Por que eu não tenho o que ela tem?




Você acordou de ótimo humor. Tudo parece estar indo bem. Aqueles sapatos que você comprou no último final-de-semana parecem adicionar um novo balanço no seu caminhar. Você está convencida que o seu jeans está te deixando uns 5 kilos mais magra hoje. O seu cabelo está exatamente do jeito que você queria, finalmente! Você está se sentindo confiante! Então, acontece. Seja lá o que for. Talvez você percebeu que a garçonete que te atendeu na hora do almoço é linda. Ela é mais magra que você. De repente, você está odiando aqueles jeans que antes te deixaram mais magra. Talvez, haja uma garota nova no trabalho, que está recebendo inúmeros elogios, e você tem feito seu trabalho bem por mais de 5 anos, sem receber mais que um “obrigado”. Talvez você tem sido super grata por seu Corsa, quando uma loira, alta estaciona sua  Eco Sport ao seu lado.
“O que ela tem que eu não tenho?” Raramente alguma de nós irá dizer isso em alto e bom som. Mas com certeza, todas nós já pensamos isso. Nós estamos constantemente em comparação com o que os outros tem que nós não temos. A comparação é a “ladra da alegria”, é o fundo do poço da falta de confiança e auto-depreciação. Comparação é cobiça e substitui a gratidão. Ela nos faz pensar de forma egoísta em nosso interior. “Eu queria ter o corpo dela, o trabalho dela, a vida dela, o marido dela. A verdade é que quando nós lutamos com a comparação com a vida dos outros, sua vida, seu trabalho e seu marido, nunca serão suficientes. A grama sempre será mais verde em outro lugar.
Se você se encontra no buraco da comparação, aqui vão algumas verdades bíblicas para conseguir lidar com isso:
1. “Cada um examine os próprios atos, e então poderá orgulhar-se de si mesmo, sem se comparar com ninguém, pois cada um deverá levar a própria carga”. Gálatas 6:4-5.
Em outras palavras, faça o que Deus lhe chamou para fazer. Corra a sua corrida. Permaneça no seu caminho. Foque em fazer suas coisas bem ao invés de focar aonde o caminho dos outros está levando eles.
2. Finalmente, meus irmãos, alegrem-se no Senhor! Escrever-lhes de novo as mesmas coisas não é cansativo para mim e é uma segurança para vocês. Filipenses 3:1.
Genuinamente, alegre-se com os outros quando eles são abençoados. Quando suas amigas se casam, seja agradecida por seu novo esposo, o qual você sabe que ela orou, ao invés de focar na sua própria solidão. Quando seu vizinho compra um carro novo, se alegre com ele. Se alegre quando você vê Deus agir na vida de outra pessoa. Ele tem planos maravilhosos para você também. Podem ser planos diferentes ou em um tempo diferente. No entanto, os planos são maravilhosos.
3. Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância.
Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade.
Filipenses 4:11-12
Aprenda a ser agradecido por aquilo que Deus coloca nas tuas mãos, não naquilo que você pensa que deveria ter. Confie que Deus tem o melhor interesse em mente. Ele nos conheceu antes mesmo de termos nascido. Ele nos escolheu. Ele nos ama.
Comparação causa divisão. Ela nos leva a não gostar da linda garçonete que está nos servindo, a nova garota do trabalho, a dona do EcoSport. Nós todos temos nossas próprias cruzes para carregar. Nós todos temos triunfos e derrotas, alegrias e dores de cabeça. Não fique secretamente desejando a vida de outra pessoa. Esteja cheia de gratidão pela sua própria vida.
Jeniffer Maggio
Texto extraído do site “I believe
Tradução por Roberta Ernst

Você é espetacular – Você é perfeita!


