Quando o choro se transforma em glória

O evangelho de João nos conta sete realizações milagrosas de Jesus onde mostrou ao mundo o poder e a glória de Deus. Os sinais são estes:

– A transformação da água em vinho, em Caná

– A cura do filho do funcionário do rei

– A cura do enfermo (paralítico) em Betesda

– A multiplicação de pães e peixes

– Jesus caminhando sobre o mar da Galiléia

– A cura do cego de nascença

– A ressurreição de Lázaro

Mas vamos falar de choro. E este último sinal tem a sua marca própria, este último conta sobre o dia em que o próprio Filho de Deus chorou.

Este milagre é relatado no evangelho de João, capitulo 11, dos versos 1 ao 46.Conta a história de um homem chamado Lázaro, irmão de Maria e Marta, dos quais Jesus era grande amigo e por quem tinha grande amor. Certo dia Lázaro adoeceu e Jesus foi avisado, porém, quando chegou onde este morava, já estava morto havia quatro dias.

A partir deste ponto, façamos alguns levantamentos.

– Novo sentido para tempos de angústia

O texto diz que Jesus amava os três irmãos e no versículo 3, onde Jesus recebe a noticia de que seu amigo está doente, Ele ouve a seguinte afirmação: “Senhor, aquele a quem amas está doente”.

Ao recebermos esta mesma noticia, de maneira inesperada: “(…) querida, sentimos muito, mas aquele (a) a quem amas esta doente”; o que faríamos? Muitas já passaram por esta situação, e a reação geralmente é de aflição, angústia, preocupação e saímos em busca de uma solução rápida.

Diante desta situação, Cristo reagiu de maneira inesperada. Permaneceu ainda mais dois dias onde estava e tranquilamente afirmou: “Esta doença não acabará em morte; é para a glória de Deus, para que o filho de Deus seja glorificado por meio dela” Jo 11.4

Tantos dias em nossas vidas, recebemos noticias tristes, sofremos perdas, passamos por dias realmente difíceis e angustiantes, sentimos que não há o que possamos fazer. Nestes dias uma grande resposta para cada uma dessas situações poderia ser: “… este tempo difícil, não acabará em morte; é para a glória de Deus, para que o filho de Deus seja glorificado por meio dele”, seguindo o exemplo do próprio Cristo e dando um novo sentido àquilo que nos causa tristeza e desânimo.

gloria-de-deus

Mesmo quando chorar, não deixe o tempo passar

Neste momento Jesus já estava correndo risco de morte e sabia que seu tempo de vida era curto, por este motivo foi questionado pelos discípulos sobre os riscos que correria em realizar uma viagem para retornar a Judeia e encontrar seus amigos, mas Ele lhes respondeu: “O dia não tem doze horas? Quem anda de dia não tropeça, pois vê a luz deste mundo. Quando anda de noite, tropeça, pois nele não há luz” Jo 11.9-10

A resposta de Jesus aqui pode parecer um pouco confusa, pois aqui Jesus esta fazendo referência ao seu próprio ministério, mostrando aos discípulos que o tempo de luz é curto e que por isso, precisava fazer o máximo que pudesse enquanto havia tempo.

Nós cristãos temos a Luz do mundo que é Cristo, porém, os nossos dias neste mundo não sabemos quantos são, quantos passaremos rindo e quantos passaremos chorando. Mas neste tempo que temos, o que temos feito? O que tem sido o máximo ou o que seria o máximo aproveitamento do tempo que temos nesta vida para a glória de Deus?

Acima de todas as coisas, creia

Quando Jesus chega a cidade verifica que Lazaro já estava morto há quatro dias. Marta, ao saber que Jesus havia chego, foi ao seu encontro enquanto Maria ficou em casa com muitos judeus que vieram lhe consolar. Marta lamentou-se com Jesus nos verso 21, mas em seguida deixa clara sua fé ao afirmar “Mas sei que, mesmo agora, Deus te dará tudo o que pedires” referindo-se a Cristo. É um exemplo de fé, não se revoltou com o fato de Jesus não ter vindo de imediato ao receber a noticia. Não questionou o amor de Jesus por Lázaro, mesmo o tendo deixado morrer.

Quando Jesus afirma, mediante toda essa situação de luto e dor que Ele é a ressureição e a vida, Marta responde: “Sim Senhor, eu te tenho crido que tu és o Cristo, o filho de Deus que devia vir ao mundo”.

Quando clamamos ao Senhor por sua presença e ação e não visualizamos sua resposta ao nosso pedido, como temos reagido? Temos dito: “Senhor em ti tenho crido”? Ou resmungamos: “Onde esteve e o que fazia que não venho depressa? ”

Tenha em mente: muitos crerão Nele

O verso 33 diz que ao ver Maria chorar e também os judeus com ela “Jesus agitou-se no Espirito e perturbou-se” logo, os originais bíblicos vão dizer que Jesus se irritou com aquela situação e ao ver o tumulo Jesus chorou.

É fato que a morte de um querido trás profunda tristeza ao Senhor. Para Deus, perder uma de suas criaturas é motivo de choro. Para Jesus, perder um amigo é motivo de choro. E para nós, muitas percas são motivos de choro.

E respondendo ao versículo 37: Sim, Ele poderia ter impedido que aquele seu amigo morresse. Assim como Ele poderia ter impedido aquela sua tribulação, aquela sua perca que só você sabe.

Mas o grande marco desta história é que após ressuscitado o homem, Jesus agradece ao Pai e o verso 45 conclui: “Muitos creram Nele”.

Deus permite as tuas lutas para que muitos creiam Nele.

Você, nas tuas lutas, tem permitido que outros vejam Deus operando milagres em ti?

O sétimo sinal do poder de Deus mostrou ao mundo que Ele tem poder sobre a vida e sobre a morte.

Você tem sido prova disto? Muitos creram porque viram em ti o poder da vida eterna por meio de Cristo Jesus?

 

REVENDO E REPARANDO

1 – Temos vivido nossas lutas para a glória de Deus?

2 – Temos aproveitado ao máximo o tempo que temos em vida para a glória de Deus?

3 – Quando somos tentados a duvidar temos a resposta certa: “Senhor em ti tenho crido”?

4 – Quando questionados sobre o poder de Cristo para nos dar a vida eterna dizemos com certeza: Sim eu creio?

5 – Você, nas tuas lutas tem permitido que outros vejam Deus operando milagres em ti?

6 – Outros têm visto em ti o poder de Deus sobre a vida e sobre a morte?

 

Tantas vezes somos crentes temerosos, argumentadores e pranteadores. Tantas vezes temos ouvido consolações afirmando que “Deus quer te ver feliz”, “Você pode todas as coisas”, e subentende-se que para estar feliz, há liberdade para todas as coisas, somos livres para divorciar, para recasar, para adquirir dividas, para não dar o dizimo, para dedicar-se totalmente a carreira (estudantil ou profissional), etc., porque Deus quer nos ver feliz, porque Ele nos ama e nos compreende.

Esta grande mentira tem enganado as novas gerações. Sim, Deus nos ama, nos compreende e tem como benção o prazer e a felicidade. Mas permite as lutas, permite as perdas e sim, Ele permite muitas lágrimas e muito pranto, porque também as nossas lutas e dores, assim como as bênçãos recebidas, têm como finalidade a glória de Deus. Jesus chorou e no pranto glorificou a Deus.

As nossas tristezas são para a glória de Deus e a nossa morte é a vitória eterna e é para a glória de Deus.

Lembre-se sempre e diga para si mesma: Eu vivo para a glória de Deus!

Colunistas-06

Posted in Edificadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *