Suicídio? O que fazer com o vazio em nossos corações.

Olá FéMeninas! Esse é o meu primeiro artigo aqui no blog e eu gostaria de falar de um assunto muito tenso e sério. Já ouviu falar da campanha do Setembro Amarelo? É o mês em que se pretende intensificar o debate e a prevenção ao suicídio no Brasil. Segundo dados do Centro de Valorização da Vida (CVV), estima-se que o suicídio tira a vida de uma pessoa no Brasil a cada hora! Segundo o Mapa da Violência do Ministério da Saúde, de 2002 a 2012 houve um crescimento de 40% da taxa de suicídio entre crianças e pré-adolescentes com idade entre 10 e 14 anos. Na faixa etária de 15 a 19 anos, o aumento foi de 33,5%.

Só esses dados mostram que é preciso falar sobre isso com a juventude, mas há poucos dias alguém que eu amava, jogou a toalha e desistiu de viver. No mesmo dia outro adolescente fez o mesmo aqui na minha cidade. Então eu orei e pensei que a gente poderia conversar sobre esse tema. E eu queria pedir licença para falar mais diretamente para quem está enfrentando uma luta nessa área, mas pode ser que você que está lendo possa também ajudar alguém que você ama depois desse ler o que vou escrever aqui.

Geralmente o suicídio é tratado como um tabu, um assunto que não deve ser tocado, exposto. Talvez por vergonha. Fato é que quase sempre que sofre desse mal, quase sempre não fala como se sente pra ninguém e não percebe que se tiver ajuda pode sair dessa.

Confesso que eu mesma lutei na adolescência e mesmo na vida adulta contra o desejo de não viver. Não foram poucos os dias em que eu sentia que a vida de todos seria bem melhor sem mim. Talvez você conheça alguém que se sente assim, ou você mesma (o) já imaginou o mundo sem você…. Quem nunca, né?

Leia mais…

Coisas que não me contaram na escola!

Estudar, tirar boas notas, passar de ano sem recuperação, obter um diploma, passar no vestibular…Será que é só pra isso que frequentamos a escola? Além ter um “boletim azul” e fazer amigos, existem coisas que não me contaram enquanto eu estudava.  Esses primeiros anos de estudo, antes da faculdade são mais valiosos do que imaginamos. Infelizmente, só me dei conta quando já era tarde demais, e é por isso que quero compartilhar com vocês o porquê devemos dar mais valor ao tempo em que estamos na escola.

Deus deu pra cada uma, dons e habilidades específicos, os quais usamos para Sua glória. É importante que desenvolvamos essas áreas. Porém, durante a vida teremos que lidar com situações que exigirão certas habilidades que não estão tão desenvolvidas. Estudar matemática, história, geografia, artes, português, vai muito além do que apenas nos preparar para a faculdade que pretendemos cursar. Essas e as outras disciplinas treinam nosso cérebro para enfrentar obstáculos e tomar decisões.
Quando eu estudava, lembro-me perfeitamente que no 8º ano, enquanto o professor explicava a fórmula de Bhaskara, me perguntei se algum dia usaria aquilo novamente. E sempre dava a desculpa de que todas aquelas fórmulas nunca seriam úteis pra mim, já que sempre tive tendência para as áreas de linguística e artes.
Pois bem, até hoje, nunca usei a fórmula de Bhaskara. Porém, me arrependo profundamente de não ter dado tanto valor às aulas de matemática, pois enquanto eu resolvia os problemas, equações e fórmulas, meu cérebro estava sendo treinado para resolver de uma maneira organizada e prática os problemas do dia a dia. E hoje, quando tenho mil coisas para fazer num dia só, ou quando tenho que tomar uma decisão em poucos minutos, encontro dificuldade porque não treinei meu cérebro o suficiente para isso, nas aulas de matemática.
Eu dei o exemplo da área de exatas, mas cada disciplina da sua escola é realmente importante para a sua vida! Tanto de uma maneira bem prática (por exemplo, quando tiver filhos vai se lembrar de muitas das aulas de biologia) como de uma maneira que talvez passe despercebido, por exemplo, quando tiver que discutir um problema no relacionamento com seu namorado/ marido e precisar se comunicar de maneira clara e eficaz (aulas de redação e português!) – especialmente nós, meninas, porque os meninos têm mais dificuldade de entender o que falamos – .
Poderia dar uma lista de exemplos do cotidiano, mas da próxima vez em que tiver que acordar cedo para ir à escola ou passar a tarde fazendo lição de casa, pense que daqui a 10, 20, 30, 40 anos ou até mais, seja no trabalho ou cuidando de casa, você ainda colherá os frutos de se dedicar aos estudos. Você se tornará uma mulher com muito conhecimento, organizada, disciplinada, prática e esperta.
Pode ser que neste exato momento, não perceba tudo isso que estou falando. E as aulas continuem chatas! Mas olhe para os estudos como um tempo de preparação que Deus te proporcionou. Você usará os conhecimentos muito mais do que imagina e talvez, muito mais amanhã do que hoje. Dedique-se, faça as tarefas, seminários, pesquise, pergunte, tente sempre mais uma vez, não reclame das correções de seus professores, mas ouça-os.
E quando achar que está difícil entender aquela matéria, ou que definitivamente não nasceu para português, história ou química, então é aí que você deve se esforçar para aprender. Dessa forma, você treinará partes do seu cérebro ou mesmo do seu caráter que não estão bem desenvolvidas, mas que devem ser cuidadas!
Há tempo de estudar e há tempo de colocar o que se aprendeu em prática. Estudar é uma benção! Aproveite este tempo.

Tássia Gregatti
São José dos Campos/SP





Mais uma história sobre o TCC!



Olá meninas!

Sou formada em Hotelaria e vou contar para vocês minha experiência com meu TCC!
O drama teve início com o ano mais esperado por todo universitário: o último! A alegria de começar a ver a luz no fim do túnel após tantos trabalhos, provas, tardes inteiras estudando estava chegando! Entretanto, com isso chegou junto o maior de todos os terrores da faculdade: o TCC!
Lembro-me bem como estava aflita, pois não fazia ideia do tema que escolheria, nem do grupo de qual faria parte (o TCC do meu curso não era individual). Então nas reuniões de oração do grupo de jovens da minha igreja o meu pedido era sempre o mesmo: o meu TCC! Eu ficava tão aflita e preocupada diante de Deus e mal sabia que Ele já tinha cuidado de tudo.
Um belo dia um grupo me chamou para fazer o trabalho com eles! Uhu! “Só que não”. O tema que queriam trabalhar era sobre um hotel para gays! Achei melhor não aceitar esse convite.
Mais tarde consegui me juntar com um grupo de um colega que havia estagiado em um hotel junto comigo e uma amiga dele, e o tema escolhido foi ótimo! “Bed and Breakfast (Cama e Café) e a Copa de 2014 no Brasil”. Demoramos um pouco para chegar exatamente nesse tema, mas nossa orientadora nos deu uma bela ajuda.
O meu grupo acabou sendo ótimo, todo mundo trabalhou em plena harmonia. Deus não podia ter me arrumado coisa melhor!
Então chegou a hora de fazer a pesquisa de campo. Quem já fez sabe que coletar dados é sempre um desafio! Mais uma vez Deus foi maravilhoso e consegui ajuda da minha igreja, todos com quem entrei em contato cooperaram e o TCC acabou sendo um sucesso! Não só foi aprovado como tivemos uma ótima nota e recebemos muitos elogios. E para nossa surpresa final, o artigo do nosso TCC foi publicado numa revista on-line! 
 Para quem quiser dar uma olhada, segue o link:
 Deus está preocupado com TODAS as coisas da nossa vida! Está com medo? Dúvida? Aflita? Confusa? Indecisa? Se derrame em oração que Ele está ouvindo! 😉




Ana Pydd
São Paulo – SP

Na luta contra o TCC

“SE VOCÊ NÃO PODE CONTRA SEU INIMIGO, JUNTE-SE A ELE” – diz um famoso ditado popular.

Quando se trata de TCC, acredito que isso pode funcionar mesmo, afinal não posso fugir do meu inimigo, não gosto dele e, também, não quero vencê-lo. Então, o que posso fazer? Respondo: posso torná-lo meu aliado.

Você vai entender como farei isso.

Vamos à luta?!

Chegou a hora de fazer o meu Trabalho de Conclusão de Curso, o tão temido TCC. Que stress!
Claro, stress misturado com alegria, porque é sinal de que estou terminando minha graduação. Sou acadêmica do curso de Educação Física – Licenciatura. Teoricamente estou no 9º semestre, mas já estou 10 semestres no curso, não consegui acompanhar meu currículo por falta de oferta de componentes. Muito ruim isso!
Então, sobre o TCC: é individual e temos que fazer uma pesquisa. O processo é dividido em duas etapas ou dois semestres. No primeiro, construímos o Projeto de Pesquisa e, no segundo, desenvolvemos a Pesquisa. Estou no início de tudo e muito enjoada já! 
A pior parte é escolher o tema, quer dizer, a pior parte é quando se apresenta o tema escolhido ao professor. Você escolhe um tema e está super empolgada, imagina todo TCC pronto e ele vai dar muito certo, vai ficar ótimo porque você gosta do tema, do que ele vai abordar e de com você vai trabalhar com ele. Aí os professores (no meu caso o professor de Projeto de Pesquisa e uma professora que quero que seja minha orientadora no desenvolvimento do TCC) dão mil críticas sobre uma palavra, sobre a ênfase,… e o pior, dão sugestões!!!
Quer dizer, primeiro nos falam que devemos escolher um tema, que nos instiga a pesquisar, um assunto pelo qual estamos apaixonados (sério, meu professor disse que devemos estar apaixonados pelo tema! Hahaha) e que, portanto, é uma escolha muito pessoal e depois faz sugestões, tipo “Mas por quê você não faz assim…” Mas aí é do ponto de vista dele, que é diferente do meu…

Que desânimo. Aconteceu assim comigo.

Mas, espera! Eu pedi ajuda pra Deus na escolha do tema, será que estas “opiniões” não vem de Deus?

Sim! Vem de Deus!

Eu entreguei pra Deus e ele está agindo através daqueles capacitados a me ajudar, os professores. Não que conversar com outras pessoas sobre o TCC não seja importante, mas eles não conhecem tão bem sua profissão então não é a mesma coisa. Para seu TCC evoluir é preciso ajuda de profissionais competentes. E, pensando assim, eu me acalmei. Não estou “apaixonada” por meu tema, mas acho que posso fazer um bom trabalho e transmitir uma mensagem de Deus às pessoas que participarão da construção do meu TCC e àquelas que o lerem.
Isso mesmo, quero que meu TCC seja meio para transmitir verdades bíblicas. Talvez você esteja pensando que Deus não tem nada a ver com isso, mas tem sim. Se devemos ter Deus como Senhor de nossas vidas, no controle de todas as áreas de nossa vida, de todas as coisas que fazemos, logo deverá estar no controle do TCC. E isso é muito bom, afinal Ele é O CARA mais inteligente de todos!
Quando pedi para uma menina de nove anos secar a louça ela me disse “Não gosto de secar a louça, por que tenho que fazer o que não gosto?” Eu respondi a ela que isso é normal, todos os dias temos que fazer coisas que não gostamos mas que devemos fazer, e que podemos utilizar essas coisas ruins de se fazer para demonstrar obediência a Deus, isso alegra o Seu coração.
Depois dessa conversa com ela, lembrei do meu TCC (na verdade ele não sai dos meus pensamentos já faz um tempo) e relacionei com meu tema. Eu não gosto do meu tema, mas posso usá-lo para demonstrar obediência a Deus e deixá-Lo agir por meio dessa minha atitude de obediência. Isso não quer dizer que será fácil ou bom de se fazer, secar a louça não é bom, mas Deus está no controle e eu não vou desistir dessa luta.
Mais importante do que ter um conhecimento, é a forma como o utilizamos. Como meninas cristãs, não podemos perder as oportunidades de falar da Palavra de Deus, utilizando nossos conhecimentos de diversas maneiras. O que você tiver que fazer não faça só por fazer, veja como uma oportunidade de servir a Deus e de cumprir a missão para qual você foi feita.
Meninas, minha luta está só no começo! Sei que vai ser um ano difícil, mas de muito aprendizado, que espero poder compartilhar com vocês!
Abraços,
Karina Scheibner
 Tuparandi – RS