Oi querida Fémenina – tudo bem com você? 
Espero que esteja muito bem, segura nos braços do Pai, porque o título não é (nem de longe) o que parece ser. 
De fato, espero que, ao final de nossa reflexão, possamos concordar que o pronome da frase está inadequado. 
Gostaria de falar um pouquinho sobre “ser o máximo” em alguma área da sua vida.
Talvez você seja uma “pretty woman”, daquelas que todos viram a cabeça para olhar; talvez seja excelente na área de cálculos; talvez saiba falar em público muito bem; talvez tenha uma belíssima voz, talvez seja simplesmente encantadora.
Tanto faz: – toda menina deseja ser excelente em “quase tudo”.
Contudo, há uma qualidade necessária para que você seja “quase perfeita”: – a autoanálise. Se você for boa nisso, já sabe que nunca será perfeita, mas fará o possível para aproveitar seus pontos fortes.
Pois é isso mesmo: – valorizar e usar o que temos de melhor é o caminho – Deus deu dons diferentes a cada uma.
Lembra do texto que fala que cada uma de nós é uma parte do Corpo de Cristo?
Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se tudo fosse ouvido, onde estaria o olfato?    E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? (I Cor.12:17 e 19)
O perigo ocorre para algumas pessoas, que de tanto ouvir elogios, começam a gostar do que ouvem, acariciam seu ego, pensam que são (por si mesmas) tudo isso… e aí – é a queda! 
Nesta questão de soberania e excelência, o trono só pode ser ocupado por uma pessoa – Jesus Cristo – em qualquer atividade da sua vida. Não pode haver 2 reis – nem mesmo a sua bela voz, a sua excelente performance, a sua carreira de vitória.
“Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom”. (Luc.16:13)
Quando você é “quase perfeita”, ao receber elogios é preciso ter cuidado com suas atitudes mais interiores. Cuidado! O inimigo de nossas almas deseja destruir sua vida e tirá-la do Reino de Deus.
A vaidade o a autossuficiência são excelentes armas que ele costuma usar. 
Minha dica de hoje é:
Faça o melhor, dê o melhor de si – em qualquer ambiente onde estiver.
Mas nunca se esqueça que a glória, a honra e o louvor pertencem somente a Deus!
Qualquer atributo ou qualidade que você tenha foi presente dEle, para usá-lo para o propósito dEle!
E seja feliz com Jesus! 
Grande beijo!
 Beijão da Vovó Descolada

A dor que mais dói..

Viemos à vida em meio a sorrisos pela alegria e lágrimas por causa do sofrimento de quem nos fez chegar. Partiremos em meio a dores no nosso corpo e na alma dos que nos amam.

E o intervalo entre estes dois momentos é feito de dores, das quais as cólicas renais e biliares ocupam o topo das escalas.
No entanto, as dores não são realmente comparáveis. Como pode alguém dizer que a sua dor é maior do que a do outro, se a recepção da dor é exclusiva e intransferível?
Não são algumas dores bem recebidas, como a do parto que traz a vida e a do atleta que quer vencer? Não somos até gratos pela dor da cirurgia que nos salvou da morte?
Dores são reais; por isto, fazemos tudo para não senti-las em nosso corpo.
Difícil é nos livrar das que mais doem, que são as dores na alma.
A dor da depressão nos incapacita para a luta.
A dor da rejeição nos fecha para o amor.
A dor do medo nos aprisiona.
A dor do abandono é como uma agulha que não sai da carne.
A dor psíquica nos faz andar em círculos, sem sentido.
É esta dor que precisamos enfrentar. Para tal, precisamos reunir as débeis forças que nos restam para pedir socorro. Não é fácil porque dói pedir socorro. Na caverna, em que a escuridão nos impede de ver, carecemos de alguém que nos conduza para onde o sol bate. A porta da prisão se abre por fora.
Quando sofremos no corpo, saímos em busca de ajuda, mesmo cambaleantes.
De igual modo, se estamos sofrendo as dores invisíveis da alma, precisamos pedir ajuda, mesmo com voz tênue, mesmo que nos arrastando por entre os escombros de nossas lembranças tristes.
E se estamos no lugar de perceber a dor do outro, devemos agradecer a Deus por tê-la visto, pedir a ele que nos capacite e, com firmeza, tomar pela mão carinhosamente o que sofre para ajudá-lo a caminhar em direção à vida.



