Crente verdadeiro!

Se nós lemos e acreditamos que aqueles que estão com CRISTO serão salvos, por que temos tanta dúvida quanto à nossa salvação?
Muita gente está dentro das igrejas, anda o dia todo com a Bíblia embaixo do braço, falam “em nome de DEUS”, estão nos púlpitos e meios de comunicação pregando a Palavra de DEUS, mas no íntimo carregam e até se torturam com a dúvida se irão para o Céu. Por que isso acontece?
A verdade é que algumas pessoas (na verdade muitas) se dizem cristãs, mas não andam segundo os ensinamentos de JESUS. Hoje vivemos um cristianismo de fachada, muitas vezes copiamos o que outras pessoas fazem, mas nosso coração não está em CRISTO.
De que adianta você andar com a Bíblia embaixo do braço e falar mal do teu vizinho? Que fé é esta que você fala de DEUS na televisão e na Igreja, mas se envolve pervertidamente com várias pessoas ao mesmo tempo?
         Por que você passa o dia na Igreja se quando sai de lá é cruel com o seu semelhante?
Andar com JESUS não se resume a caminhos físicos (Igreja, peregrinação…), se fosse só isso, todo o povo que deixou o Egito teria entrado na Terra Prometida. Devemos aproveitar enquanto ainda é tempo e entregar realmente nossos caminhos para JESUS.
Guardar os mandamentos de JESUS (João 14.21) não é apenas deixá-los em uma caixinha no canto da memória, mas praticar o que ELE nos ensinou.
DEUS nos abençoe e ajude para que permaneçamos em seus santos caminhos.
Raphael Douglas Almeida
Florianópolis/SC

Entrai pela porta estreita

“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.” (Mt 7:13-14).
Ao ler essa passagem veio em meu coração sobre viver em dois mundos.
Ou escolhemos viver com Deus ou viver em um mundo cheio de pecados que nos leva a perdição, que no texto se refere à morte eterna (passar a eternidade totalmente separado de Deus).
Quando Jesus diz que a porta é larga e espaçoso o caminho Ele nos mostra que esse é um caminho que muitos escolhem. O mundo em que vivemos jaz no maligno. Ele, o mundo, nos oferece apenas prazer momentâneo que no final se revelam caminhos de dores e é por essa porta que muitos escolhem entrar.
Recentemente assisti o filme “Deus não está morto” e apesar de ter minha críticas com relação a ele (poderá ser tema de outro post) há uma parte muito interessante na qual um personagem diz que o diabo às vezes dá tudo para que os filhos de Deus não se aproximem da verdade, mas quando ele resolve derrubar, tira tudo e às vezes até tudo de uma vez e essa fala caracteriza muito bem o quanto os prazeres desse mundo são passageiros.
Muitos dizem acreditar em Deus e falam de boca cheia que tem fé, é fácil dizer que acredita em Deus, difícil é o próximo passo que Deus quer que de nós, viver o evangelho.
E porque é apertado o caminho que conduz a vida? É o melhor caminho, mas são poucos que decidem entrar por ele. A resposta é simples, o caminho estreito é viver o evangelho, renunciar as coisas do mundo, seguir o nosso manual de instruções, a Bíblia. Não é fácil, mas é o melhor. As pessoas escolhem outro caminho porque acham mais fácil, não precisam renunciar a nada, podem viver tudo que o mundo tem a oferecer, mas esses são como homens que edificaram sua casa sobre a areia.
Eu escolho o caminho apertado. Como diz a música: “Eu escolho Cristo todo dia, já morri pra minha vida e agora eu vivo a vida de Deus”.
E você?
Raphael Douglas Almeida
Florianópolis/SC

  

O que ELES pensam!!

Olá meninas legais!!
Hoje na quinta Féschion, vamos dar uma palhinha do desafio que passamos para alguns meninos: Darem opiniões sobre nosso universo feminino!!! Tipo coisas que nós meninas amamos e muitas vezes não fazemos ideias do que Eles, os guris pensam…
Então, fiquem ligadas no 1°desafio que a Ruci passou para os meninos:
“E ai gurizada?!? Prontos prá começar?!? Vamos lá então!! Mas não esqueçam, SINCERIDADE né?!?
Não vale deixar de falar o que pensa por que tem aquela sua amiga, irmã, mãe que faz e você não quer contrariar.

Bom, pra começarmos, queremos saber o que vocês pensam da moda Candy Color. O verão está chegando e já faz um tempo que esta tendência está em alta!! E então? O que acham das meninas andando por aí com cor de sorvete??













