O coração DELA

Você gosta de desafios?

No ano passado, realizamos o desafio de decorar versículos em pleno mês de Dezembro! Loucura? Pode ser que sim, mas muitas meninas edificaram seus dias pensando na Palavra de Deus, mesmo que não tenham decorado um terço dos versículos, pensaram na Palavra e isso é mara.

Nesse ano, o desafio é diferente e leve. Queremos te desafiar a olhar para dentro do seu coração ao olhar para o coração de outra pessoa. Como assim?

Vamos falar com você, sobre uma jovem que teve o seu coração como destaque. Não sabemos como era seu cabelo; sua altura; seus gostos musicais e preferências culinárias, mas temos nas entrelinhas a beleza do coração DELA… Seu coração amoroso e humilde, sua fidelidade, sua confiança, gratidão e entrega podem nos inspirar a melhorar o coração na loucura de final de ano. Conseguiu adivinhar quem é ela?

Leia mais…

Meu corpo, minhas regras!

“Esse corpo é meu e eu faço com ele o que EU quiser” para você menina cristã, não cai bem. Quer saber por quê?

  • Uma vez que você pertence a Jesus, seu corpo NÃO será mais seu:

 “Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos? ” (1 Co 6.19)

Você não pertence mais a você mesma. Sim, uma vez que você entregou sua vida a Jesus Ele passa a ser o seu “Senhor”. Esta palavra traz a ideia de “dono, proprietário”, ou seja, por mais que gostemos da independência e de pensar que somos “donas do nosso próprio nariz”, não somos.

Em alguns momentos, parece soar tão bem aos nossos ouvidos dizer que tenho os meus direitos, e: “Eu faço o que eu quiser” ou “Da minha vida cuido eu”. Mas o maior perigo é nos perdermos nessa independência e esquecermos que uma vez que nascemos de novo:

Leia mais…

O que me define?

♪ Clique aqui para ouvir nossa playlist enquanto lê este texto ♥

Quem é você?

Por muitas vezes ouvi esta pergunta. E lembro daquelas aulas de filosofia do ensino médio e faculdade que tinham o objetivo mexer nestes conceitos. Mas hoje, depois de um tempinho, percebo que esta frase não é uma das frases mais rápidas de ser respondidas. Muitas de nós temos dificuldades de responder esta pergunta, pois muitas vezes as circunstâncias tentam forjar uma imagem errada de quem somos. As circunstâncias tentam nos definir. Os rótulos tentam se encaixar em quem nós somos.

Corremos o risco de sermos definidas pelo que aconteceu com a gente. Por exemplo:A moça que foi traída, a gordinha que caiu na escola, a bulimica do 8° ano, a menina que foi abusada pelo avô, a menina que não tinha uma boa dicção, a menina que chorou ao apresentar um trabalho”.

Todos estes rótulos bagunçam nossa mente e levam-nos a confusão. Será que esses rótulos definem perfeitamente quem essas meninas são? Será que estes rótulos definem quem nós somos?

Não!

Esses rótulos são péssimos relatos de quem você é e, de quem eu sou. Demorei um tempinho até aprender o que define quem eu sou. Mas, se hoje você estivesse cara a cara comigo tomando um bom chima e me fizesse essa pergunta, eu teria uma resposta na ponta da língua.  Então, que tal voltarmos a pergunta: Quem eu sou?

Leia mais…

ESCRAVAS DA APARÊNCIA

Mês passado eu estava pesquisando quanto gastamos com produtos de beleza e higiene mensalmente e tive um susto: mais de 200 reais ( sim, mais)!

Preste atenção na listinha básica: shampoo, condicionador, perfume, base, blush, primer, rímel sombra, batons, esmalte, cera, absorventes, sabonetes etc e etc… Sim, minha lista ficou no básico, fui modesta e já estourei nosso orçamento.

Venha comigo e vamos para a historinha:

Em setembro, fui brincar de fazer ombre hair no cabelo e nem me toquei que a partir daquele momento meu cabelo gritaria pedindo um novo shampoo que não deixasse essas benditas pontas amareladas tipo gema de ovo. Aí que meu susto foi quase fatal: um kit básico de shampoo e condicionador com menos de 200 ml custavam 50 reais.

A aplicação da minha historinha é mais ou menos assim:

Você: DEVE! PRECISA! COMPRA!

Você faz isso e precisará daquilo!

Você compra esse e tem que levar o outro!

É sério, você não vai sobreviver sem isso!

Isso me faz pensar até que ponto realmente somos influenciados no que compramos, vestimos e aceitamos? Diversas vezes preciso “me auto beliscar” para voltar a realidade. Esses dias, numa ida ao Shopping, parei para comprar uma bolsa nova, e de repente meus olhos brilharam por um modelo. Fui até o caixa, peguei minha carteira e quando percebi já tinha saído dos meus lábios a seguinte pergunta:

Leia mais…

Não preciso ser Sensual!

Você já viu fotos super sensuais com legendas ultra mega filosóficas?

Ops, essa semana vi num site de entretenimento uma crítica sobre isso. Sério parece comédia, mas não é.

Todo mundo faz e a gente “sem querer querendo” também faz! Podemos até nem sermos “intencionais“, mas algumas vezes mascaramos fotos sensuais que promovem o nosso corpo com legendas fofinhas com versículos bíblicos…

Vamos a academia com aquele shortinho curtíssimo e pahhh! Fotinho nova com a legenda:  “Os céus proclamam a glória de Deus“…

Será mesmo?

Sabe qual foi um dos momentos mais humilhantes em minha vida?