Extraído do site:

Indicação Equipe Fémenina

A oração do “Pai Nosso”


A oração do Deus pai
É nessa oração que aprendemos com Jesus, que Deus deseja se relacionar conosco de forma mais íntima, mais sincera e mais pessoal. É nela que vemos que em Cristo podemos nos achegar a Deus como um filho a um Pai. Nessa oração, Jesus me ensina que com Deus eu falo como falo com meu pai, não como quem manda, mas como quem sabe que o pai o ama, sabe o que é melhor para mim, e mesmo que custe uma infelicidade momentânea, olha sempre além daquilo que desejo, e realiza o que for para o meu bem. Deus sai do lugar de fornecedor dos seus desejos para o lugar de Pai que você deve amar.
A oração sem egoísmos
É na oração do Pai Nosso onde Jesus me ensina que com Deus, não se relaciona meu egoísmo, minhas vontades e meus desejos. Trata-se de uma relação plural. Apesar de estar sozinho, no quarto de oração, não tendo ninguém além de Deus com você, sua conversa é plural, você fala com Deus como quem sabe que tem muitos irmãos. Como quem sabe que a maior das batalhas que terá de enfrentar durante a caminhada de fé e peregrinação espiritual é o de negar-se a si mesmo e olhar para o de fora, para além de si. Sabe que sua maior luta é contra suas vontades, tentações e desejos.
A oração do Reino
É na oração do Pai-Nosso, mais do que em qualquer outra, que nós aprendemos grandes coisas sobre Deus. A primeira é a existência real de uma forma de viver onde Deus é uma realidade concreta e os seus preceitos não são tidos como loucura, filosofia vã, altruísmo ou idiotice, mas todos os habitantes desse reino são inspirados e levados a experimentarem mais dEle e de seu amor na prática dessa realidade, nessa forma de viver e pensar na vida. Isso é o reino de Deus. O Pai-Nosso é pra gente teimosa que ainda insiste em acreditar que Deus deseja restaurar a humanidade.
A oração para abrir mão
Não tem mais essa do que eu penso, quero, faço, sonho e pronto. No Pai-Nosso, o que conta é a vontade de Deus. E se for pra Ele realizar mesmo a vontade Dele, muita coisa teria de ser diferente. Muita coisa ia ter de mudar na nossa vida.
A oração do compromisso
No trecho do “pão nosso”, pense que: pão nosso é fome, pão nosso é carência, pão nosso é necessidade, pão nosso é problema. Ainda, pão nosso é dependência diária. É fé na provisão de Deus também, e a pessoa “gramatical” da oração é a primeira, só que do plural. O outro come comigo, sua necessidade é minha também; seu problema também é meu; sua carência é minha responsabilidade; sua fome é minha fome. Vai por mim, orar o Pai-Nosso sabendo do que o pão nosso pode implicar é desconfortante e pode te fazer pensar em muita coisa.
A oração do perdão
Não se trata de opção, mas de condição. Causa e consequência. Perdão me traz perdão, não perdão me traz não perdão. Simples. Você terá de abandonar seu hábito de fofoca, seu rancor, sua amargura. Terá de aprender a olhar para o outro, mergulhado, encharcado no sangue de Jesus. Ainda terá de ver entre o erro dele que te gerou feridas e grandes angústias, pela ótica da cruz. Compensa mesmo carregar essa angústia e ressentimento sabendo que o preço disso foi consumado no madeiro? Na verdade, você terá de aprender a olhar para o outro, disposto a amá-lo novamente, como Deus faz contigo.
A oração contra o pecado

Aqui quero deixar claro que você é pecado. A queda de Adão grita através de você. Mas a condição de depravação total que você se encontra não é motivo para uma vida desgraçada que te conforta quando as verdades da palavra não são respeitadas. Cristo te ensina nessa oração: lute contra a tua vontade de fazer aquilo que já te foi ensinado pelo Pai, em obra do Espírito Santo, que não é da vontade dEle que você faça.