Vamos ver o que os corajosos disseram:
“Achei top! Haha”
Klaus Beuter
“Acho diferente, pelo lado bom, hahaha, me parece bem alegre… se não for pra chamar a atenção com alguma má intenção, não vejo nada de mais…haha, situação engraçada dar opinião sobre moda, mas vamos lá, hahahaha”
Alexandre Nehring
“Acho que ficam lindas e alegres… só as cores mais fortes que não acho legal… Ahaha.”
Nicolas Correa
“Acho bem legal, ficam muito lindas!”
Kevin Tehlen
E você o que acha dessa tendência???
*Mande perguntas para fazermos para os meninos, e se você menino quer participar das opiniões, é só deixar teu comentário aqui, que te adicionamos no grupo 🙂
Ah, as perguntas não serão só sobre moda tá??? Afinal nossa vida de meninas vai muuuito além disso 🙂
Colaboradora: Ruci
Ijuí/RS

O que te faz bonita?

Antes de qualquer coisa, assista o vídeo abaixo 🙂

E aí meninas (e meninos que leem o blog porque eu sei que tem vááááááários), saudades do “Eles falam”? Foi muito tempo, eu estava afogado em textos e mais textos aqui, então peço perdão desde já por deixar vocês à deriva. Bom, a algum tempo a Marta me mandou um vídeo para que eu escrevesse em cima dele e confesso que o tema pra mim não é nem um pouco fácil, mas farei o possível para dar uma opinião centrada e menos influenciada pelo meu romantismo shakespeariano do século XVII (sim, eu nasci no século errado), mas, enfim, vamos lá. 
Acredito que muitos perceberam que a música é uma paródia, muito bem feita, da música “What makes you beautiful” da banda teen One Direction e eu vou postar a tradução da letra aqui (somente a tradução já que o vídeo é legendado em inglês):
Vestir modesto
Sabemos que é complicado
Quando o mundo faz isso tão difícil
Não precisa de mini saia
Ou camisas decotadas
Ser do jeito que você é já é o bastante
Os outros não parecem se importar
Ninguém a não ser você
Baby você ilumina o mundo como ninguém
Pelo modo como você fala e se respeita
Garotas integras são difíceis de achar esses dias
Você tem que saber
Você é tão bonita
Se você apenas visse o que eu posso ver
Você entenderia porque eu preciso dessa modéstia
Agora eu estou falando com você
E você deve acreditar
Virtude é tão bonito
É isso que te faz bonita
Então vamos lá
A maioria entende isso errado
Para provar que estamos certos colocamos numa canção
Nós não sabemos porque
Você iria querer um rapaz
Que só se importa com o que ele vê com seus olhos
  
E a partir daí eles repetem o refrão (parte em negrito). 
Bom, o que falar sobre essa música além de que eu concordo 100% com ela? Ela foi feita por um grupo de jovens da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, os mórmons, mas retrata bem a realidade da juventude masculina séria e comprometida com Deus das igrejas em geral, uma realidade de jovens comprometidos com santidade e infelizmente bombardeados de todos os lados pela mídia cada vez mais liberal. Vamos analisar por partes:
Vestir modesto/Sabemos que é complicado/Quando o mundo faz isso tão difícil/Não precisa de mini saia/Ou camisas decotadas/Ser do jeito que você é já é o bastante”. Quando eles falam aqui de “vestir modesto” significa que você não precisa de roupas provocantes, maquiagens excessivas e mil e um artifícios visuais para chamar nossa atenção e nós sabemos que é complicado porque o mundo diz todo dia que você, para ser desejada, precisa agir e se vestir como eles mandam, para a gente o importante é que você seja autentica, seja você mesma, não siga modas porque os outros dizem que é legal. Quem gostar de você tem que gostar pelo que você é e não pela sua forma de vestir. A pergunta aqui é: quem você é? E esse quem tem que ser Cristo. Se diminua cada dia mais para que Ele apareça através da sua vida, busque primeiro o que é do alto e as demais coisas serão acrescentadas. 
“Os outros não parecem se importar/Ninguém a não ser você/Baby você ilumina o mundo como ninguém/Pelo modo como você fala e se respeita/Garotas integras são difíceis de achar esses dias/Você tem que saber/Você é tão bonita”. Aqui o tema é o seguinte, sabe toda essa sua preocupação em parecer deslumbrante e desejável pela sua aparência? Sabe aquela preocupação em se comparar com as outras garotas pelas roupas, sapatos e bolsas? A gente não se importa com isso! Sabe como você ilumina o nosso mundo? Pelo modo como você fala e se respeita! Pela forma como a gente te vê trazendo palavras de paz e conforto, palavras edificantes e como essas palavras não são só palavras, mas se refletem na sua vida. Você é linda pelo simples fato de que Deus te fez e você é filha dEle e quando você reflete a integridade do Pai já é o caminho andado para ter algum cidadão completamente apaixonado por você. 
“Se você apenas visse o que eu posso ver/Você entenderia porque eu preciso dessa modéstia/Agora eu estou falando com você/E você deve acreditar/Virtude é tão bonito/É isso que te faz bonita”. Essa parte eu não sei se peguei bem o sentido, mas na minha interpretação é o seguinte, mesmo sabendo de tudo isso acima nós homens ainda somos muito visuais, então um jeito indecente de se vestir vai nos chamar a atenção sim, porém de maneira errada e que poderá nos levar a algum tipo de queda espiritual, por isso nós PRECISAMOS dessa sua modéstia na hora de se vestir, por favor, entendam nosso lado… Mas acredite, suas virtudes (atitudes) são o que te fazem bonita, novamente, você não precisa de minissaias e blusas decotadas.
Então vamos lá/A maioria entende isso errado/Para provar que estamos certos colocamos numa canção/Nós não sabemos porque/Você iria querer um rapaz/Que só se importa com o que ele vê com seus olhos”. Essa aqui é uma dúvida masculina. Eu falei que ia deixar meu romantismo shakespeariano de lado e deixei, tudo que falei foi baseado no ponto de vista de um rapaz que, por mais tranquilo na vida que esteja, pensa por onde anda sua costela perdida (rsrs). A questão aqui é porque muitas garotas, mesmo depois de tudo que foi exposto acima, se envolve com rapazes que só se importam com o que seus olhos veem, ou seja, só se importam com o físico, muitas vezes não estão nem ai para o lado espiritual e nem para o emocional, são indiferentes e vão sim te fazer sofrer. Rapazes que se esquecem de uma simples verdade exposta em Provérbios: “A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme o Senhor será elogiada.”.
Conheço vários casos de mulheres que se envolveram com rapazes e sofreram bastante exatamente por isso, eram lindas, mas se apaixonaram por alguém com zero de vontade de ter um compromisso sério. E conheço homens nessa situação também. Não sejamos hipócritas, a paixão e a atração física são necessárias, não inicie um namoro sem uma metáfora, sem uma canção, sem um apelido, sem paixão. Não construa um relacionamento sem um alicerce avassalador, sem magia, sem labirinto, sem códigos, sem poesia. Para mim, o envolvimento – prefácio do amor – parte sempre do primeiro encontro, nunca do décimo oitavo. Mas falo por mim, um clichê ambulante de barba por fazer. Uma metralhadora de emoções de camiseta de filmes cults e calça jeans.
O que é importante lembrar:
“A PESSOA CERTA É AQUELA QUE TE LEVA PARA MAIS PERTO DE DEUS.”.
Raphael Douglas Almeida
Florianópolis/SC
 