Leia mais…

A beleza de Ester

Quando você ouve falar em Ester da Bíblia o que passa na sua cabeça?

Que ela era muito bonita fisicamente?

Ou que passou um ano recebendo tratamentos de beleza para se encontrar com seu futuro esposo?

Ok, momento Marta no confessionário – Vou dizer o que passou na minha cabeça quando eu pensei em Ester:

“Um ano se arrumando para o marido? Um ano de tratamento de beleza free?? Um ano???”

Voltando a realidade, sairei do fantástico mundo de Marta e irei ao fantástico mundo de Ester ❤

Ester era uma escrava, órfã, foi criada pelo primo Mardoqueu, ganhou destaque por sua beleza (Ester 2.7) e de um jeito digno de romances bíblicos da Record, foi parar no Palácio real e foi escolhida dentre muitas outras mulheres lindas para ser a esposa do Rei. ❤ Soltem os corações e apertemos cintos, pois o romance de Ester é fofo demais! Péra aí, terei que parar de romancear a life, afinal o foco de hoje não é o romance, 🙂 apesar de eu ser tentada para isso. O foco é a verdadeira beleza de Ester. Então, concentro-me em – 3 2 1 – e parto para a ação.

Leia mais…

NÃO SOU A BONECA BARBIE!

Sharon conversou com 25 adolescentes e pediu que descrevessem a garota perfeita na visão delas. Adivinhem o que elas descreveram? Será inteligente? Ou quem sabe carinhosa?

Não, estas coisas eram caretas demais para aquelas meninas. Para elas, a garota perfeita tinha que ser:

  1. Magra
  2. Loura
  3. Popular
  4. Atlética
  5. Ter seios grandes
  6. Ter namorado
  7. Confiante
  8. Ter dentes brancos e retos (sem aparelho)
  9. Ter o próprio carro
  10. Não ter problema de pele
  11. Ter seu telefone

Quem você acha que se encaixa nessas características?

Leia mais…

Namoro a Distância #4 – Por que me meti nessa?

Como falei no post anterior, estar longe fisicamente foi uma das coisas mais difíceis de enfrentar durante o namoro. Tivemos que encontrar soluções para seguir em frente e não desistir do propósito que Ele havia nos dado.

Desde que eu e o Cris percebemos que estávamos sentindo algo especial um pelo outro, começamos a orar imediatamente. Individualmente e juntos. Todos os dias, nos conectávamos no Skype para conversar, nos conhecer e orar. Uma vez na semana tínhamos um dia de jejum. A oração e o jejum, nos levaram ao entendimento do que Deus desejava e esperava de nós, e da nossa (futura) união.

Hoje, posso afirmar que se não tivéssemos tido o discernimento de tomar essas duas providências logo no início do relacionamento, não estaria casada com o Cristián e muito menos, compartilhando tudo isso nesta série de posts. Reconhecer que Deus deseja dependência dEle, é o começo. Entender que nada acontece por acaso, é o caminho.

Leia mais…

Namoro a Distância #3 – Contato físico!

Dia dos Namorados chegando, presente comprado e restaurante reservado! Só que não! 🙁

Se tem algo com o que sofri durante o namoro, foi com a falta do toque. Das mãos dadas, do abraço quentinho e consolador que substitui extensos discursos filosóficos e do cheiro único e alentador de quem a gente ama.

Há momentos que nenhuma palavra, por mais bem colocada que seja, substitui um simples abraço e um olhar sincero.

Depois de ter passado pela experiência de namorar à distância, sou uma convencida de que o nosso corpo fala e se expressa de maneira única. Em algumas discussões e desentendimentos que tivemos durante o namoro, passávamos horas no Skype tentando encontrar palavras para sustentar um pedido de perdão por algo que foi mal dito ou interpretado. Se tivéssemos fisicamente juntos, um simples abraço uniria nossos corações e explicaria o que nossa fala não sabe expressar.

Para aguentar e suportar o vazio que a presença do Cristián fazia, me apegava ao Senhor e no que Ele me dizia. Sinceramente, não vejo outra saída. Orava ao Senhor e dizia: “Senhor, você me colocou nessa, agora me ajude a passar por tudo isso!”Leia mais…

Namoro a Distância #2 – Só acredito vendo!

No primeiro post da série, comentei que para mim,  namorar a distância é uma loucura! Isso porque, é um relacionamento nada convencional que exige um pensamento e atitudes fora do padrão.

Desde que conheci o Cristián – que hoje é meu esposo –  e percebi que sentia algo mais forte por ele, logo coloquei em oração esse sentimento. Não queria agir por impulso e começar um namoro sem saber que utilidade e propósito ele teria para o Reino. Começamos então a orar e entender o que estávamos sentindo um pelo outro. Pedíamos que Deus falasse claramente conosco, pois não queríamos frustrar-nos. Clique AQUI para conferir a história completa.

No tempo de oração (antes de começar a namorar), pessoalmente, pedia a Deus que me ajudasse a lidar com desconfiança e ciúmes. Reconhecia que não era experta nisso e percebi que isso poderia afetar (e muito!) um possível namoro à distância.

Hoje, depois de 3 anos e meio de namoro longe um do outro, não lembro de ter protagonizado ataques de ciúmes ou desconfiança. E tenho absoluta certeza que isso foi fruto de oração e graças a Bondade de Deus. (Leia Mateus 7, versículos de 7 a 12.)

Aí você vai me perguntar:

“Mas como posso desenvolver tanta confiança em alguém que nunca vejo, com quem não convivo?”Leia mais…