Carta aberta ao príncipe encantado

         Caro Príncipe Encantado,

E aí meu querido, tudo tranquilo? Posso te chamar de Encantado? Essa coisa de príncipe é muito formal, sei que você não vai se importar, afinal te conheço de longas datas. Não sei como depois da Branca, da Bela, da Cinderela (por falar na Cindi você estava muito bêbado brother, não lembrou nem o rosto da menina, teve que achar ela pelo pé), da Rapunzel, etc, etc, as meninas ainda te acham símbolo de perfeição. Você tem que me ensinar esse truque! Acho que a única que não deu bola pra você foi a Fiona, se deu mal!
Então, estou te escrevendo aqui do mundo real para te pedir um pequeno favor: PARA DE ILUDIR AS PESSOAS POR AQUI! Amigo, você devia colocar um aviso no início de todos os seus filmes mais ou menos assim:
“Atenção, nenhum personagem desse filme foi, é ou será real!”
Aqui na realidade as coisas são diferentes.
Vamos imaginar por um momento você aqui. Você é o cara perfeito, você aceita tudo, está acima de tudo, apóia tudo, é o grande salvador da pátria, sempre buscando a amada não importa o que aconteça e tudo sempre se resolve em um simples gesto seu. Isso, aqui na realidade, não iria funcionar, em uma relação com você a garota iria se sentir sufocada por estar em um relacionamento perfeito (é, isso existe!!!), não conseguiria atender seus padrões, porque, convenhamos, ninguém real consegue!

E você? Como aguentaria a primeira TPM dela? Será que o feliz pra sempre seria pra sempre mesmo ou duraria 3 semanas, na melhor das hipóteses? E quando ela viesse chorar em seu ombro com um problema para o qual não houvesse solução? Você ia resolver tudo matando a bruxa má? Isso dá cadeia por aqui.

Entendeu? Você não funciona no mundo real porque você é perfeito! A beleza daqui são as imperfeições. A beleza está nos gostos diferentes, ela curtir Diante do Trono e você preferir Oficina G3 faz parte, está em “discutir” na fila do cinema pra decidir o filme, está em roubar a batata frita do outro mesmo não querendo comer nada. A beleza está em perseguir o mesmo alvo, no brilho do olhar dela que mesmo errando não desiste, está no som da voz dela mesmo quando está rouca de tanto chorar por qualquer motivo que seja. A beleza está no amor que supera as pequenas imperfeições e faz dois seres opostos se tornarem uma só carne.
Mesmo assim, muitas meninas se iludem esperando você, na verdade uma versão de você com características que elas escolherem. Elas não percebem que são imperfeitas e portanto só poderiam pensar em um ser imperfeito, mas tudo bem, digamos que elas pensam em algo perfeito para elas. Por sua causa, Encantado, esse “perfeito” delas é um padrão que não pode ser atingido e você acha que isso faz mal para nós, homens? Não! Isso faz mal pra elas, às vezes o choque de descobrir que não vão achar você em ninguém é tão grande que elas se fecham para o mundo, para novos amores, criam muros em volta do coração difíceis de serem derrubados, já vi várias histórias assim, aliás, já vivi histórias assim.
E falando do ponto de vista masculino, ninguém quer ser você, camarada. Você criou uma noção de que homem tem que estar disposto a relevar tudo, olha, onde tudo é aceito o que existe é falta de amor, não sei se você já leu a bíblia, mas no livro de primeiro Coríntios capítulo 13 tem escrito “O amor tudo sofre, tudo espera, tudo crê, tudo suporta” e por sua causa vejo mulheres declarando aos quatro ventos esse texto, mas esquecem que no mesmo capítulo diz que o amor não se agrada de injustiça, ou seja, não se agrada de más atitudes! Por sua causa existe a ideia deturpada de que eu tenho que estar pronto pra resolver tudo, pra suportar tudo, meu amigo, tem coisas para as quais não estou preparado, ninguém está, tem coisas que só sabemos o que fazer quando chega a hora de fazer, então sim, eu sou fraco às vezes, às vezes eu me frustro, às vezes eu choro.
Mas, sabe qual é a parte boa das suas histórias, é que uma vez que fica claro que você não existe e que nunca vai existir na vida real, fica muito mais fácil suportar a vida com alguém que te ama mesmo com suas fraquezas e imperfeições.
Além de tudo isso, meu caro, digo para você que o feliz pra sempre pode até acontecer no seu mundo do seu jeito. Mas aqui, no mundo real, o feliz pra sempre só acontece quando existem três pessoas no relacionamento: Deus, ele e ela.
Abraços calorosos!!
Raphael Douglas dos Anjos Almeida
Florianópolis/SC

Onde Noé errou??

 
Noé – A quem possa interessar
Noé falha em todos os aspectos. Logo de início me empolguei com os trailers do filme, imaginando um épico que me desse prazer de assistir assim como foi O Senhor dos Anéis ou o primeiro Hobbit, não imaginei uma megaprodução no nível dos que citei, mas também não imaginei essa porcaria com efeitos especiais que parecem ter sido projetados nos anos 80.
Vamos começar pelos efeitos: alguém prestou atenção no fogo? Eu já vi jogos da década de 90 com efeitos de fogo melhores que o desse filme! E os Guardiões então? Que era aquilo? Primeiro que a concepção artística deles estava horrível, se quisessem mostrar criatividade pelo menos colocassem guardiões que se fundiram com todos os elementos (uns de fogo, outros de água e tal), mas só apareceram umas coisas deformadas de rocha que fisicamente não poderiam nem ficar em pé!
Quando a câmera deu um close neles percebi claramente as bordas serrilhadas de uma computação gráfica mal feita. Falando em CGI (computação gráfica) prefiro não comentar aqueles dois bebês, que criaturas feias! Outra coisa que me assombrou foram as cenas finais com os animais, véééééi, parece que pegaram tomadas do Animal Planet e inseriram no filme! Patético… De fato a única coisa digna de nota nesse filme é a Arca que ficou show de bola.

No nível de atuação temos outros fracassos. Russel Crowe, ganhador do Oscar, faz uma atuação péssima que nem se compara a dos filmes Gladiador e Mente Brilhante. A eterna Hermione, Emma Watson, está lá só pra pousar de bonita (na minha opinião ela é linda, mas nunca foi uma boa atriz). O cara que faz Percy Jackson, nem vou comentar. A melhor atuação foi o Anthony Hopkins como o velhinho ultra master power da espada de fogo Matusalém, porque, convenhamos, Hopkins dá um show em qualquer papel.

Anthony Hopkins
Tecnicamente fraco, roteiro fraco, atuações fracas. FILME FRACO! Não recomendo.
Esse foi o ponto de vista de boa, sem religião no meio. Mas vamos brincar de teologizar um pouco. O filme, na minha opinião, tem grandes problemas. Não é o fato dos Nefelins serem citados como anjos caídos quando na verdade são filhos dos Filhos de Deus (não é especificado se são anjos) com mulheres mortais. Não é o fato do Matusalém ser um mago overpower que manja muito de magia em área. Não são as licenças poéticas para preencher as lacunas da história.
O primeiro problema, preconizado no começo do filme é a benção da primogenitura ser passada com a pele da serpente. Gente, a serpente do Éden teve a cabeça esmagada, foi morta e fim de papo! Isso pra mim constitui a primeira afronta a Deus do filme. A benção da primogenitura é algo sagrado passado do pai SOMENTE para o filho mais velho, não profanado com a pele da serpente que representa satanás.
Segundo grande problema é a redenção dos Nefelins. Se eles são anjos caídos nessa história, NÃO podem ser redimidos, estão condenados!!! O inferno é o lugar dos anjos caídos e ponto.
Próximo grande problema são as idades… Sim, me peguei nisso… A bíblia é extremamente clara quando diz que Noé, sua mulher, seus filhos e as esposas de seus filhos entraram na arca. Não tinha criança na história! E também só a família de Noé e os bichos entraram na arca.

Tubalcaim (que existiu) NÃO ENTROU! A família de Noé entrou na arca e os anjos selaram ela, acabou, não teve assassinato lá dentro, não teve filho de Noé desertando no final porque tinha matado alguém. O homem JÁ estava contaminado pelo pecado, o dilúvio não limpou ninguém, foi apenas um recomeço! E que animação evolucionista é aquela? Se quer explicar a Criação em um filme baseado numa história bíblica, seja coerente, pelo menos apresente um ponto de vista criacionista! E outra coisa, Adão e Eva eram carne, NÃO eram seres de luz como retratado!
Algo que também me incomodou durante o filme inteiro é o jeito como a família de Noé, desde o seu pai, Lamec (falando nele, nunca vi tão grande semelhança entre pai e filho), se referem aos humanos não pertencentes à sua família. Chamando-os pejorativamente de “homens” dá a entender que Noé se achava algo mais e a bíblia é bastante clara, após o pecado de Adão e Eva TODOS estão destituídos da glória de Deus, ou seja, TODOS estão em pé de igualdade aqui nessa Terra…
Mas o principal ponto negativo é como figuram Deus como carrasco e que Noé seria o bom da história ao desobedecer Deus. O objetivo de Deus era um recomeço geral! Animais e HOMENS também e o Noé da bíblia sabia disso. Não era o objetivo dEle extinguir os homens, tanto é que toda a família de Noé foi autorizada a entrar na arca, se Deus quisesse salvar só os bichos não seria mais fácil ter começado o dilúvio logo depois que eles entraram na arca? Nós não somos bons ao desobedecer a vontade de Deus, somos no mínimo burros ao fazer isso, e repito, a vontade de Deus não era a retratada no filme.
Dois pontos que eu achei bem abordados foram como o pecado pode denegrir o homem reduzindo-o a um estado animalesco e a confusão quando começa o dilúvio (sempre imaginei um monte de gente batendo na arca e gritando pra entrar antes de morrer).
Enfim, quer ver um filme épico? Assista Senhor dos Anéis. Quer ver um bíblico? Assista A Paixão de Cristo do Mel Gibson. Quer ver um épico bíblico? Assista Os Dez Mandamentos… porque Noé falha em qualquer um desses quesitos.
Raphael Douglas Almeida 
Floripa/SC