A Queda!

Aconteceu algo incomum nas minhas manhãs:
Estava eu caminhando em direção à universidade quando atravessei a rua, relativamente movimentada, mas com total segurança. Então, ouvi atrás de mim uma voz angustiada clamando: “Meu Deus… Ai meu Deus!”. Voltei o olhar e vi uma cena que me fez parar e observar, já que não era o caso de me aproximar e pedir ajuda. A pessoa que gritou, clamando por Deus, era uma senhora que estava acompanhada de alguém que parecia ser sua filha.
O clamor angustiado daquela senhora foi pelo fato da jovem, ao acabar de atravessar a rua, em sentido contrário ao meu, sofria uma queda, eu digo sofria porque ainda vi o final do tombo, que, apesar de não ter sido grave, foi relativamente sério e a jovem estava acabando de se prostrar de forma indesejada e constrangedora, como resultado da queda enquanto a senhora olhava e estendia a mão tentando ampara-la, mas sem nenhuma possibilidade viável, o que a deixou como mais uma espectadora, mesmo contra sua própria vontade.
Percebi que a jovem chegou a bater com o rosto no chão e após a queda, com a ajuda da senhora que mostrava-se apreensiva e angustiada, ficou ainda por alguns minutos parada naquele lugar, com o rosto entre a mãos, mas sem nenhum sinal de sangramento ou algo mais grave, graças a Deus. Certo de que nada pior havia acontecido, fiquei observando de longe, mas não fiquei ali a observar simplesmente por causa do fato em si, mas pela cena, aquela mulher angustiada, mesmo a filha já de pé limpando o rosto e se refazendo do momento humilhante, a senhora ainda se angustiava…
O fim da cena foi a jovem abraçando a senhora, superando a própria dor, para tranquiliza-la, que apesar de não ter sido vítima sofreu a dor e a humilhação também. Um dia aquela filha, deduzi serem mãe e filha pelo comportamento de ambas, entenderá o porquê das lágrimas da sua mãe, mesmo sem ter sido ela a vítima do tombo.
Continuando meu caminho, me pus a pensar detalhadamente sobre o que tinha acabado de presenciar e agradecendo a Deus pela queda não ter sido no meio da via, o que poderia ter sido muito mais desastroso. Enfim, me vi refletindo sobre nossa vida, em como uma queda na nossa vida moral, sentimental, familiar, profissional e especialmente espiritual nos deixa prostrados, sem muita reação, as vezes nos deixa de rosto em terra, sem forças ou coragem para encaras todos que nos viram cair, provando a dor física e a dor da humilhação pública.
Como é difícil nos levantar após uma queda em qualquer área da nossa vida, mas quando essa queda acontece na nossa área espiritual, comprometendo nossa relação com Deus e com a eternidade, isso nos traz consequências muito mais graves, quiçá eternas, caso não consigamos nos levantar e, sacudindo a poeira, continuar andando e, sendo necessário como na maioria das vezes é, fazer uma conversão de 180 graus buscando o perdão de Deus e seguindo para o alvo que é Cristo.
Cair é doloroso, nos machuca e machuca mais ampla e profundamente nosso Pai Celeste; cair é muito humilhante, especialmente se vimos os avisos de “Pare” e “Cuidado” nas ‘placas’ espalhadas ao longo de todo caminho que teimosamente insistimos em percorrer por nossa livre escolha, deixando Deus à parte de alguns setores da nossa vida como se fossemos autossuficientes em algumas áreas da nossa vida e “dependentes” dEle em outras tantas… Quanta ilusão nossa.
“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em TUDO conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.” (Fp 4:6, grifo nosso).
 Raphão/Florianópolis/SC

1 minuto de silêncio.

Peço a você que faça um minuto de silêncio e lembre-se do riso de uma criança, lembre-se do som da gargalhada dela, lembre-se que delas é o Reino de Deus. Pense na emoção que uma mãe sente ao ouvir o primeiro choro do seu bebê, pense na emoção dos pais ao ouvir o primeiro “mama” ou “papa”, a emoção de ver os primeiros passos, o ciúmes do pai ao descobrir que a filha tem o primeiro namoradinho, a mãe querendo saber de tudo, pense nas viagens em família e nas fotos de tantos lugares, pense naqueles momentos em que falta energia em casa e todos se reúnem à luz de uma vela para, às vezes, simplesmente estarem deitados um no colo do outro, pai, mãe e filhos.
Agora espero que o um minuto não tenha terminado… Pense no mundo sem NADA disso. Difícil, triste, cinza, não é verdade? Não sou pessimista a ponto de dizer que isso vai acabar, mas fico profundamente triste ao pensar em pais que não experimentarão essas emoções e mais ainda em crianças que nem terão o direito a vida depois que o aborto foi oficializado no dia 22 do mês passado.
Podem dizer, “Ah, mas a lei só prevê aborto para casos de estupro e fetos anencéfalos”, ok, de fato parece ser assim, mas se você ler um pouco mais atentamente a portaria 415 do Ministério da Saúde você vai perceber que embora a priori essa pareça ser a intenção, a portaria abre brecha para que o aborto vire uma prática legalizada, até mesmo na sua própria definição inicial:
“Inclui o procedimento interrupção da gestação/antecipação terapêuticado parto previstas em lei e todos os seus atributos na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais do SUS.”.
Só quero deixar uma pergunta: DEFINA TERAPÊUTICA.
Percebe o problema que gera quando se usa essa palavra de sentido tão amplo e genérico? Interromper uma gravidez quando ela causa ansiedade/stress na mãe (o que acho que toda gravidez causa) não poderia ser considerado terapêutico? Não poder-se-ia usar quase qualquer argumento para encaixar em “terapêutico”?
Ainda há os argumentos tradicionais:
“É o direito da mulher ao seu corpo!”. Ok, mas o feto é corpo da mulher? Que eu saiba eu tinha uma ligação com minha mãe quando estava no útero dela, mas eu não era uma verruga, se é que me entende, eu estava dentro do corpo dela, mas não era corpo dela, não era um câncer (que é feito de células do próprio corpo)! É como se minha casa me jogasse pra fora reclamando que ela podia colocar quem ela quisesse lá.
“Ah, mas é melhor abortar do que criar a criança em más condições e sem nenhuma estrutura ou experiência.”. Típico argumento falho, poderia passar horas e horas e horas dando exemplos pra vocês de pessoas que superaram suas raízes. Concordo que o ambiente influencia e constrói muito do que somos, mas está no ser humano a capacidade de se superar.
“Ah, mas no caso de estupro é ok, imagina ser mãe e olhar pra cara da criança e lembrar do estuprador.”. Essa eu já ouvi muito, curiosamente nunca vindo da boca de uma mãe. É impossível, até para um pai, imaginar o laço de mãe e filho e o que esse laço pode superar. Se você for num presídio em dias de visitação poderá constatar que na fila de espera para ver os piores criminosos presos a maioria são as mães deles.
A única situação possível em que o aborto deveria ser pensado é quando a gravidez incorre em risco para a mãe, mas só naqueles casos extremos em que uma escolha deve ser feita, se salva o bebê a mãe morre e se salva a mãe o bebê morre e mesmo assim, observe a palavra que usei, PENSADO.
O aborto não é algo bom, não é algo sadio, é um assassinato e ninguém consegue fazer isso sem apresentar sequelas psicológicas e físicas, mas não sou biólogo, psicólogo e nem nada do tipo, então não vou me meter a falar o que não sei sobre a ciência e implicações psicológicas desse processo, mas uma coisa eu posso dizer, isso é a típica manifestação da natureza humana que desde Adão e Eva tenta correr de suas responsabilidades.
Quem aborta está negando a vida a uma criança e preservar a vida é um dos mais básicos preceitos que Cristo nos ensinou. Quem aborta está descumprindo os ÚNICOS dois mandamentos que Cristo nos deu, amar a Ele acima de tudo e ao próximo como a nós mesmos.
Quem aborta está pecando.
Quem aborta está matando.
A você que está lendo isso, lembre-se que as pessoas que aprovaram o aborto, o pecado, o homicídio, estão lá eleitas pelo voto da maioria, você não foi chamado por Deus pra ser maioria, pra ser mundo, você foi chamado por Deus pra ser geração eleita, sacerdócio real, povo escolhido, você é sal, você é luz… Reflita isso na hora que for votar, vote consciente e vou dar um conselho que eu nunca ouvi ninguém falando, ore antes de votar, ore, peça que Deus o guie na vontade dEle. E enquanto você não vota, ou mesmo que vote e não mude nada, porque afinal não depende somente de você (Graças a Deus por isso) ore, ore pelo seu governante, ore pela bancada que faz as leis mesmo sabendo que eles aprovaram essa atrocidade, ore pra que o Senhor opere a vontade dele no nosso Brasil.
Raphael Douglas Almeida
Florianópolis/SC

