Minha verdadeira lista de ação de graças: coragem para estar quebrantada.

Você não precisa morrer para sentir que não está realmente vivo.

Você pode até ser amada pelo homem dos seus sonhos, cujos braços de esposo circundam sua cintura durante a noite. Você pode amar os dois meninos mais lindos do mundo, os quais você sempre lembrará descansando recém-nascidos quentinhos e leves no seu peito. E ainda assim, sentir que há algo faltando lá dentro.

É difícil falar com as outras pessoas sobre algo que é difícil para você mesma encarar. Eles podem pensar que você está sendo ingrata, ou que você não está contando suas bençãos. Eles podem pensar que a sua fé é inoperante. Mas as coisas não são desse jeito. Há algo mais profundo acontecendo.

O lugar lá dentro…

Eu sei como é. Como é ter que se virar sozinha. Estar bem. Se sentir entorpecida em lugares que ninguém consegue ver. Eu em minha infância… ainda sozinha… segurando as pontas. Este sentimento não aparece quando estou no trabalho, ou participando de uma conferência. Ele não está presente quando estou passeando com minhas amigas, ou quando estou na igreja, onde tudo está onde deveria estar. E se você me vê no mercado, levando meus filhos para o futebol, cuidando da casa, você pensaria que tudo está bem.

Este lugar lá dentro de mim onde me recomponho, é onde vou quando estou me sentido deprimida, confusa ou estressada. Na privacidade da minha alma, onde as memórias estão, estão também as minhas feridas.

Fé maior.

Você sabe que o mês de novembro é a época do ano quando falamos sobre sermos agradecidos. Mas para alguém como eu, que está atravessando a jornada da cura, tendo que me lembrar de todas as pessoas, lugares e histórias que me machucaram, as coisas pelas quais sou grata podem não ser aquelas que estão na lista das outras pessoas. Antes da minha jornada através da ansiedade debilitante, eu conseguia ignorar o sentimento de vergonha por crescer num lar com muitos problemas. Eu queria me tornar forte e corajosa por ser competente. Eu não entendia que Deus poderia me fazer forte e corajosa estando quebrantada. Eu era nova em minha jornada de fé. Naquele tempo, quando eu era apenas uma garotinha, eu não entendi que se precisa de uma fé muito maior para ser quebrantada do que para ser competente.

Ainda assim…

É o que Jesus escolheu no Jardim do Getsêmani, na noite que todos estavam relembrando a Páscoa e agradecendo a Deus por estarem a salvo da morte. Foi a noite que Jesus escolheu não estar a salvo da morte. Foi a noite que Jesus se sentiu morrendo…

Ainda assim, ele celebrou a Páscoa com seus amigos mais chegados.

Ainda assim, ele agradeceu a Deus pelo pão.

Ainda assim, Jesus agradeceu pelo vinho.

Jesus confiou.

Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se.

Disse-lhes então: “A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem

aqui e vigiem comigo” (Mateus 26.37,38).

Jesus não queria a dor, mas ele nos queria ainda mais.

Então, Jesus escolheu estar quebrantado.

E neste tempo de ação de graças, meu coração está se abrindo.

Minha alma está acordando com cada memória dolorosa que está emergindo.

Estou dando um passo para fora do meu estado de dormência, para agradecer. Não porque eu sou forte ou porque está tudo perfeito. Eu possuo algo este ano, o qual eu nunca possuí antes. Eu tenho um coração que está se tornando verdadeiro.

Minha real lista de ação de graças.

Este ano eu estou abrindo meu coração para a minha verdadeira lista de ação de graças:

Se eu estou necessitando de algo, então, posso iniciar uma nova jornada em busca de conforto.

Eu posso me sentir triste, logo eu não preciso viver separada do meu coração. Eu posso chorar e me sentir com medo porque isso significa que eu sou uma pessoa de verdade.

Eu não preciso querer o sofrimento, mas eu posso escolher abraça-lo. Pois Deus não vê isso como vergonhoso. Ele ficará ao meu lado, o tempo que for preciso.

Eu posso estar despedaçada, pois Jesus está me segurando graciosamente e suas lágrimas estão caindo nas mãos vacilantes, por terem orando em silêncio com tanta força e por tanto tempo.

Eu sou grata pois eu posso ouvi-lo sussurrando: “Eu não esqueci de você. Eu não vou te deixar”… de novo e de novo. Mesmo quando eu só consigo lhe retribuir com soluços e dizer: “Eu não quero isso, eu não quero isso”.

Eu sou agradecida porque finalmente posso parar de olhar para as minhas feridas e tentar descobrir como elas foram parar lá.

Eu estou aprendendo a dizer não de maneiras que eu nunca ousei – e dizer sim para mim mesma e para Deus.

Eu sou agradecida porque posso sentir o cheiro da chuva e lembrar dos sonhos que eu abandonei. Então, perguntar para Deus, se eu posso prová-los novamente. Eu posso perguntar para Deus “É tarde demais?”, e ainda duvidar, pois Deus é fiel mesmo quando eu não sou.

Eu sou agradecida pelas coisas lindas que tenho encontrado quando estou devastada por precisar deixar ir…

Eu sou grata pois posso estar quebrantada e ser eu mesma. Porque ainda assim, Jesus me escolhe.

Algo lindo!

Tenho feito novos amigos que entendem que ambos, tristeza e alegria podem coexistir. Pessoas que não estão tentando me consertar. Amigos que confiam que o amor é maior do que qualquer resolução. Amigos que entendem que a jornada da fé nos tira um pouco do script. Pessoas que compartilham suas próprias histórias de lutas e seus sonhos.

Pessoas que podem tocar lugares profundos. Amigos que se lembram que a terra já foi sem forma. Vazia. Contudo, Deus estava se movendo ali, fazendo algo novo e profundo. Algo lindo e verdadeiro. E era tão real, que quando olhou para aquilo que estava segurando em suas mãos e soprou dentro do barro, Ele viu algo vir à vida. Algo que Ele nunca havia feito antes. É isso que Deus vê olhando para o meu e o seu coração hoje.

Ele está fazendo algo lindo de você.

Lembre-se…

Enquanto nós atravessamos o tempo de ação de graças, e todas aquelas imagens e histórias perfeitas são mostradas, lembre-se que a verdadeira lista de ação de graças ganha forma dentro do coração de Deus e do seu coração. Essa lista ganha vida através das histórias reais, nas quais Deus caminha ao seu lado, nos capítulos que você está vivendo agora. Hoje. Nós podemos ser gratas. Jesus continuará nos amando – do mesmo jeito que Ele chama as estrelas através da noite escura todos os dias. Ele sussurra o seu nome e o meu.

“Só ele cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas. Ele determina o número de estrelas e chama cada uma pelo nome” Salmo 147.3,4.

O que Deus está sussurrando ao seu coração hoje?

Qual sua verdadeira lista de ação de graças?

Disponível em: http://www.ibelieve.com/blogs/bonnie-gray/my-real-thanksgiving-list-courage-to-be-broken.html. Acesso em: 29 de outubro de 2015. Escrito por Bonnie Gray e traduzido por Roberta Ernst.

Colunistas-09

 

(Visited 102 times, 1 visits today)
Posted in Conselhos de amiga.

Gostou do post? Deixe seu comentário :)