Raphael Douglas Almeida
Florianópolis/SC

Sonhar os sonhos de Deus


Por que as coisas não acontecem, muitas vezes, a nossa maneira? Porque são frustrados, alguns dos nossos sonhos?
Não gostaria de deter-me na parte negativa dos sonhos, mas, na parte positiva dele, ou seja, como realizá-los a luz da palavra de Deus. Temos que, primeiro, partir do pressuposto, de que Deus pode e vai frustrar certos planos nossos. Quem conhece as Escrituras Sagradas sabe de algumas histórias de homens e mulheres, aos quais, Deus frustrou lhes os sonhos e planos; ex: Moisés fora criado para ser, pelo menos, o segundo faraó. Abraão tinha sua vida em Ur dos caldeus, Deus, porém lhes chamou para uma terra distante. Davi intentou edificar um templo em honra ao nome do Senhor, mas este frustrou os planos daquele. E muitos outros exemplos. Mas… O porquê de ser assim?
Seria Deus, um ser sádico? Não! Tem prazer nos sofrimentos de suas criaturas? Definitivamente não! As ações de Deus são baseadas em seus atributos: Soberania, Onisciência, Amor, Misericórdia etc. Ele enxerga além! Não somente o que vai acontecer de ruim, mas, também, o que de bom; e Ele sabe o que é melhor para nós. Por outro lado, nós, não sabemos o que vai acontecer a dez minutos a nossa frente; não sabemos o que há de acontecer de ruim ou de bom. E definitivamente não sabemos o que é melhor para nós. Portanto, nada mais justo do que deixar nossas vidas nas mãos daquele que é o nosso Senhor, e que é Soberano, Onisciente, que é Amor e Misericordioso.
“E qual de entre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra? E pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais o vosso Pai, que estas nos céus?” (Lc 11:11-13) Isto quer dizer: que Deus está interessado em nós, em nosso bem estar; só que tem coisas que Ele não pode nos conceder! Imagina se Deus concedesse tudo o que todas as pessoas pedissem no mundo? Imagina que Caos seria?
A passagem no livro de Tiago 4.1-3 reflete muito bem a situação de nós seres humanos em geral: “De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites”.
Vejamos o que o dicionário diz sobre Sonhar: é ter Sonho, Desejar muito. E diz mais sobre o que é sonho: É delirar, ilusão, fantasia, utopia.
Isto é o que podemos chamar de ‘Sonho Natural’, ou seja, a visão dos homens a respeito do Sonho. Porém, existe um tipo de sonho que é maior e melhor do que o Sonho Natural é o ‘SONHO DE DEUS’. Os Sonhos de Deus são projetos ou planos traçados para um futuro próximo ou futuro distante, para seus filhos.
Os caminhos e os pensamentos de Deus são mais altos do que os nossos, assim, também, os Sonhos e projetos de Deus! E sobre os projetos e desígnios de Deus, o livro de JÓ 42.2 diz: “bem sei que tudo podes e nenhum dos teus planos pode ser frustrado”.
Interessante! Os nossos planos podem não ser alcançados, nós podemos sair frustrados; mas, os planos de Deus não serão frustrados, de forma alguma!
O Que devemos fazer então?
Primeiro, julgo eu, precisamos nos colocar diante da presença de nosso Pai celeste. Apresentar-lhe nossos anseios, vontades, planos, desígnios etc. Mas Lembre-se: “Seja feita tua vontade, assim na terra, como no céu”. Pedir que cumpra em nós os seus planos, e nos conduza neles. Nesse momento precisamos se necessário (eu sei que é difícil!), abrir mão de nossos sonhos, para que o Senhor coloque os seus sonhos em nossos corações.
Não tenha medo do que vai acontecer, não tenha medo de sonhar e de planejar, de acreditar no que Deus colocou no teu coração. Igualmente, precisamos deixar-nos ser conduzidos pelo seu Espírito para não cairmos nas armadilhas do nosso coração.
Precisamos, também, compreender que “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8.28). Não importa o que aconteça: “nenhum de seus planos podem ser frustrados”.

