Minha história de amor – Felipe e Adriana Balaniuk – Parte 2

…Continuação…
Ele estava nervoso, mas muito seguro de seus sentimentos e de suas intenções: ele veio me dizer que queria… casar comigo. Simples assim! Hahaha… CASAR!
Nessa conversa que tivemos, ele me disse que chegou a gostar de algumas meninas e até chegou a orar com algumas delas, mas que Deus sempre o alertou de alguma forma que não era nenhuma delas, e claro, isso o frustrava, pois ele sentia o desejo de ter alguém. Mas, em meio a essas decepções ele fez um propósito com Deus: que o Senhor o guardasse de sentimentos enganosos e o ajudasse a permanecer firme em esperar sua esposa, e que a próxima mulher que ele realmente gostasse deveria ser somente a mulher que ele casaria.
Quando ele começou a gostar de mim, ele teve certeza de que eu seria a sua esposa. Ao ouvir isso, fiquei um pouco assustada, mas mais segura diante dessa situação e confiante, pois realmente vi que o Felipe era aquilo que ele externava: um cara comprometido em viver a vontade de Deus. Afinal, não são muitos os caras que ao te abordarem para falar de seus sentimentos já falam em casamento, mesmo antes de namorar e beijar! Passei a admirar o Felipe ainda mais e assim, comecei a ver que talvez eu estivesse no caminho certo. Então aceitei ter um tempo de oração com ele para a confirmação de Deus para nosso relacionamento. Mas ainda assim eu estava insegura e tinha muito medo de estar fazendo a coisa errada, pois eu tinha sentimentos pelo Felipe, mas não era nada daquilo louco e avassalador que eu via em filmes românticos. Isso me deixava bem insegura. E eu realmente não queria magoar o Felipe, nem dar mau testemunho e muito menos estar desobedecendo a Deus.
Um dia, voltando de uma aula de canto com um amigo nosso em comum, hoje nosso padrinho de casamento juntamente com sua amada esposa e minha grande amiga, ele me perguntou quando eu ia tomar a decisão de namorar com o Felipe e eu respondi que ainda tinha muito medo e estava insegura. Ele então me disse que essa decisão, por mais incrível que pudesse parecer, deveria ser racional, e que eu estava deixando meus sentimentos embaralharem minha mente e minhas decisões. Eu deveria analisar racionalmente quem era o Felipe, o que ele significava para mim e se eu gostaria de viver ao lado dele para sempre como sua esposa. Aquilo fez tanto sentido para mim que me tirou um peso das costas e eu realmente analisei racionalmente toda aquela situação e decidi que queria sim o Felipe como meu marido e como meu pastor para toda essa vida. Orei a noite quanto a isso e de manhã aceitei seu pedido de namoro! Depois que tomei essa decisão todo aquele medo de me entregar de verdade se transformou em uma grande paixão e em um grande amor.
 E assim Deus foi confirmando de várias outras maneiras: nossa família nos apoiou e se agradou desse namoro, nossos amigos cristãos e firmes em Cristo tinham paz a nos apoiavam da mesma forma, e mesmo pessoas não tão próximas a nós nos davam palavras de incentivo e nos abençoavam. Realmente, Deus é um Deus de paz e não de confusão. Vale a pena ressaltar que não começamos a namorar por pressão de nossos amigos ou por eles “meterem pilha”, pois vejo hoje que muitos namoros no meio cristão começam mais por pressão dos amigos e das circunstâncias do que por uma decisão verdadeira e pessoal e infelizmente, isso quase nunca termina bem. Enfim, vimos a mão de Deus em cada decisão e Deus foi muito misericordioso e bondoso conosco.
Nosso primeiro beijo aconteceu algumas horas depois do início do namoro em um banquinho da faculdade (por isso no bolo do nosso casamento escolhemos colocar nossos bonequinhos sentados em um banquinho). 

Estávamos muuuuuuuito envergonhados! Eu já havia beijado, pois infelizmente quando era do mundo “fiquei” com alguns meninos e depois tive um namorado, mas o Felipe, realmente escolheu esperar! Ele, um rapaz bonito (lindo! Na minha opinião… hehehe…)  e comprometido com Cristo, nunca havia beijado nenhuma mulher! Exemplo para mim de alguém que realmente tinha suas convicções e sentimentos firmados na Palavra. No fim, deu tudo certo nosso primeiro beijo e depois vieram muitos outrooos! Hehehe… 
Como mesmo antes de nos beijarmos já falávamos em casar, o casamento era algo claro e certo para ambos. Começamos a orar quanto a isso, pois queríamos casar antes de nos formarmos para termos um tempo juntos antes das novidades do ministério. Sabíamos que talvez nossos pais pudessem se assustar com essa decisão tão rápida, mas oramos e jejuamos quanto a isso e falamos para Deus que a resposta dos nossos pais seria a resposta dEle, e que aceitaríamos seja qual fosse essa resposta. Quando falamos da nossa intenção de nos casar aos nossos pais eles ficaram muitos felizes e deram total apoio! Não havia mais dúvidas de que Deus se agradava e estava abençoando nosso relacionamento. Com sete meses de namoro, noivamos e sete meses depois, no dia 18 de dezembro de 2010 nos casamos. 
Em 2011 nos formamos juntos e eu já estava grávida (mas não sabiaaaa… hehehehe…)…
…e em tudo somos parceiros e estamos juntos. Hoje já temos nosso filhote João Pedro de 3 aninhos. Ele é outro grande presente dos céus para nós. 
Como casal, somos realmente muito felizes juntos, melhores amigos, parceiros em tudo, conversamos muito, rimos da cara um do outro e temos um relacionamento muito bom, pela graça de Deus! Louvo a Deus pela bênção de ter o Felipe como meu marido. Ele é um presente de Deus em minha vida e eu realmente desejo que cada uma de vocês que ainda não encontrou seu servo (príncipes são mimados :P) possam encontrar no tempo certo e perfeito de Deus, pois, realmente, casar é TUDO DE BOM!
Meninas, lembram que havia perguntado lá em cima o que minha vida espiritual tinha a ver com minha história de amor? Pois é, meninas, tem TUDO a ver. Eu quis ressaltar isso porque as maiores decisões de nossa vida (e uma delas sem dúvida é o casamento) devem ser feitas aos pés da cruz de Cristo. Sem comunhão profunda com Jesus Cristo não temos garantia de sucesso em nada do que fizermos. Eu comecei a gostar do Felipe em um momento que eu estava muito bem com Deus, buscando-O intensamente e feliz, independente das circunstâncias. Isso quer dizer que quanto mais perto do Senhor nós estamos mais claros nossos sentimos se tornam e mais fácil é de tomarmos decisões acertadas. Há uma frase que diz: “O nível de nossa comunhão com Deus define a escolha do nosso cônjuge”. E isso é a mais pura realidade. Busquem a Deus com toda humildade e intensidade e no tempo devido Deus atenderá os desejos dos seus coraçõezinhos!
É isso aí, queridas FéMeninas! Que Deus abençoe a vida de cada uma e as guie em suas escolhas! Bjinhos suas lindas! :*
Felipe e Adriana Balaniuk
São Miguel do Oeste/SC
(Visited 96 times, 1 visits today)
Posted in Minha história de amor.

2 Comments

Gostou do post? Deixe seu comentário :)