Não trate como prioridade quem te trata como opção!


Não gosto de desistir das coisas que amo. E não aconselho a você que desista.
A sua vida merece uma chance de ser especial e memorável. E isso inclui em que você se dedique para fazer a vida de alguém especial, feliz e completa. Também significa ter alguém que faça isso por você. Não por dever, apenas, mas por ser um caminho apaixonante da realização.
Mas, infelizmente, no que se refere ao relacionamento entre duas pessoas, não podemos controlar todas as variáveis, as limitantes e os resultados. Até porque os resultados envolvem diferentes percepções, desejos e níveis de comprometimento.
O amor, embora seja um verbo, antes de uma emoção, é uma daquelas áreas nas quais todos nós gostaríamos de controlar os dois lados da equação, mas só podemos controlar o nosso lado. E orar.
Um romance, seja ele namoro, noivado, casamento ou bodas de diamante, exige que os dois queiram dar um passo em direção ao futuro misterioso todos os dias – juntos. Mesmo que seja para sofrerem juntos, desafiando os problemas. Se você é do tipo que quer casar, e continuar se comportando como solteiro, então é melhor não casar. Fique como está.
Sei que o que está na moda é a fantasia de que “ser livre” é o melhor. Ser independente. Mas, apesar do estardalhaço que algumas revistas semanais fazem, dizendo que muitas pessoas querem ficar sós, não é a realidade que encontro.
Ninguém quer ficar só. As pessoas apenas vestem uma confortável imagem de que a “liberdade” é mais vantajosa do que o compromisso, assim como dizem veementemente que jamais entrarão em um supermercado que os tratou mal – só para irem direto lá, quando tiverem que comprar algo.
Quando o silêncio das paredes internas do coração começa a ser escutado, o “caldo entorna”, e você se pega pensando em passar os próximos anos vivendo com aquela pessoa.
Na medida do possível, apoio meus amigos em seus sonhos e desejos. Mas, nem sempre. Há momentos nos quais você deve olhar bem para aquela pessoa que está tratando você apenas como uma opção, uma alternativa temporária, e deixar de ter a vida dela como sua prioridade. Algumas vezes, ser a pessoa ideal não é o bastante. Especialmente, quando o outro lado da moeda tem uma lista de prioridades enorme, e você aparece em um ingrato 256° lugar.
Naturalmente, há momentos nos quais um amor não pode lhe dar atenção. Há altos e baixos em qualquer vida, por isso não devemos assumir o pior, apenas por um problema temporário. Mas, há também situações nas quais você precisa entender que talvez haja muito mais dentro de você do que a outra pessoa nota ou dá valor.
Lembre-se:
*Não trate como prioridade quem te trata como opção*
Dê todas as chances que puder. Mas, quando não houver mais o que fazer, não faça. Pare de tentar. Você saberá quando a hora chegou. Você saberá quando já tentou tudo.
E, quando chegar este momento, olhe ao redor. Se alguém não trata você como prioridade, há quem trate. Aí pertinho de você. É só olhar com o coração. Você merece ser prioridade de alguém. Você merece ser o rei, ou a rainha, e não o vassalo, ou vassala. O amor é um jogo de “iguais de coração”.

Raphael Douglas Almeida
Florianópolis/SC

Quando a ansiedade bate à porta.

             Ansiedade. Ok, o assunto é realmente muito batido. Levando em consideração o público do blog acredito que tod@s, senão a grande maioria de vocês já deve ter lido, estudado, escrito, ouvido inúmeras mensagens, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, sobre ansiedade. E acredito também que por mais que sejamos figuras carimbadas em congressos, acampamentos, encontros de jovens (e por aí vai) que falem sobre isso a pressão do mundo e o bombardeamento de informações que temos a todo instante muitas vezes superam o nosso “esperar em Cristo”.
Forte isso, não é verdade? Não quero dizer que Cristo não é suficiente pra vencer o mundo, seria antibíblico e contra tudo que eu creio, quero dizer que nós somos falhos e mesmo que estejamos convencidos que esperamos em Cristo a pressão do mundo e da nossa própria natureza às vezes nos dá uma rasteira e a ansiedade toma conta.
Quando estamos retirados espiritualmente em algum lugar (igreja, acampamento, etc) e ouvimos essas mensagens sobre ansiedade e esperar em Cristo é “amém” pra cá, “glória a Deus” pra lá, somos edificados, oramos, adoramos, choramos, cantamos e estamos prontos para enfrentar o mundo, equipados com a Armadura de Deus e esgrimindo a espada da Palavra. Lindo e inspirador… Por uma semana. 
E então todo o peso da nossa carne e as preocupações da vida voltam e se não mantemos o mesmo nível de busca espiritual que tínhamos no retiro acabamos nos sufocando com os cuidados da vida. Esta, caro(a) leitor(a), infelizmente é a realidade de parte das pessoas e como dois mais dois é igual a quatro a ansiedade vai bater à porta e se não forem tomados os devidos cuidados a ansiedade dominará e poderá virar pecado.
Mas gostaria de dizer a tod@s que a ansiedade não é “privilégio” dessas pessoas que são como a semente que cai em terreno pedregoso. Ansiedade faz parte da natureza humana. Ela está presente para todos. Moisés ficou ansioso quando Deus o chamou e jogou a desculpa do “sou pesado de língua”, Gideão ficou tão ansioso que Deus teve que provar duas vezes que as ordens vinham dEle, Sara a medida que ficava mais velha e o filho não vinha ficava ansiosa e arrumou pra que sua serva dormisse com seu marido, Ana chorava todos os dias por um filho, Jesus suou sangue. 
Aqui entra o grande porém, o que essas pessoas resolveram alimentar? A ansiedade ou o seu compromisso com Deus? A natureza humana e o Espírito Santo estão presentes em você e digladiam dentro de você, é seu papel escolher a quem vai alimentar, a quem você vai dar energia e a parte que você escolher vai ganhar.
Agora voltemos ao título do texto, quando a ansiedade bate à porta, o que fazer? Em uma palavra: CRUZ.
A cruz de Cristo é o lugar onde podemos deixar todas as nossas ansiedades. A cruz é a maior prova do cuidado de Deus por nós. Justamente na cruz, Jesus nos mostra o quanto está preocupado conosco:
“E junto à cruz estavam a mãe de Jesus, e a irmã dela, e Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena. Vendo Jesus sua mãe e junto a ela o discípulo amado, disse: Mulher, eis aí teu filho. Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. Dessa hora em diante, o discípulo a tomou para casa.” (Jo 19:25-27)
Até em meio ao Seu próprio sofrimento, quando estava dependurado na cruz, cheio de dores, o Senhor se preocupou com Sua mãe e com Seu discípulo João. No momento de maior dor Jesus toma ansiedade deles e deposita em si.
Devemos levar todas as nossas preocupações até a cruz:
“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças” (Fp 4.6).
Assim como não devemos nos preocupar por “coisa alguma”, devemos fazer conhecidas “em tudo” as nossas petições a Deus. “Em tudo” significa que não existem coisas, por mais pequeninas ou maiores que sejam, pelas quais não devêssemos orar. Não leve alguns problema por conta própria, deixe TUDO na cruz.
Devemos orar e suplicar “com ações de graça”. Devemos agradecer ao Senhor por benefícios já recebidos e agradecer no presente pela certeza dos benefícios futuros, afastando assim qualquer tipo de ansiedade.
“E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito” (1 Jo 5.14-15)
  Raphael Douglas Almeida
Florianópolis/SC



Somos todos macacos…Tem certeza???

