vamos falar sobre sexo

Vamos falar sobre sexo

Maria, a virgenzinha…

Maria mãe de Jesus casou virgem. Mas naquela época as moças casavam por volta dos 14 anos de idade, então casar virgem não era uma tarefa tão difícil assim. Mas… E hoje em dia? Nós mulheres estamos casando por volta dos 25, 30 ou até mais! Como faz pra casar virgem então??? Opa… E quem disse que tem que casar virgem?

Se a sua motivação para casar virgem é o medo da sua família, da igreja ou mesmo de Deus, sinto lhe informar, mas provavelmente não vai dar certo. A única coisa que vai te manter no caminho correto é a sua própria convicção sobre o assunto. Apenas a sua decisão sobre isso é que vai sustentar o não! na hora em que as coisas esquentarem com aquele gatinho.

E eu faço questão de ter essa conversa com você. Eu casei aos 28 anos, o dobro da idade do que supostamente Maria casou. E casei virgem! E, diga-se de passagem, que eu não sou um caso único, outras tantas amigas tiveram essa mesma experiência, e que eu saiba, nenhuma está arrependida.

A primeira coisa que eu quero esclarecer para você, é que Deus não é um ser entediado que não tem o que fazer da vida e fica criando regras inúteis e difíceis de serem cumpridas para atrapalhar a nossa vida. De jeito nenhum!! Deus é amor, e TUDO que Ele faz é em amor. E se Ele criou o sexo para ser usufruído dentro do casamento, algum motivo tem.

Eu quero começar pelos motivos físicos da coisa. Alguns meses antes de casar eu comecei a ter algumas dores no útero bem esquisitas e fui me consultar com uma ginecologista. Chegando lá expliquei o que estava acontecendo e logo ela fez a pergunta de praxe: você tem feito sexo? A minha resposta: Não, nunca fiz.  E ela: Mmm… Então cai em 90% a possibilidade do que você possa ter. Gente, 90% é muita coisa! Isso significa que se você guarda o sexo para o casamento você está livre de contrair DSTs como HVI, Sífilis, Gonorreia, Candidíase, HPV, Cancro Mole entre outras tantas!!

Outra questão física é a gravidez. Sexo fora do casamento significa a possibilidade de engravidar na hora errada, da pessoa errada. E se ele não quiser assumir o filho de vocês? Quantas histórias vocês conhece de pessoas casadas que engravidaram sem ter planejado? (eu sou o resultado de uma gravidez não planejada dos meus pais, mesmo casados) Ter um filho não planejado dentro do casamento é uma coisa, outra coisa bem mais complicada é ter um filho não planejado FORA do casamento.

Agora, os motivos emocionais: sexo é algo muito íntimo. São duas pessoas se vendo completamente nuas e se tornando uma só. São duas peças de um quebra-cabeça que se encaixam e se tornam uma única imagem. O casamento é um ambiente seguro, o que significa que se da primeira vez que vocês fizerem sexo a coisa não for tãããão boa quanto ele estava esperando, ele não vai deixar de sair com você. Ele não vai ignorar suas mensagens e nunca mais te ligar. Seu marido é seu marido, e ele tem uma aliança com você. Vocês irão descobrir JUNTOS os prazeres do sexo e aprimorar cada vez mais essa maravilha que Deus criou.

Amiga, guarda bem o conselho a seguir: Não se entregue para quem não se entregou por você. Quando um homem promete no altar perante Deus, a família e os amigos que vai cuidar de você, te respeitar, te proteger, aí sim, você pode (e deve hehe) se entregar. Aí você investe no seu melhor lingerie. Mas não perca tempo com quem não prometeu dar o resto dos seus dias a você. Se valorize!!!

Ah…. Mas ele é meu noivo, a gente vai casar daqui 2 meses blábáblá mimimi. De novo: o que te segura é a convicção de que guardar o sexo para o casamento é a melhor opção (E não só é a melhor opção, como também é a opção de Deus). Mas se você ainda não se convenceu disso, eu quero contar sobre a minha primeira vez.

Quando eu comecei a namorar o meu marido, a coisa começou a esquentar. E pelo andar da carruagem, a gente não ia conseguir se segurar até casamento. E então eu vi que precisava tomar uma decisão, porque na verdade até o momento o que me segurou de não fazer sexo com meus namorados anteriores era o medo do que minha família iria pensar, se a igreja iria descobrir, de como Deus iria olhar pra mim. Só que todos esses pensamentos desaparecem na hora que as mãos começam a passear pelo corpo do seu amado e a gente só pensa em sentir mais e mais prazer. E então eu me deparei com algo novo: respeito. Eu não tenho o direito sobre o corpo do meu namorado. Eu não posso fazer o que eu quero com ele. Até aquele momento a minha motivação era meu próprio prazer, e não o dele. Eu estava sendo egoísta. Queria só a parte boa.

No casamento a gente divide tudo que é bom e o que é ruim também. Os problemas do seu marido são os seus também! No namoro, ele leva os problemas para casa dele e eu volto pra minha e durmo em paz na minha cama. Certo, se eu o amava de verdade, eu tinha que parar com qualquer joguinho de sedução que houvesse. Com qualquer coisa que despertasse algum desejo físico mais profundo. Assim, acabei basicamente cortando até aqueles beijos mais quentes. Daquele momento em diante era só selinho pra lá e pra cá. Finalmente eu tinha minha própria convicção. Era isso que eu queria: o namoro ser namoro e casamento ser casamento. Anh? O que isso significa?!?

Caras amigas, o que é namoro? Esse é o momento pra você fazer TODAS as perguntas para ele que você achar necessário, essa é a hora de se conhecer, de conversar, de conhecer a família, os amigos, que cor ele gosta, que comida, quais são seus medos, o que ele gosta de fazer, quantos filhos ele quer ter, qual a cor da parede da futura casa de vocês, entre tantas, tantas, tantas coisas. E meu marido e eu conversamos muito no namoro. A gente gosta muito de caminhar, então a gente ia a algum parque e caminhava, e conversava, e caminhava e conversava mais. A gente fez algumas matérias no seminário juntos, frequentamos cultos e pequenos grupos juntos, oramos, sonhamos e planejamos.

Quando noivamos, sonhamos MUITO com nosso casamento e com nosso futuro apartamento. Um dia em específico que eu gosto muito de lembrar, foi quando nosso apartamento ainda não tinha piso e estava tudo no cimento. Compramos uma caixa de giz e desenhamos no chão nossos futuros móveis. Sonhamos em como seria nossa sala e nosso quarto. Essas são minhas lembranças do namoro. Momentos inesquecíveis. Ele era meu melhor amigo!

Então finalmente chegou o dia do nosso casamento, e também das nossas núpcias!! Nossa cerimônia foi perfeita (pelo menos na minha percepção hehe) e ela ocorreu na mesma pousada em que passaríamos nossa primeira noite juntos. A dona da pousada (que também era cristã) enfeitou nosso chalé com pétalas de rosas (eram tantas que eu acho que ela matou um campo de flores inteirinho por nossa causa!!), colocou velas, um véu sobre a cama e outros mimos aqui e ali. Quando terminou a festa e nos dirigimos ao nosso quarto, meu marido me pegou no colo, igual aquelas cenas de filme (fiz questão hehe) e entramos juntos, e na hora dele tirar meu vestido, nos vimos nus pela primeira vez. Não foi constrangedor, foi exatamente como Adão e Eva se sentiam antes da queda, algo completamente normal, porque quando há a ausência do pecado, nós não percebemos que estamos nus, não há constrangimento. Naquela noite nós aproveitamos ao máximo tudo que nossa estadia oferecia: a hidromassagem, o chuveiro, a cama… E vou dizer que aquela minha primeira vez não foi o melhor sexo da minha vida, porque cada dia fica melhor, mas o sentimento que eu tenho daquela noite é que eu não mudaria nada. Absolutamente nada. E é esse o sentimento que eu desejo para a sua primeira vez.

Gostaria de encerrar com um trecho de Cânticos 8:8-9:

Temos uma irmã pequena, que ainda não tem seios; que faremos a esta nossa irmã, no dia em que dela se falar?

Se ela for um muro, edificaremos sobre ela um palácio de prata; e, se ela for uma porta, cercá-la-emos com tábuas de cedro.

O que esses versículos querem dizer é o seguinte: Temos uma irmã pequena, que ainda não tem seios; que faremos a esta nossa irmã, no dia em que dela se falar – Há uma moça, muito nova, virgem. O dia que ela crescer e for pedida em casamento, o que faremos sobre sua situação?

Opção A: Se ela for um muro, edificaremos sobre ela um palácio de prata – Se ela se guardou, vamos dar honras!!! Esse é um fato muito importante.

Opção B: se ela for uma porta, cercá-la-emos com tábuas de cedro- Se ela for muito aberta, ou dada como se diz atualmente, vamos dar um jeito para que ela se guarde!!

(Visited 378 times, 1 visits today)
Posted in Conselhos de amiga.

Gostou do post? Deixe seu comentário :)