RELACIONAMENTOS SÃO COMO COMIDA

Espero que você, cara leitora, possa entender minha analogia sem nenhuma maldade. Mas pensando seriamente com meus botões me dei conta que relacionamentos são como comida. Perigosos e essenciais, precisamos de prudência para fazer a melhor escolha. Por mais que a pessoa seja alguém que come de tudo, não é sempre que se quer comer qualquer coisa. E isso depende de um fator muito importante que chamamos de “saciedade”.

Quanto mais saciados, melhor descobrimos o poder de escolher bem o que e quando comer. Embora sinta o desejo incrível de comer um bolo de cenoura coberto de chocolate, quando estou saciada da fome esse bolo não passa de um desejo, um aperitivo, que posso comer naquele momento apreciando cada detalhe do sabor, ou simplesmente conseguirei imaginá-lo sendo consumido uma outra hora, sem maiores problemas. Por outro lado, quando estamos famintas aceitamos qualquer coisa comestível, não importa o valor nutricional, se é que há. As vezes nem olhamos o prazo de validade ou informações nutricionais, se é cancerígeno ou está cheio de bizarras manipulações até chegar à sua boca.Leia mais…

Feminilidade Radical – 1º dia: Feminismo e Feminilidade

Daqui há 24 dias, estaremos nós, lindas e formosas, participando do tão esperado 3º Congresso FéMenina… (Se você ainda não fez sua inscrição, corre que dá tempo!!). E, para dar um gostinho de “quero que chegue logo dia sete”, vamos falar um pouquinho de um dos assuntos que veremos em Santa Maria: Feminismo e Feminilidade.

“O que significa ser uma mulher e não um homem? Qual a importância da nossa habilidade de dar luz a filhos? Como devemos lidar com a nossa sexualidade? Devemos estruturar nossas carreiras da mesma forma que fazem os homens? Qual é o propósito de ser uma esposa? ” ¹.

Bom, provavelmente você tenha as respostas na sua mente… talvez não bem formuladas, mas alguma opinião sobre esses pontos você tem. A questão é: será que as nossas respostas estão baseadas na Palavra de Deus, a Bíblia, ou tem como referências músicas, textos populares, propagandas, conceitos, estilos de vida ou pessoas que nos cercam?

Leia mais…

Minhas razões para viver – Deus tem um Plano para mim

Olá meninas, esse tema ao mesmo tempo que é muito confortante é desesperador!

É maravilhoso saber que Deus está no controle, e que Ele nos conhece como ninguém, mas também é muito assustador perceber que até o certo dá errado, que o objetivo não é alcançado, que os sonhos não dão certo, que a história nunca é do jeito que a gente imagina, aí nesse momento você se pergunta, mas será que DEUS TEM UM PLANO PRA MIM?

Pois é, às vezes é difícil acreditar. Mas Deus na sua maravilhosa graça nos deixou a sua Palavra, e nela vários exemplos de vida que nos confrontam e confortam para termos uma vida de Fé, meninas!

Leia mais…

Me salvou.

Como ministério FéMenina, queremos te convidar a compartilhar o que Jesus fez na sua vida. Muitas pessoas, precisam saber disso para encontrarem a esperança e salvação que você também encontrou.

No mês de abril, vamos comemorar a Páscoa – e queremos todos os dias, em nosso blog, compartilhar que Jesus nos salvou.

Quer um desafio para os próximos dias?Leia mais…

Aqui está o meu coração

O amor é a flor mais bela no jardim de Deus dos traços de caráter.

Erin colou um grande coração vermelho na frente do cartão que ela estava fazendo. Era importante que o cartão ficasse do jeito que ela queria, porque ele era para a vovó que morava no Maine.

A avó havia ficado doente, e Erin esperava que o cartão pudesse animá-la.

A mãe da Erin entrou na sala de estar e olhou para o cartão.

-Não entendi, Erin! – ela disse. -Parece um cartão de Valentines day¹. Mas estamos em julho.

-Eu seu, -disse Erin assim que ela terminou de escrever no cartão. -Eu estava pensando no que o Pr. Miles disse no último domingo, que quando entregamos nossos corações a Jesus estamos prometendo amá-lo para sempre, da mesma maneira que Ele vai nos amar para sempre. Eu estou dando esse coração para a vovó para que ela saiba que eu também vou amá-la para sempre.

Leia mais…

O coração dela e sua humildade

Essa grande mulher de Deus, favorecida entre as mulheres, recebeu uma visita pouco comum, o anjo Gabriel foi enviado para contar-lhe que ela foi a escolhida para gerar o filho de Deus! Que assombroso e maravilhoso anúncio! (Lc. 1-28)

Fico pensando em como o seu coração recebeu a saudação e logo após a grande notícia que mudaria a história, não somente a dela, mas a de toda a humanidade, embora Maria não contemplasse naquele momento todas as nuances do plano salvífico do Pai.

A história continua narrando, que Maria, fez uma visita a sua prima Isabel, que também estava grávida do então profeta João Batista, aquele que prepararia o caminho do Senhor. Mais uma vez Maria é elogiada de maneira intensa e alegre! (Lc1-42). E ela demonstra um coração voltado para o Senhor Deus. Em momento algum, ao lermos a trajetória de sua vida, nos deparamos com orgulho em seu coração, a humildade é uma das características de seu belo e exemplar caráter, fez parte de sua personalidade.Leia mais…

SOMOS TODOS CORRUPTOS!

Em fevereiro de 2015, o Estadão de São Paulo fez uma campanha com esta afirmação: Somos todos corruptos! Esta frase de impacto choca e desafia ao leitor a fazer uma troca de papeis; ao invés de tratarmos pessoas distantes como corruptos, apontamos o dedo para alguém mais próximo: nós mesmos.Leia mais…

Toda menina cristã deve ser… dependente

“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”        Romanos 12:2

Aproveitando essa época de fim de ano, com vestibulares, ENEM e algumas decisões a serem tomadas, me propus a fazer uma reflexão do quanto nós, meninas cristãs, estamos nos conformando com o que o mundo espera de nós, com o que a sociedade premeditou para nossa vida. O versículo de Romanos 12:2 têm sido bem discutido nos últimos tempos, visto que cada vez mais temos deixado o “mundo” entrar na Igreja e não o contrário.

Dizem-nos o que precisamos ser/fazer para sermos consideradas pessoas de sucesso, bem sucedidas e felizes. Padrões, nada além disso. Necessita-se, basicamente, de uma conta bancária farta, trabalhar com algo de renome, ter um bom carro, casa própria, um bom currículo de estudos… Mas, até que ponto nós, cristãs, devemos seguir essa maré?

Vejo pessoas sendo engolidas por seus respectivos trabalhos, investindo um tempo precioso em algo que lhes tira a saúde. E é um tanto quanto antiquado no mundo moderno discutir a real relevância de tudo isso para ter-se uma vida feliz… Mas, é isso mesmo que quero questionar.

Nós tivemos o privilégio de sermos chamadas por Cristo, sermos escolhidas, mesmo tão pequenas, falhas, pecadoras. Somos pó, e mesmo sendo pó, o Rei olhou para nós com o maior amor do mundo e nos chamou. Incrível, não? Tão miseráveis que somos, amadas com o melhor amor do mundo

Sei que de forma alguma, nenhum dia sequer, seremos dignas do amor que conhecemos, da morte de cruz de Cristo por nós, mas devemos saber que nossas  vidas devem transmitir gratidão a todo momento. Que precisamos viver uma vida agradável ao Pai, buscando conhecer Sua vontade e, assim, refletir o amor dEle aos que nos cercam.

Não tiro o valor de um bom estudo, não acho desprezível dedicar-se a uma profissão que lhe trás satisfação e auxilia a vida de quem lhe cerca. Muito pelo contrário: estudar, lutar pelos seus sonhos, procurar um trabalho que lhe faça feliz, tudo isso é de grande valia. O problema está no nosso ego. Na nossa busca pelo nosso reconhecimento pelas coisas que fazemos. Precisamos relembrar alguns princípios…

Tudo o que somos, temos e fazemos só ocorre porque Ele nos permite, somos totalmente dependentes de Deus. Ele nos permite estudar, trabalhar, ter um bom emprego, tirar uma boa nota… Não somos capazes, por nós mesmos, de fazer coisa alguma. Precisamos repensar no quanto estamos querendo sermos elevadas, buscando independência, correspondendo às expectativas que o mundo nos impõe.

