FéMenina

4 Lembretes para um discipulado intencional

Como é bom saber que temos com quem con­tar, alguém pra con­fi­ar, pra falar sobre tudo. E ao mes­mo tem­po, como é bom poder cuidar de alguém, ser o apoio, o ouvinte, o enco­ra­jador. Isso é o dis­cip­u­la­do, uma via de mão dupla, quan­do os dois lados estão dis­pos­tos a viv­er isso. E de fato isso é muito impor­tante, é pre­ciso ter essa dis­posição tan­to da dis­cip­u­lado­ra quan­to da dis­cípu­la. Não vai fun­cionar se uma das partes não quis­er encar­ar esta aventura.

No tra­je­to do dis­cip­u­la­do, temos tam­bém que lem­brar que algu­mas coisas impor­tantes, por isso sep­a­rei alguns lem­bretes bási­cos para uma discipuladora:

  • Você tem o priv­ilé­gio de aju­dar alguém na sua cam­in­ha­da cristã, por isso você tem o com­pro­mis­so com a sua vida e com de sua dis­cípu­la de se ali­men­tar da Palavra de Deus e estar em um rela­ciona­men­to ínti­mo com Deus, para que você tam­bém pos­sa ali­men­tá-la espiritualmente. 
  • Você vai aju­dar sua dis­cípu­la a se tornar cada dia mais pare­ci­da com Jesus e não com você. Você pre­cisa sim ser exem­p­lo, e quem dera se pudésse­mos diz­er o que Paulo disse: “Sejam meus imi­ta­dores como eu sou de Cristo Jesus.” Aproveite essa exper­iên­cia do dis­cip­u­la­do e busquem isso juntas.
  • Não tente escol­her! Muitas vezes olhamos para algu­mas meni­nas e pen­samos: nos­sa, essa vai ser difí­cil, aque­la lá, impos­sív­el. Não faça isso! Talvez você este­ja crian­do uma bar­reira e deixan­do de par­tic­i­par de algo extra­ordinário que Deus quer faz­er. Lem­bre-se: quem faz a obra é Ele, nós temos o priv­ilé­gio de par­tic­i­par! Mui­ta gente con­hecia Paulo pela vida que ele tin­ha, quan­do ele foi trans­for­ma­do por Cristo, ninguém lhe dava con­fi­ança. Barn­abé olhou para Paulo por aqui­lo e que ele pode­ria ser em Cristo e cam­in­hou com ele, e o resul­ta­do desse rela­ciona­men­to de men­to­ria enx­erg­amos em todo o Novo Tes­ta­men­to. Deus fez muitas coisas através de Paulo e ele foi defin­i­ti­va­mente um imi­ta­dor de Cristo.
  • E para fechar esta con­ver­sa entre dis­cip­u­lado­ras, você não deve pas­sar a mão na cabeça dela sem­pre. Seja amorosa e pensem jun­tas como podem mudar as coisas que estão erradas. E quan­do isso acon­te­cer, comem­o­re com ela, honre a vida dela a cada trans­for­mação. Chorem jun­tas, deem risadas, orem jun­tas. E você dis­cip­u­lado­ra, ore muito por ela. 

Gostaram destas dicas?

Quais out­ras dicas você acres­cen­taria para quem está encar­an­do a ale­gria de ser uma discipuladora?

Uma abraço, Jés­si­ca Tehlen

Postagens Recentes

Regue seus relacionamentos com Jesus!

Hon­ra aos pais: Assun­to com­pli­ca­do, não?!  Para começar, quero citar um dos ver­sícu­los mais con­heci­dos quan­do falam­os sobre hon­ra (prin­ci­pal­mente aos pais): “Hon­ra teu pai e tua mãe,

Leia mais »

Categorias