Você com certeza ficou sabendo da grande mobilização que gerou a hashtag #somostodosmacacos tuitada pelo Neymar na semana passada, em virtude do ato racista que sofreu o também jogador do Barcelona, Daniel Alves, quando um torcedor do Villarreal (o adversário, no caso) jogou uma banana em sua direção. Pois todo mundo entrou na onda e fotos e mais fotos começaram a ser postadas no instagram, tuitadas, etc. Todo mundo comendo banana, afinal somos todos macacos… não, pera…
Pois é, você talvez tenha entrado nessa onda e talz, mas há um grande porém: não somos todos macacos, somos todos humanos. Daniel Alves quase falou uma grande verdade – eu disse quase – ao dizer isso. O grande problema é que ele afirmou que nós já evoluímos dessa condição. E aí está o grande problema. Por que não somos todos macacos? Alguém poderia dizer assim como ele: porque evoluímos. No entanto, isso não é o que a Bíblia nos diz. O livro de Gênesis logo no começo nos diz que Deus criou tudo que existe e o ser humano foi o ponto principal – a coroa da criação.
Às vezes o cristão fica meio assim quando pensa na criação. Vem aquela ideia: mas será que foi assim mesmo? Tipo, do barro fazer um homem? Faz mais sentido vir de um macaco e talz. No entanto, quando pensamos na grandeza e perfeição do nosso Deus nós percebemos o quanto ele pode. Sim, Deus poderia ter criado o macaco, feito ele evoluir e tudo mais até chegar ao homem. O ponto é que Deus é tão além disso que ele não dependeu desse processo todo.
Além disso, há um ponto imprescindível em relação à nossa crença na Criação de Deus como nos apresenta a Bíblia. Acompanhe meu raciocínio: Deus criou o homem e este, junto da sua mulher, pecou. Assim, o pecado entrou no mundo.
No entanto, como nos diz Paulo, “assim como um só pecado condenou todos os seres humanos, assim também um só ato de salvação liberta todos e lhes dá vida. E assim como muitos seres humanos se tornaram pecadores por causa da desobediência de um só homem, assim também muitos serão aceitos por Deus por causa da obediência de um só homem. A lei veio para aumentar o mal. Mas, onde aumentou o pecado, a graça de Deus aumentou muito mais ainda. E isso aconteceu a fim de que, assim como o pecado dominou e trouxe a morte, assim também a graça de Deus, que o leva a aceitar as pessoas, dominasse e trouxesse a vida eterna. Essa vida é nossa por meio do nosso Senhor Jesus Cristo (Rm 5.18-21)”.
O fato de Adão realmente ter existido faz com que o pecado realmente tenha acontecido no mundo, como de fato aconteceu. Imagine que o homem evoluísse até chegar ao que somos hoje – onde teria ficado o Adão? Como então o pecado teria entrado no mundo? E se não houve pecado também não haveria salvação. E se não há salvação, não há Cristo.
No entanto, sabemos que Cristo é real – sua morte e ressurreição também foram reais. E o sacrifício de Cristo não foi em vão, mas por puro e completo amor a mim e a você. Onde aumentou o pecado, a graça de Deus aumentou ainda mais. A verdade é que não somos todos macacos, mas sim pecadores carentes do perdão e da graça de Deus sobre as nossas vidas. #somostodoshumanos, #somostodospecadores, #somostodoscarentesdagraça
Pr. Cléber Mateus Ribas
Franscisco Beltrão/ PR


#EuNãoMereçoSerEstuprada – Uma visão masculina

Navegar por essas águas hoje em dia é algo complicado, posso suscitar iras e quem sabem esse será meu último post! Antes de começar eu gostaria de dizer que esse é MEU ponto de vista, não corresponde a visão de todos do sexo masculino, provavelmente não corresponde à visão de todos que contribuem para esse blog acontecer e provavelmente não é 100% parecida com sua visão.
Vamos lá!
Acredito que todos, senão a maioria, sabem que o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgou o resultado de uma pesquisa afirmando que 63% dos brasileiros achavam que “Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”, depois reviram esse número e ele estava errado, a porcentagem verdadeira é 25%, mas não é sobre o erro que quero comentar. Também não quero falar sobre o estupro em si. Estupro é crime hediondo, a culpa NUNCA é da vítima, SEMPRE é do estuprador e eu me sinto envergonhado de em pleno século 21 ter 1 pessoa que ache que alguém merece ser estuprado.
Eu quero falar sobre o movimento no facebook que essa pesquisa gerou. O movimento que usa como lema o #EuNãoMereçoSerEstuprada e quero dar uma base bíblica para o ninho de vespa onde pretendo me meter:
1Co 14:40Mas tudo deve ser feito com decência e ordem.
Rm 14:21 – É melhor não comer carne nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa que leve seu irmão a cair.
1 Co 8:12 Quando você peca contra seus irmãos dessa maneira, ferindo a consciência fraca deles, peca contra Cristo.
Mc 12:31 – E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.
1Co 6:12 – “Tudo me é permitido”, mas nem tudo convém. “Tudo me é permitido”, mas eu não deixarei que nada domine.
Peço que não condenem o escritor pelos versículos antes dos argumentos (rsrs), vamos começar:
Primeiramente, gostaria de dizer que sou a favor do objetivo do movimento, ninguém merece ser estuprado! Estupro é um crime contra o físico e o psicológico de uma pessoa, deixa marcas profundas e muitas vezes irreparáveis e a revolta contra a ideia de achar que alguém pede para ser estuprado é extremamente válida e este que vos escreve acha que uma manifestação deve ser feita, não podemos aceitar passivamente um cenário desses, o estupro é o ser humano descendo a um dos graus mais baixos da sua natureza e deixando instinto animal e pecado fluírem livremente.
Você cristão foi chamado para ser LUZ DO MUNDO e não se coloca a luz debaixo do alqueire para que ninguém a veja, antes se coloca no lugar mais alto da casa para que a ilumine, você cristão tem que fazer sua voz ser ouvida propagando a palavra de Deus e confrontando e trazendo A luz para os cantos mais obscuros do homem.
Mas preciso apontar certas coisas que me incomodam no movimento. A começar pelo título “#EuNãoMereçoSerEstuprada”, volte lá nas referências e veja a do livro de Marcos. Ame o próximo como a ti mesmo significa, também, colocar-se no lugar do próximo, romper com esse individualismo dessa sociedade moderna. Ao ver as postagens das pessoas que fazem parte do movimento, mesmo elas afirmando que é um movimento por todos, essa hashtag dispara um alerta em mim, me parece que estão dizendo o seguinte:
“Olha, eu não mereço ser estuprada, minha colega aqui não merece ser estuprada, mas você que não entra no movimento está apoiando essa sociedade patriarcal machista opressora e, não posso dizer que você merece, mas estou pouco me importando se for estuprada.”
Essa hashtag e a atitude das pessoas que participam do movimento praticamente gritam isso para mim. Não seria melhor algo do tipo #NinguémMereceSerEstuprado? Porque homens são estuprados, crianças, animais, corpos mortos também, mas o feminismo tomou essa revolta como algo de propriedade deles quando toda a sociedade deveria se revoltar (comecei a falar de feminismo, pedras voarão). Enfim, acho que a forma de expressão está errada, não o objetivo dela.
Agora algo que, NA MINHA OPINIÃO, fala diretamente às mulheres cristãs são as fotos. Pelo que vi a grande maioria é feita assim: a mulher escolhe uma das peças de sua roupa íntima para vestir, calcinha ou sutiã, e tira uma foto com uma placa escrito #EuNãoMereçoSerEstuprada cobrindo a parte faltante, a pose para a foto fica a gosto da freguesa.
Pergunta: será que essa é a melhor forma de se manifestar? Você está sendo decente como Paulo aconselha em 1Co 14:40? Expor seu corpo dessa forma não poderá fazer seu irmão cair? Porque – flash News – tem irmãos seus que se indignam com o estupro e querem apoiar as mulheres na sua luta, mas se deparam com figuras seminuas nas comunidades.
Então, fazer seu irmão pecar/cair é um forma de mostrar amor a ele, que, segundo Jesus, é O mandamento mais importante juntamente com amar a Deus acima de todas as coisas? Porque, moças cristãs, como disse o pastor Lucinho, nas veias do homem não corre óleo da unção, corre brasa viva do altar! A visão do homem somado a figuras femininas sem roupa é receita certa pro pecado, não importa o quão santo e inefável você, homem, acha que é.
Além disso temos o objetivo das fotos, será realmente se manifestar ou expor o corpo? Deixe-me contar duas histórias:
         Um dia eu estava navegando no facebook e vi uma foto de uma moça desse movimento e entrei para ler os comentários, nele estavam vários homens falando mal da moça porque sua beleza não era a ditada pela sociedade moderna. Estavam fazendo com que ela se sentisse feia e diminuída. Ela se revoltou e saiu do grupo.
        Vamos pensar um pouco: é natural que a pessoa se sinta revoltada, triste, com raiva, quando a fazem se sentir feia, eu sei o que isso, eu sou gordo, não sou fofinho, nem bonitinho, já passei há algum tempo desses estágios, hoje sou gordo e a sociedade diz que eu sou feio e me sinto muitas vezes assim, logo entendo perfeitamente essa menina, mas eu penso que o objetivo do #EuNãoMereçoSerEstupradaé algo universal e que vai muito além da beleza do corpo, porque quem quer estuprar não se importa muito com beleza já que está dando vazão à animalização, então qual é o objetivo? Protestar contra o estupro e nesse caso o protesto vai além do que pessoas possam dizer sobre minha beleza ou estou buscando aprovação de pessoas na internet porque tenho graves problemas de autoestima e quando não obtenho likes e aprovações que eu quero fico ofendido e saio do movimento?
A outra história eu vi em um compartilhamento de um amigo no facebook, era um menino dos seus 14 anos que fazia propaganda de sua página: “Estou guardando as fotos do #EuNãoMereçoSerEstuprada para me m*** depois”, creio que todos entenderam. Isso aí é o tiro saindo pela culatra, mulheres se manifestando contra o estupro e ao mesmo tempo tendo seus corpos objetificados por outros homens e o pior, tem mulheres que nem se importam, acham engraçadinho, faça-me o favor!
Então pergunto a vocês, será essa a forma certa de se manifestar? Repito que sou a favor do objetivo do movimento, NINGUÉM MERECE SER ESTUPRADO, mas será que para a mulher cristã essa forma de manifestação no facebook é conveniente?
Em seus passos o que faria Jesus?
Raphael Douglas Almeida
Florianópolis/SC