Um amigo trouxe a Palavra em um culto de jovens e me marcou a forma em que ele frisava que em nada queria que o nome dele fosse conhecido, que o nome dele fosse apagado completamente, mas que em tudo que ele fizesse, Cristo fosse exaltado e lembrado.

Nossa vida deve ser exatamente assim, e isso é muito difícil, porque vai exatamente à contramão do mundo. O mundo nos fala em independência, em conquistar tudo pelo nosso próprio esforço, em ostentar um status. Nada disso é coerente com que uma vida com Cristo exige de nós.

Que em tudo que fizermos, o nosso “eu” desapareça, e em cada detalhe da nossa vida, que o nome dEle resplandeça de forma singular, para que todos possam ver que tudo o que fazemos é porque Ele nos permite fazer, Ele nos capacita, Ele nos sustenta.

“Porque dEle e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” Romanos 11:36

Então meninas que fizeram ENEM, estão se preparando para os vestibulares, que estão preocupadas em relação ao futuro: Ele está no controle! E não há nada melhor que saber que o Criador de céus e Terra tem o total controle de tudo em nossas vidas e, assim, somos totalmente dependentes dEle! Como seguidoras de Cristo, o Deus que se fez carne e é nosso maior exemplo de humildade, lembrem: a vida não é só uma profissão, só um diploma, só um status… não corram atrás do vento! Se dediquem sim aos estudos, mas muito mais, busquem os tesouros celestiais!

Deixo uma última reflexão: qual legado você pretende deixar? Pretende ser lembrada por quem você é, pelas coisas que você fez? Ou como a menina dos olhos de Deus, que sendo um instrumento dEle, foi permitida viver uma vida de acordo com os maravilhosos planos que Ele possuía?

Caroline Sebem – Passo Fundo/RS

A IMPORTÂNCIA DE IGREJAS SAUDÁVEIS EM LUGARES CARENTES

Igrejas locais em crescimento são chave para ministrar em comunidades necessitadas, porque são chave para ministrar em qualquer comunidade. Quando Jesus dá aos discípulos a Grande Comissão, você talvez se questione sobre algumas dessas coisas: batizando-os, ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado.

Para entender, veja o livro de Atos. O que algumas das pessoas que ouviram o que Jesus disse fizeram? Plantaram igrejas. Plantaram igrejas onde foram. Plantaram igrejas entre os judeus, plantaram igrejas entre os gentios. Não temos a informação sócio – econômica exata sobre onde foram plantadas, mas tenho praticamente certeza que todos os lugares não eram idênticos. Alguns provavelmente eram mais ricos, alguns com certeza não eram ricos. Assim, ao falarmos sobre o envolvimento na vida das pessoas, a estrutura que Jesus estabeleceu é a igreja local.Leia mais…

Para o homem que não dormirá comigo

Era um hábito que começou com as conversas bobas no corredor do colégio. Quando nos encontrávamos nas festinhas e tal. Eu escrevia sobre você no meu diário e trocávamos olhares e carinhos. E era tão bom ter você nos meus braços e chamar você de namorado.

Nossas vidas não estavam apenas conectadas por telefonemas e ligações em sussurro no meio da noite, que ecoavam na sala do apartamento que eu dividia com minhas amigas na universidade. Você estava lá, uma presença aconchegante.

Muitas de nós, boas garotas cristãs, faríamos isso. Por um tempo, nosso primeiro ano na universidade seria assim. A vida seria uma extensão do que era quando estávamos em casa. Nós orávamos, escutávamos música cristã, ríamos quando pensávamos nas coisas que aconteceriam no futuro. Então, nossos namorados viriam nos visitar ou simplesmente passar o final de semana. A liberdade que tínhamos agora se misturaria com um turbilhão de emoções e novas descobertas. Nós esqueceríamos que estaríamos guardando a “grande noite” para o casamento. Nós estávamos cruzando uma fronteira muito séria, entrando em um lugar de intimidade radical, mesmo se na nossa cabeça estivéssemos quebrando um mandamento, ou não.

Essa forma de agir apareceu em meus outros relacionamentos depois que terminei com o primeiro namorado. Ela se repetiu muito depois do primeiro ano na universidade. Muito depois da vida de estudante. Ela ecoou na dinâmica de cada relacionamento desde então, como as longas ligações telefônicas com meu namoradinho do colégio.

Leia mais…