Minha História de Amor – Valeska e Wagner

A minha história de amor começa assim: eu estava em perigo e ele, o meu príncipe encantado, montado num cavalo branco me salvou do vilão malvado. Nos apaixonamos, casamos e vivemos felizes para sempre.
Oops! História errada. Essa é a história que nós meninas crescemos ouvindo e lendo nos livros de contos de fadas, que tem como frase final: “E eles viveram felizes para sempre”. Creio que toda garota, ou pelo menos a grande maioria delas, sonha em viver uma história de amor. Eu me incluía nessa maioria. Sempre li muitos livros de histórias de amor, e como todo romance que se preze, todos tinham um final feliz. Eu vivia sonhando acordada esperando pelo dia em que encontraria o meu príncipe encantado. Foi nesse período de sonhos e realidade que conheci Jesus. A minha conversão foi genuína, eu não conseguia conceber a vida sem Ele. Também senti que Deus me chamava para servi-LO de uma forma especial, atendendo o chamado para ir falar ao povo perdido. Foi então que fiz um voto ao Senhor, e disse a Deus que só namoraria o rapaz que fosse o meu marido, e que eu queria que Ele escolhesse esse servo dEle para mim. Pronto! Agora era só orar e vigiar. Em minhas orações sempre pedia a Deus para me abençoar com um varão totalmente temente a Ele. Mas, eu não me importaria se esse servo fosse loiro, alto, magro e de olhos azuis. ‘Era a minha preferência na época’. Rssss. Foi então, que esperando em Deus pelo varão, mas de certa forma idealizando-o em minha mente, passou-se um, dois, três, quatro, cinco, seis anos e nada da minha benção aparecer. Cada dia dos namorados era uma tristeza, pois me trazia à memória que estava faltando alguém para dividir a vida comigo. Ao findar do sexto ano indo para o sétimo, caiu a ficha, eu estava pedindo a Deus de forma errada, não tinha dado a Ele, a total liberdade para escolher também o biotipo da benção que Ele queria me dar. Então, reformulei a minha oração, e disse para Deus: “Senhor, eu te disse que só namoraria a pessoa que o Senhor escolhesse para ser o meu marido, e disso eu não abro mão, mas na minha inocência e imaturidade acabei idealizando como ele seria. A partir de hoje não pedirei mais um varão do jeito que eu quero, eu quero o que o Senhor quiser para mim, pois a sua escolha é sempre a melhor, sendo ele loiro, baixo, alto, magro, gordo, negro, branco ou moreno”. Foi exatamente essa a minha oração naquele bendito dia. Assim eu orei e descansei. 
Passando um mês mais ou menos apareceu na igreja onde eu congregava, um rapaz chamado Wagner. Ele era convertido, moreno, magro, não era alto, mas também não era baixo.O primeiro contato com Wagner foi num encontro de oração. Neste dia, no momento da oração demos as mãos para orar e ele segurou a minha mão. Senti Wagner cheio do Espírito Santo de Deus. Me arrepiei toda. Eu pensei, esse rapaz é diferente, ele tem algo especial, mas minha melhor amiga logo ficou interessada nele aí eu nem tive tempo de pensar se poderia ser o ‘príncipe’. Cheguei a crer sinceramente que Wagner era o par ideal para minha amiga. No entanto, para mim não. Com o passar do tempo e após algumas tentativas, fui o cupido para minha melhor amiga e Wagner, mas não deu certo. Resumindo: à medida que eu fazia campanha em prol da minha amiga e Wagner, acabamos nos conhecendo melhor e ficamos amigos. Tempos depois, minha amiga reconheceu que ele não era para ela e então começamos a namorar. Seguimos todo o processo natural: namoramos, noivamos e casamos no dia 17 de Setembro de 2005. Estamos casados há dez lindos anos.
Deus me honrou. Nesse tempo de espera, apareceram alguns pretendentes que não amavam a Deus, apesar de me sentir tentada, eu disse não a todos. Eu sentia nessas ocasiões que Deus me dizia: Este rapaz é só um piquenique, o que eu quero te dar é um banquete.
Queridas moças e irmãs em Cristo, vale a pena esperar em Deus pelo banquete. Eu sei que o diabo mandará para vocês muitos piqueniques (rapazes sem compromisso com Deus), que as farão desviar da fé e dos propósitos de Deus para suas vidas. Deus tem reservado para cada uma de vocês um banquete maravilhoso: um servo dEle. Por isso, não abram mão da vontade dEle numa área tão importante de suas vidas. O tempo que esperei por meu esposo foi importante, foi um período de preparação da parte de Deus para moldar algumas coisas em mim e me preparar para o seu propósito. Louvo a Deus por isso. 
Ah, já ia me esquecendo: como disse antes que Deus tinha me chamado para uma missão especial, orei a Ele para que Wagner também fosse chamado. Deus mais uma vez respondeu a minha oração. Em 2004, Wagner e eu fomos juntos para o seminário teológico, e hoje estamos em nosso segundo ministério servindo na Igreja Batista em São Luís em Santa Maria de Jetibá no estado do Espírito Santo.

Temos uma filha linda e abençoada chamada Victória.

Deus é bom, vale a pena esperar nEle mesmo que aos nossos olhos demore.
Eu sou Valeska Alessandra, serva do Deus Altíssimo, auxiliadora de Wagner Ferraz dos Santos, o meu príncipe encantado. E estamos vivendo um dia de cada vez…

Felizes até que a morte nos separe! Abraço queridas!
“Esperei com paciência no Senhor, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor”. (Salmos 40.1).
Valeska Alessandra
Santa Maria de Jetibá/ES

(Visited 107 times, 1 visits today)
Posted in Minha história de amor.

Gostou do post? Deixe seu comentário :)