Tenha fé, acredite!
Raphael Douglas Almeida
Florianópolis/SC

Perseverar em Oração


Olá Garotas!
É com grande entusiasmo e alegria que estou a escrever meu primeiro artigo para o Blog, creio que este é mais um dos presentes de Deus para mim.  Faz muito tempo, que Deus vem falando comigo sobre a oração, e esta tem sido uma das áreas nas quais Ele tem mais trabalhado na minha vida e eu gostaria de compartilhar com vocês.
Na Bíblia, encontramos várias referências sobre oração:
Orem continuamente. 1 Tessalonicenses 5:17
Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos. Efésios 6:18
O Deus, ouve a minha oração, inclina os teus ouvidos às palavras da minha boca. Salmos 54:2
Ele atenderá à oração do desamparado, e não desprezará a sua oração. Salmos 102:17
E, tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis. Mateus 21:22
Também ouvimos pregações sobre oração, existem vários tipos de livros que também abordam essa temática, ou seja, conhecemos e sabemos de quão importante a oração é na nossa vida com Deus. Mas e na realidade, será que realmente temos aplicado essa arma poderosa que Deus nos deixou, ou temos orado apenas nos Cultos e nas reuniões de Jovens; Adolescentes? Estamos em constante contato com o Pai através da oração, abrindo nossos corações e desabafando com Ele? Quantas vezes temos passado por atribulações, enfrentamos dificuldades e acabamos ligando para as amigas, falando com nossas mães ou líderes e sem querer acabamos “esquecendo” de orar, ou deixamos a oração como nosso último recurso? Procurando conselhos de várias pessoas, muitas vezes (infelizmente) ouvindo pessoas que não ouvem/buscam a direção de Deus e não se baseiam na Bíblia? Ou até mesmo, oramos durante muito tempo, pedindo para Deus, por algo, e quando vem à resposta da nossa intercessão simplesmente não agradecemos o Pai? Temos orado, consagrando a nossa vida diariamente a Deus, entregando nossos sonhos e projetos, antes de tomarmos as decisões, buscando a direção totalmente de Deus?
A oração é uma das formas mais maravilhosas de estarmos conectadas com o Pai. Eu fico incrivelmente alegre, e me sinto amada quando estou derramando nos pés de Jesus, minhas aflições, meus problemas e dificuldades e sei que Ele me entende bem, que Ele sabe exatamente o que eu estou sentindo que Ele também sabe a solução para o meu problema, e o melhor de tudo eu me sinto no colo do Pai, abraçada por Ele! Também, é indescritível a sensação de quando você chega diante de Deus, e começa a agradecer (começa e não para mais, pois motivos de agradecimentos para Deus são infinitos), mostrando para Ele, o quão grata é, por tudo que Ele é, por todas as maravilhosas obras que Ele tem operado na sua vida, na sua família e principalmente pelo sacrifício de Jesus que hoje nos permite esse livre acesso a Ele!
Deus está sempre pronto disposto a caminhar conosco, nos ouvir, chorar nossas lágrimas, se alegrar com as nossas vitórias, não importa onde estarmos, Ele está ali e Ele vai te ouvir se você clamar. Por isso, a minha oração é para que ao ler esse post, você se sinta incomodada, e busque desenvolver uma vida ainda mais intima de intensa oração com Deus, aproveitando esse presente!
Perseverai em oração, velando nela com ação de graças. Colossenses 4:2
Beijos Meninas e até a próxima!
Manuela Pasquali
Ijuí/RS

PASSOU NO VESTIBULAR – AGORA VEM O TROTE…

“…tende sal em vós mesmos e a paz uns com os outros” (Mc 9:49)
 A palavra sal traz à nossa memória, logo de cara, os alimentos deliciosos: – um churrasco, o feijão da mamãe – seriam totalmente sem graça sem uma pitada de sal, não é? Por outro lado, quando alguns cozinheiros exageram na dose, a comida fica intragável – além de não fazer bem à saúde. 
A verdade é que o sal precisa ser na medida: – nem mais, nem menos. Agora, como aplicar a recomendação de Jesus expressa no texto acima?
Entendo que esse sal do qual Jesus fala, é a influência que você e eu, como filhas e embaixadoras do Rei, devemos exercer entre as pessoas com as quais convivemos. 
Significa que nosso modo de agir, nossas palavras e opiniões precisam ser relevantes, isto é: – não repetir bobamente o que todo mundo diz ou faz (ou digita no tecladinho).
Tem a ver com nossas palavras e atitudes nos momentos de alegria, mas muito mais quando chegam as horas do aperto. Vimos recentemente as cenas dos atos indesculpáveis nos “trotes” dos calouros. 
Os especialistas da psiquê humana costumam dizer que quando em grupo, costumamos agir no “efeito manada”. É que fica difícil (e perigoso) manifestar-se de modo contrário ao que determinam um ou dois líderes fortes das ações inconsequentes.
As leis proibindo esses trotes insanos estão aí há bastante tempo, mas nunca são cumpridas, pelos motivos que todos conhecem.
O que fazer então? Como deve agir uma(um) jovem cristã(o) (vulnerável e vítima perfeita) quando se depara com uma situação assim? A meu ver, depende de ações preventivas de todas as camadas da sociedade.
Os alunos que já estão no ambiente universitário podem e devem ser sal e luz em reuniões com os organizadores dos trotes (geralmente o DCE). Se unidos, os cristãos podem fazer diferença: – revestidos da couraça da justiça e armadura de Deus podem e devem propor debates, desde o início do ano letivo. 
Para ter acesso à essa liderança pequena (mas violenta) é preciso, antes de tudo, espalhar o bom perfume de Cristo, vendo nesses indivíduos seu coração desprovido de afeto natural, sem Deus e sem paz consigo mesmos. 
Uma atitude de superioridade ou simples crítica somente afasta e inviabiliza qualquer diálogo. Mas é preciso cuidado para que a “luz e o sal” não se percam na escuridão – uma atitude de “orar sem cessar” é indispensável – sem Deus nada podemos fazer.
Não dá para esquecer o exemplo de Jesus em meio às multidões de pecadores – agiu como Filho de Deus, mas nunca se deixou contaminar pelo mal à sua volta.
O papel da Igreja é mais específico – a liderança (pastores, professores universitários, profissionais liberais de destaque na cidade) – pode promover encontros com os universitários em geral – especialmente os líderes estudantis.
Há muito tempo estamos sendo omissos – deixando a coisa acontecer – e os fatos (e crimes) ficam mais aterrorizantes a cada ano.
Então, querida Fémenina: – faça a sua parte e estimule amigos e irmãos a fazer o mesmo, lembrando sempre a ordem de Jesus:
“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus”. (Mateus 5:16)
 Beijão da Vovó Descolada


