halloween

Halloween – E aí? Pode comemorar?

Reading Time: 2 minutes

O início da comemoração do Halloween começou cerca de três mil anos atrás com os celtas. Eles comemoravam durante três dias, iniciando no dia 31 de outubro, o fim do verão e a passagem do ano celta, que se inicia no dia 1º de novembro.

Até aí tudo bem. Porém, este povo era politeísta e acreditava em diversos deuses relacionados com os animais e as forças da natureza. Com isso, eles acreditavam que no dia 31 de outubro os mortos se levantavam e se apoderavam dos corpos dos vivos. Por esse motivo, eram usadas fantasias e a festa era repleta de artefatos sombrios com o objetivo principal de se defenderem desses maus espíritos. Com o passar dos anos, a festa foi se transformando e ganhando novas tradições. Atualmente, ela pouco tem a ver com sua origem.

 Sobre alguns costumes dessa comemoração, segues algumas curiosidades:Leia mais…

Quando você precisa de um abraço

Reading Time: 2 minutes

Sou do tipo que falo do que preciso: ah, preciso comer um doce, preciso de ânimo, preciso correr, preciso agir, preciso de um abraço, PRECIIISO de um tênis novo.

Falo muito, sobre muitas coisas, mas uma das coisas que aprendi com o tempo é de que quando estou pra baixo preciso também manter meu hábito de falar.

As pessoas não adivinham como nos sentimos. Por isso, falar para as amigas que estamos precisando do abraço delas é especial. Quando temos boas amigas dificilmente ouviremos um “sai pra lá” quando estamos precisando do seu ombro.

Às vezes, em nossas vidas, temos uma tendência de nos fecharmos em nossos casulos quando as coisas não andam como planejadas.

E nossas amigas, ah, elas também têm uma vida corrida e muitas vezes conturbadas, e, anseiam por um recadinho carinhoso cheio de saudade, e podem estar esperando o mesmo que temos esperado delas.

Quando nos perdemos em nossas defesas e autocomiserações nos afastamos do abraço curador. Do ombro que foi feito para apoiar. Do colo quentinho. Da risada gostosa de quem nos faz bem.

Quando estou tentada a lamuriar que “queria que alguém também se impostasse comigo” ou “isto e aquilo e blá-blá-blá.” Eu visto minha capa da vergonha e reflito de propósito: “e você, tem ligado para suas amigas? Tem perguntado se está tudo bem com elas? Tem plantado o que você anseia colher?”

Quando pensamos que quem dá o primeiro passo, sempre tem a melhor visão do alto entendemos que “tudo bem” sermos insistentes em manter vínculos e esbanjarmos palavras de vida para quem nos importamos.

Mostrar que nos importamos, faz com que recebamos o abraço que tanto queríamos, as palavras bem-ditas voltam com o mesmo carinho que foram proferidas. Insista em seus bons relacionamentos. Insista em dizer várias vezes “eu te amo” num dia só.

E lembre-se: hoje é um bom dia para se importar <3

Hoje no do dia do amigo, te desafio a ligar para alguém que você ama.

Deixar recadinhos que você gostaria de receber.

E receber em dobro o carinho que você doou.

 

 

Celebre a Páscoa

Reading Time: 3 minutes

Celebrar a Páscoa tem o propósito especial de lembrar a salvação em Cristo, do sacrífico de Jesus na Cruz que nos libertou do pecado. A Páscoa é sinônimo de amor, pois representa a maior demonstração de amor que o mundo já viu:

Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.” João 15:13.Leia mais…

O impressionante sacrifício de Jesus

Reading Time: 2 minutes

A tendência do homem é desviar das dificuldades. Procuramos sempre pelo caminho mais tranquilo, aquele em que as chances de sucesso é maior. Procuramos desviar de possíveis problemas e de qualquer tipo de dor e sofrimento que estes possam nos oferecer.

Talvez, essa visão humana de desviar de sofrimentos, dificulte nossa compreensão do porquê Jesus entregou sua vida por nós, do porquê Ele escolheu morrer por nós. (“Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai.” João 10.17-18)

Jesus entregou-se em favor de muitos, para que pudessem reconciliar-se com o Pai e desfrutar da vida em abundância que só Ele pode oferecer.Leia mais…

Quero falar sobre o Papai Noel.

Reading Time: 3 minutes

Quando dezembro começou a se aproximar e o meu noivo e eu vimos os enfeites de Natal a serem vendidos no comércio, eu disse prontamente que não queria o Papai Noel em nosso apartamento, justificando que ele não tem nada a ver com o Natal, ofuscando seu real sentido, o nascimento de Jesus. Mas, ao pesquisar sobre a sua origem, percebi que estava equivocada (acalma o coração, e leia até o final, combinado?).

Nasce o Papai Noel…Leia mais…

Abraçar alguém é falar sem Palavras

Reading Time: 3 minutes

Você sabia que o abraço está presente na Palavra de Deus de uma maneira bem especial? Sim!

O abraço sempre foi algo benéfico desde o antigo testamento. A bíblia está repleta de abraços bonitos. Quatro deles estão em Gênesis.

Temos o abraço de Labão em seu sobrinho Jacó quando o viu pela primeira vez (Gn 29.13) como um ato de reconhecimento familiar e de saudade. O que dizer do maravilhoso abraço dos gêmeos Esaú e Jacó depois de uma briga que durou vários anos (Gn 33.4), onde através desse abraço houve perdão. Temos o terno abraço de José no seu irmão Benjamin (GN 45.14) num misto de cura, perdão, saudade e alegria. E o comovente abraço de Jacó nos netos que até então nem sequer conhecia (Gn 48.10)? Quanto significado nestes abraços.

Leia mais…

Quando o Dia das Mães é difícil

Reading Time: 3 minutes

Eu perdi meu primeiro bebê. Eu lembro de estar chegando em casa quando eu recebi a notícia, meu casaco vermelho apertado em volta de mim por causa do vento. De repente ficou claro que aquele casaco se ajustou tão bem, que eu poderia apertá-lo firmemente em torno do meu ventre porque ele não estaria preenchido. E eu o apertei ainda mais.

Dia das Mães pode ser um solitário e difícil momento para muitas mulheres. Você pode ter perdido sua mãe, você pode lamentar por uma mãe ausente na sua vida, você pode desesperadamente querer estar grávida e ser infértil. Igrejas distribuem rosas e fazem sessão de fotos de família no Dia das Mães e você pode encontrar-se excluída e sozinha. Em muitas culturas as mulheres são vistas primeiramente como mães, é difícil quando você não se encaixa no modelo. Se o Dia das Mães proporciona tal dor, como nós ainda sim encontramos esperança no evangelho?

Leia mais…

Aqui está o meu coração

Reading Time: 2 minutes

O amor é a flor mais bela no jardim de Deus dos traços de caráter.

Erin colou um grande coração vermelho na frente do cartão que ela estava fazendo. Era importante que o cartão ficasse do jeito que ela queria, porque ele era para a vovó que morava no Maine.

A avó havia ficado doente, e Erin esperava que o cartão pudesse animá-la.

A mãe da Erin entrou na sala de estar e olhou para o cartão.

-Não entendi, Erin! – ela disse. -Parece um cartão de Valentines day¹. Mas estamos em julho.

-Eu seu, -disse Erin assim que ela terminou de escrever no cartão. -Eu estava pensando no que o Pr. Miles disse no último domingo, que quando entregamos nossos corações a Jesus estamos prometendo amá-lo para sempre, da mesma maneira que Ele vai nos amar para sempre. Eu estou dando esse coração para a vovó para que ela saiba que eu também vou amá-la para sempre.

Leia mais…

O que eu NÃO posso esquecer ao crescer?

Reading Time: 2 minutes

“Quero trazer a memória o que me pode trazer esperança”. Lamentações 3.21

Quando eu era criança, surgiu uma história de uns homens maus que arrancavam os olhos das crianças. Eu, bem pequena, morria de medo de que eles me “pegassem”. Até hoje eu lembro das pessoas comentando. Diziam que era real, e eu acreditava piamente naquela história. Mesmo que em minha casa nunca fui incentivada a “criar” medos de estimação, a febre era geral entre meus coleguinhas e eu também passei a tê-lo.Leia mais…

Um dia de lembranças…

Reading Time: 1 minute

“Mas ficaram, ali Maria Madalena e a outra Maria, sentadas diante do sepulcro” Mt. 27.61

Num sábado como hoje fico imaginando o que estava passando  no coração das mulheres que seguiam a Jesus…

Tristeza?

Solidão?

Expectativa?

Confusão?

Numa cultura de desamor a mulher. Aquele homem foi um verdadeiro gentleman

Creio que um filme passava na cabeça delas.

Penso na mulher chamada de “adúltera” – ela encontrou a sua dignidade em Jesus.

Será que seu coração estava dilacerado?

O primeiro homem a tratá-la com dignidade estava morto. O que faria agora?

Restaram-lhe as lembranças e ensinamentos.

Penso nas tantas “Marias”  estas que foram ao sepulcro e nas tantas outras como a amiga, a mãe…

Este dia não devia estar sendo nada fácil. Mesmo com tantas promessas futuras, a dor do presente parecia calar a esperança de um futuro…

Algo novo aconteceu e lidar com tudo isso trazia à tona uma sensação “inexplicável”…

Quantas vezes passamos por momentos onde o “inexplicável” que ser explicado?

Quantas vezes,  a confusão vem nos visitar e insiste em morar em nossos corações?

Ah, como eu quero ser fiel também nesses dias, e assim como as “Marias” permanecer ao lado do sepulcro daquele que me amou até o fim.

E que na na confusão, eu traga a memória quem Ele é…

marta