o cristianismo tá virando piada por aí porque as igrejas x e y estão fazendo barbaridades em seus púlpitos, e a lista pode continuar por linhas e mais linhas. Mas em algum momento você consegue enxergar a sua responsabilidade nisso tudo?

Quando meu marido ou minha mãe reclamam de alguma coisa em mim, minha primeira tendência é responder com um “é, mas você também faz isso e aquilo…”. A verdade é que ninguém gosta de levar a culpa. Nossa primeira reação é terceirizar ela para alguém. E é exatamente por isso que fico fascinada pela reação do profeta Isaías em Is. 6:5. Quando ele teve uma visão do Senhor, disse: “Ai de mim! Estou perdido! Pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um povo de lábios impuros”. Ele imediatamente reconheceu sua culpa e reconheceu também sua responsabilidade diante dos problemas de Israel e assim, quando Deus pergunta “Quem enviarei?” ele responde Eis-me aqui. Envia-me (Is.6:8)

Assim, gostaria de te perguntar: qual sua responsabilidade em meio a todo o caos em que vivemos? O que é culpa sua? Será que você está fazendo mesmo tudo que pode por um mundo melhor? Será que a culpa de um mundo poluído também não é sua? Será que você não poderia reciclar algumas coisas ou deixar de comprar outras? Será que a igreja estar se tornando uma piada não é mesmo culpa nossa? Estamos sendo mesmo um bom exemplo de cristãos? E quanto à corrupção, quando vemos alguém, às vezes até um parente fazendo algo errado, a gente conversa com essa pessoa? A gente tem aceitado as pequenas corrupções do dia-a-dia como fazer um gato na TV à cabo, ou colar na escola?

Será que não é hora de olhar para as nossas responsabilidades em vez de ficar culpando todo mundo ao nosso redor?

Ana Pydd

Posted in De ovelha para ovelha and tagged , , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *