Mudando de cidade

Reading Time: 3 minutes
Se eu pudesse conversar com a Maiara de exatamente um ano atrás, a única coisa que eu diria a ela é: “Calma guria. Deus está no controle e vai dar tudo certo. Relaxa.” Mas por que eu diria isso? O que aconteceu?
Bom, eu morei a minha vida inteira em uma só cidade, fazendo o mesmo caminho, vendo as mesmas pessoas, congregando na mesma igreja, fazendo compras no mesmo supermercado. Há exatamente um ano eu estava no meio da maior crise que todas as gurias irão passar:

Será que vou passar no vestibular?
Será que esse realmente é o curso que eu quero?
Devo mudar de cidade ou estudar aqui perto?
Não vou me arrepender de estar fazendo tal coisa?
O que devo fazer?

Todas essas perguntas eu entreguei a Deus, juntamente com a minha família. Um detalhe importante no meio de tudo isso: meu pai estava trabalhando em outra cidade fazia alguns meses. E quem tem o pai trabalhando longe sabe que não é a coisa mais legal do mundo. A gente queria estar junto o tempo todo.
Aflita, confusa, indecisa. São essas palavras que descreviam a Maiara de um ano atrás. Eu até tinha planos na minha cabeça, de como eu achava que seria melhor. Porém, este é exatamente o problema: os planos eram meus, e não de Deus. Quando depositei todas as minhas dúvidas nas mãos Dele, as coisas começaram a se encaixar. Passei no vestibular da faculdade da cidade na qual meu pai estava trabalhando. Encontramos uma casa, e havia vaga na escola para o meu irmão… E assim Deus foi encaminhando cada detalhe. Mais tarde, consegui a desejada bolsa de 50% do PROUNI e ainda consegui financiar os outros 50% com o FIES.
Pronto, Deus se mostrou presente e revelou que Seus planos são perfeitos. Em abril deste ano, passei em um concurso do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais da minha nova cidade, e em julho comecei a trabalhar lá! Mais uma bênção gigantesca do Pai. Imagina? Além disso, no Acamzeca de 2012, o menino pelo qual eu sempre fui apaixonada, resolveu “ir falar comigo”. Resumindo: completamos em março um ano de namoro.
Não é fácil adaptar-se a uma nova cidade. De cara tudo é longe, é difícil, é diferente. Mas pouco a pouco você começa a pegar gosto de umas coisas, ou simplesmente não vai gostar de outras, mas se acostuma com elas.
Deus nos mostrou claramente que queria que congregássemos em uma determinada igreja. E lá estamos hoje. Todos nos receberam muito bem, e nos sentimos realmente em casa.
Acredito que o mais difícil foi aceitar que acabou o Ensino Médio.

Que a vida fácil e o fato de ter um ou dois turnos livres tinham realmente acabado;
Que alguns amigos eu talvez nunca mais veja;
Que algumas amizades não permaneçam tão fortes quanto eram antes;
E que eu tinha que aprender a viver aqui e agora.
Estou A-M-A-N-D-O o curso de Direito. A cada dia aprendo mais no meu trabalho. Estou ajudando na Igreja e também este foi um ano que eu me senti mais perto de Deus.
Senti Deus falar claramente em certos momentos, e nunca como antes, eu senti paz sobre a Sua vontade, principalmente quanto ao Augusto e o nosso namoro. Houve momentos em que eu me sentia no fundo do poço, bem no fundo, e parecia que não haveria jeito de sair de lá. Mas Deus, com Sua forte mão, foi até o fim daquele poço, e me puxou de volta. E Ele não desiste de mim, nunca e também não larga da minha mão.
Enfim, eu percebi que quando confiamos e entregamos tudo a Deus, quando deixamos Ele controlar a situação e simplesmente deixamos de lado aquele orgulho de fazer tudo do nosso jeito, Ele realmente surpreende e faz coisas incríveis. Mesmo que a gente não mereça. Isso é graça. Tem uma música assim: “Incrível, não consigo entender. Incrível, quero saber por que me ama como eu sou…” 




Deus nos ama e não nos deixa na mão.
Basta confiar!

Maiara Müller
Carazinho – RS

MyJob: Musicista

Reading Time: 3 minutes

Olá meninas!!

Como estão?
É com enorme prazer que vou compartilhar um pouco da minha profissão com vocês: sou MUSICISTA! Esse termo, na verdade, é um termo geral: Músico/ Musicista, mas nessa profissão, existem muitas áreas e cada músico escolhe as que melhor se adapta e identifica (Ex.: compositor, cantor, arranjador, instrumentista, musicólogo, etc.). No meu caso, desde cedo brincava de ser professora e de fato, sinto um grande prazer em ensinar Música.

Sendo assim, escolhi a área da Educação Musical, mas sem deixar de lado a performance, que também é minha paixão. Essas “milhares” de áreas no campo da Música podem ser trabalhadas juntas ou individualmente e todas acabam se complementando.
Ao escolher minha profissão, ainda adolescente, e depois quando entrei na universidade, não sabia qual caminho da Música iria trilhar. O que já tinha certeza é de que muito antes de eu imaginar ou sonhar, Deus já havia aprovado o Seu desejo do meu coração e traçado tudo conforme a Sua vontade. Creio que todos nós fomos criados para ser verdadeiros adoradores e no meu caso, desde cedo, o chamado já era claro: fui escolhida para exercer a minha profissão, adorando-O com a minha voz e tudo mais que eu pudesse aprender no curso de Música.
Ainda bebê, já balbuciava com afinação as canções folclóricas infantis que ouvia diariamente. Desde cedo, minha mãe como grande apreciadora das Artes, me incentivou a gostar de música, seja ouvindo, cantando, dançando, etc. Logo que fui para a escola, conheci melhor a área das Artes, e comecei a desenvolver, tanto nas visuais como cênicas, além da música e dança. Aos sete anos de idade, iniciei com o estudo da flauta doce e em seguida, teoria musical, e quando havia apresentações vocais, ou de instrumento no colégio, eu prontamente participava. Com doze anos, entrei para o coro da igreja com os adultos e, foi aí, que comecei a descobrir a minha vocação.
Admirava muito a regente do coro, que era formada em Licenciatura em Música pela Universidade Federal e decidi que era o que eu queria fazer para a vida toda – Viver de Música! A partir daí, ainda adolescente, comecei a vivenciar a música de maneira mais intensa, cantando, tocando instrumentos, indo a concertos, e estudando cada dia mais. E aos dezessete anos, a mesma regente e musicista que tanto me inspirou nessa profissão, me ajudou e orientou para que eu obtivesse êxito no vestibular.
Hoje em dia, sou cantora com formação lírica, professora de técnica vocal, flautista e musicalizadora infantil. Meu maior prazer em minha profissão é poder adorar ao nosso Deus, o rei de toda a terra, com harmonia e arte (Salmo 47:7 – NVI), buscando sempre a excelência em tudo o que faço.
  
Abraços,
Emanuelle B Conde
Curitiba – PR

Minha história de amor – Greyce e Anderson – Parte 1

Reading Time: 3 minutes

E aí gurias?
Tudo na santa paz?
Me chamo Greyce e vou contar minha história de amor, mas como ela é mais comprida que esperança de pobre (risos) vou ter que postá-la em partes…
Como a maioria das meninas, quando menina sonhava com meu “príncipe encantado”. Não pensava que viria em um cavalo branco, pois sempre fui realista, mas afinal de contas, podia sonhar com alguém especial. Fui educada em um lar cristão e desde cedo aprendi orar pela pessoa que Deus tinha para mim.
No início eu sonhava com um “moreno de olhos azuis”. Achava o máximo e pensava: -“Ah, para dar certo comigo, tem que ser um cara calmo, tranquilo, para poder me aguentar”… digamos que eu achava que aquele padrão “fechava” comigo. Obviamente que sempre orava, pedindo que Deus estivesse preparando a pessoa para mim, mas tinha em mente que aquele “tipo” era o melhor.
No ano de 2000 comecei estudar no então, Seminário Teológico Batista de Ijuí (hoje Faculdade Batista Pioneira). Morei um mês no seminário e para cortar custos fui morar na casa de uma tia muito querida que residia próximo. A maioria dos colegas eram meninas, havia somente dois meninos solteiros, e eu e a outra colega que morávamos fora, tivemos que recorrer à ajuda destes para não voltarmos sozinhas à noite, pois era perigoso.
Um deles era meu conhecido de muitos acampamentos. Sempre o achei “lindo”, mas as meninas “caiam em cima” então nem pensar… afinal de contas eu não podia me apaixonar, “isso é errado”, pensava.
Durante praticamente um ano estes rapazes nos acompanhavam até nas casas. Muitos colegas “corneteavam” a gente dizendo: “Isso vai dar casamento ainda!” Eu nem ligava porque precisava “da carona”, além do mais tinha “lido” (como se adiantasse só ler) muitos livros sobre namoro e casamento e o tempo todo alguém vinha e falava: “Cuidado com o coração! Ele é enganoso! A paixão não presta!”.
E pensava: “Se eu me apaixonar, já acabo com isso no início! Isso é pecado!”.
Com o passar do tempo comecei a gostar mais que esse moço levasse a gente. E além de “torcer” para que ele levasse, esperava que ele deixasse antes a minha colega, depois me deixasse na casa da minha tia. Era tão agradável conversar com ele… Foi então que o alarme soou alto e retumbante na minha mente:
“ATENÇÃO APAIXONADA! PERIGO! PERIGO!”
Me deparei com a “triste” realidade de que estava apaixonada. E o pior, que ele também podia estar, porque afinal de contas levava sempre antes a minha colega do que eu. Ele ficava conversando comigo no portão. Me dava flores que achava pelo caminho.
Ele podia estar gostando de mim sim! Mas, isso era totalmente errado. Era pecado. Não podíamos estar apaixonados. Isso não era amor. Era armadilha. Não podia ser! (Pense só…).
Ao mesmo tempo me pegava pensando nele, imaginando se um dia ele tentasse me beijar, coisas de apaixonada… mas na hora vinha aquela voz:
“Proibido! Pecado!”
Isso foi uma tortura. Era uma luta entre razão e a emoção, mas a razão venceu! As férias chegaram e cada um foi para sua casa. As aulas começaram novamente e tive umas complicações de saúde que me fizeram voltar umas duas semanas depois para a aula. Estava ansiosa para encontrá-lo, mas tive a notícia de que ele tinha desistido do curso. O pai dele tinha quebrado o pé e não podia mais trabalhar, então ele teve que desistir e foi embora…
Continuo no próximo post…
Abraços,
Greyce Karoline Hepfner Scholz
Ijuí – RS

Autenticidade

Reading Time: 2 minutes

“A maior virtude do ser humano é manter um sorriso nos lábios enquanto o coração explode de dor”.
Li essa frase em uma publicação na rede social (Facebook) e fiquei realmente indignada em ver como as pessoas colocam esse princípio como sendo maravilhoso nos tempos de hoje. A falsidade e o individualismo, infelizmente estão cada vez mais comuns, e as pessoas preferem usar “máscaras” ao invés de serem elas mesmas. E o mais chocante é ver como tudo isso é encarado como “a maior virtude do ser humano”.
Pensamentos como “posso estar me sentindo mal, mas preciso aparentar que está tudo bem, assim com certeza ninguém vai ficar me julgando ou oferecendo ajuda”. Ideias como essa com certeza irão acarretar inúmeras explicações, de acordo com a realidade vivida por cada indivíduo.
Alguns podem justificar que isso ocorre devido à competitividade que esta impregnada ao nosso dia a dia, afinal nossos ambientes de trabalho exigem muitas vezes que nos mostremos superiores, sem jamais mostrar alguma fraqueza com o objetivo de obter alguma vantagem frente aos demais.  Ou talvez possamos encontrar explicação para essa atitude dizendo que é uma forma de nos proteger da vergonha, de expressar quem realmente somos, do medo de não sermos aceitos, da insegurança frente à reação dos demais, ou até mesmo, para encobrir algumas atitudes que são totalmente erradas aos olhos de Deus.
Podemos optar por usar máscaras a vida inteira, vivendo de forma vazia e falsa diante dos homens, afinal estes conhecem apenas nosso exterior. Entretanto, existe Alguém que nos conhece tão intimamente, que não somos capazes de tentar esconder qualquer simples pensamento. Não há como olhar para Deus e dizer que está tudo bem, quando a realidade não é essa, pois se o fizermos, estamos mentindo para nós mesmos.
No Salmo 139 percebemos que Deus conhece nosso interior, muito mais que nós mesmos. Não há como esconder quem somos diante Daquele que deu origem a nossa vida. Para sermos autênticos em nosso dia a dia, precisamos decidir viver de acordo com Colossenses 1:10, de modo digno do Senhor, para frutificarmos em toda boa obra e crescer no pleno conhecimento de Deus. Somente assim, poderemos ser verdadeiros com os que nos cercam, sem medo de qualquer acusação ou reação adversa.
Certamente não será uma tarefa tão simples, a de mudar atitudes tão impregnadas em nossos hábitos. Entretanto, podemos contar o auxílio Daquele que pode todas as coisas, e que é capaz de sondar nosso coração, a fim de nos moldar, segundo o seu caráter, desta forma não estaremos sozinhos.
Mas, certifique-se de que realmente você quer mudar suas atitudes, pois se você pedir a ajuda de Deus, Ele vai colocá-lo em diversas oportunidades para que você demonstre seus sentimentos verdadeiros, sem se esconder atrás de uma aparência enganadora.
Vamos ser autênticos e demonstrar as verdadeiras atitudes de um sincero cristão.

Um abraço,

Katiúcia Lemos Sandri Centenaro
Getúlio Vargas – RS

É tanto trabalho…

Reading Time: 2 minutes

Nestes dias a gente só tem correria – sempre estamos com pressa – há muita coisa a fazer e parece que nossas horas têm minutos a menos… E algumas tarefas parecem inadiáveis – urgentes mesmo! Acresce que não há “outra pessoa no mundo” que possa fazer o que é nossa tarefa pessoal – somos indispensáveis. Para agravar o quadro, nem sempre somos sábias o bastante para “eleger” o que é prioridade e que merece nossa atenção e trabalho! 

E tem também aquele nosso “próximo”, que está sempre a nos cobrar…
Acontece que nossas mãos, por mais eficientes que sejam não podem garantir que façamos tudo, a tempo e hora, e na medida correta. Existem “tarefas” que estão fora do nosso alcance, não importa nosso grau de competência. 
Por exemplo, não são nossas mãos que “garantem o pão de cada dia” – é tarefa de Nosso Pai Celestial; não é o corpo belo que garante o cônjuge fiel – depende da maneira como o casamento está sendo edificado, no dia a dia, e depende da obediência (de ambos) à orientação de Deus. 
As situações são tão diversas e aparecem sem planejamento, que nos sentimos perdidas.
A Palavra de Deus tem uma proposta surpreendente para esta situação: “… agrada-te do Senhor e Ele concederá os desejos do teu coração; entrega o teu caminho ao Senhor e Ele tudo fará…”(Sl 37:4,5) (Geralmente só citamos a 2ª parte deste texto, mas a 1ª é essencial).  
Agradar-se do Senhor supõe ficar contente quando estamos em Sua Presença – seja na oração ou no estudo de Sua Palavra. Trata-se de gastar mais tempo com Ele, só aprendendo e adorando.
Significa desligar a TV (ou o face) e reservar alguns minutos para orar, ler um livro que edifica, a fim de nutrir a mente com alimentos de qualidade. Quando não estamos habituadas, parece enfadonho, no começo (mas dá para começar com poucos minutos e depois ir aumentando). 
Mas, se persistirmos, nossa vida vai se tornar mais fácil e melhor a cada dia – e Deus responde de maneira fantástica.
Quem já experimentou, sabe as surpresas que Ele nos prepara – em coisas mínimas.
Ele dá presentinhos incríveis – d e t a l h a d o s, para cada necessidade! 
Deus é Pai – a gente sabe – e Ele “adora” mimar as suas filhas – é só abrir espaço! 
Um abraço,

Liete Beuter
Florianópolis – SC

Palitos Integrais da Camila

Reading Time: 1 minute

Ingredientes:
100g de queijo parmesão ralado
 copo de leite (desnatado)
½ copo de óleo
1 colherinha de sal
1 colher sobremesa de Royal
1 xícara de fibra
½ xícara de gergelim
2 colheres de orégano ou alho
Farinha de trigo até dar ponto
Sal a gosto

Preparo:
Misturar os ingredientes, depois abra a massa com o auxílio de um rolo. Corte em tiras finas (+ou- 1 cm). Colocar em assadeira polvilhada com farinha de milho. Assar em forno médio.

Camila Centenaro
Getúlio Vargas – RS

Meu livro preferido é…

Reading Time: 2 minutes

Em busca da alma feminina

Gosto muito de ler e um dia estava conversando com minha irmã sobre livros bons de autores cristãos, que utilizam a bíblia como base (temos que cuidar com isso, às vezes lemos uma frase super legal, mas que se analisarmos bem, não está dentro das verdades bíblicas), ela me falou de um livro.
Quando me disse o nome do livro “Em busca da alma feminina” eu achei estranho e não me interessei por ele. Mas, mesmo assim, minha irmã me emprestou. Ele estava comigo há mais de um ano, e quando voltei do Acajumer 2013, interessada com o projeto Fémenina, resolvi ler o tal livro…
Enfim, quando terminei de ler tive vontade de lê-lo novamente Ele fala exatamente sobre as coisas que pensamos, agimos e sentimos e, ainda, como Deus quer cuidar de tudo para nós, meninas, mulheres, princesas.
Fala que precisamos buscar e confiar Nele sempre, em qualquer situação e em todas as áreas de nossa vida. Somente desta maneira seremos as mais belas, mais fortes, insubstituíveis, cativantes, felizes e AMADAS, pois entregamos nosso coração para O Herói Jesus!  
“Seu coração de mulher é a coisa mais importante a seu respeito.”  p. 22
“Toda mulher tem uma beleza para revelar. Toda mulher.” p. 59
Não posso contar mais! Mas é muito bom mesmo, leiam!
E se durante a leitura surgirem dúvidas, procurem mulheres experientes e conselheiras para ajudar.
Um grande abraço,
Karina Scheibner
Tuparandi – RS