Ops, coloquei meu coração no lugar errado…

“Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração.” Mateus 6.21
É difícil escrever sobre consumismo para uma geração que está mergulhada no consumismo. Provavelmente você já nasceu aprendendo que deve TER para SER alguém. E quando tentamos nos livrar dessa prisão, parece não ser tão fácil assim. Será que é possível viver longe do consumismo? Será que você realmente consegue SER alguém sem precisar ter?
Precisamos ir mais fundo nessa questão, afinal o problema não é tão simples assim. Onde está seu coração? O que faz seu coração bater mais rápido de tanta alegria? Quais são seus desejos? Seja sincera! O começo de todo problema está quando deixamos nosso coração no lugar errado.
Existem apenas dois lugares onde é possível deixar seu coração: Em Deus ou no mundo. É bem simples, se seu coração não está em Deus, está no mundo! Não existe uma zona neutra. E quando está no mundo, isso significa que seu coração valoriza mais as coisas terrenas e passageiras e mesmo os valores mundanos, como o consumismo, do que as coisas do Reino.
Em Mateus 6.19, Jesus nos diz para não juntarmos“…tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam”. Qual o sentido de valorizarmos coisas que se acabam facilmente?  Por que gastamos tanto tempo e energia em coisas que ficarão aqui na terra?
Existem alguns motivos que nos levam uma a consumir desenfreadamente:
-Problemas de aceitação: Você não se sente boa o suficiente e acha que precisa “ter” para ser amiga de alguém ou fazer parte de um grupo;
-Baixa auto estima: Acredita que produtos de beleza ou bens materiais a tornarão mais bonita ou desejável;
-Frustrações não resolvidas: Desconta no consumo as frustrações do seu dia a dia;
-Ansiedade: Encontra no consumismo uma forma de “aliviar a tensão” e a ansiedade;
-Falta de amor ou carinho em casa: Quando não se sente amada o suficiente, principalmente pelos pais, pode encontrar nas compras uma forma de suprir essa carência.
Esses não são os únicos motivos, existe uma lista de problemas que acarretam o consumo desenfreado. Mas, pense comigo, alguns desses problemas são resolvidos quando se vai à loja e estoura o limite do cartão de crédito dos pais? Talvez o consumo “anestesie” momentaneamente a dor, mas no consumo não há cura para os males da nossa geração!
Não é colocando seu coração no que o consumismo te oferece que os seus problemas serão resolvidos. Se você, como garota cristã, quer viver o Reino de Deus, quer ser testemunha de Jesus, lembre-se do que Ele nos ensinou: Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.” Mateus 6.20. E mais,
“Portanto eu lhes digo: não se preocupem com suas próprias vidas, quanto ao que comer ou beber; nem com seus próprios corpos, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante do que a comida, e o corpo mais importante do que a roupa?
Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas?” Mateus 6. 25-26
A sua vida, a vida eterna, não é mais importante do que fazer parte de um padrão imposto pela sociedade? Não é mais importante do que estar vestida de acordo com a moda ou fazer parte da “galera”? Se para estar na moda ou fazer parte da galera, você precisa abrir mão dos tesouros do céu, saiba então que isso não é para você!
E quando a dor for o combustível do seu consumo, pare um minuto e ore. Converse com Deus, entregue a Ele a sua dor. Chore na presença d’Ele se for preciso. Se necessário, busque ajuda com seus líderes da igreja. Mas lembre-se que, se falta amor aqui na terra, do céu caem chuvas de carinho do nosso Pai sobre você!
Ok, precisamos de dinheiro para satisfazer as reais necessidades, não é? Dinheiro pode ser benção quando vindo de um trabalho honesto e quando não é usado de forma ilícita ou leviana. Saiba usar o dinheiro para a glória de Deus.  E mais importante de tudo, coloque seu coração em Jesus, buscando viver os valores do Reino.  Que Cristo seja o tesouro do seu coração!
“Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.”
Mateus 6.33
 Tassia Gregati
São José dos Campos/SP

Autoconfrontação

Pronta para um desafio na sua vida devocional?
BROGER, John C. Autoconfrontação. Um manual de discipulado em profundidade. Palm Desert (EUA): Biblical Counseling Foundation, 1978.
Vou começar dizendo que o livro tem 24 capítulos e eu ainda estou no cap. 11! Há, que atrevida – fazer resenha de um livro que eu ainda nem li inteiro… mas, meninas, é que o livro é tão bom, mas tããão bom, que eu sei que não vou me arrepender.
Também preciso dizer que não se trata de um livro tradicional, mas de um manual de estudos – mas era exatamente o que eu estava precisando para dar um up da minha vida devocional. Cada capítulo tem ao final um guia para devocionais diárias, que divide o conteúdo do capítulo em sete partes. Assim dá para ir estudando todo dia um pouco, o que é muito interessante, já que sempre é bom ter tempo para absorver o que estamos aprendendo.
Mas vamos ao que interessa: por que estou recomendando este livro para você, líder de Fémeninas? Apesar de não trazer nenhuma dica específica para este trabalho, ele trata de um outro aspecto que às vezes esquecemos ou negligenciamos na nossa ansiedade por servir cada vez mais a Deus: o nosso próprio relacionamento com o Pai celeste. A gente corre que nem umas loucas para trabalhar no Reino e põe a vida espiritual no piloto automático: ler a Bíblia, ler uma devocional (opa, nada contra!), orar rapidinho, agradecer pelas refeições e pelo dia e rooonnnc… o sono venceu. Vivi assim durante muito tempo, achando que estava tudo bem.
Mas quando comecei a estudar o Manual de Autoconfrontação, percebi nada estava bem. Tinha um monte de problemas debaixo da superfície que eu nem via mais, e que atrapalhavam o que eu mais queria fazer: amar e servir a Deus de todo coração, alma e espírito.
Uma boa líder sabe que ela precisa começar seu trabalho em si mesma: identificando seus pecados, confessando-os a Deus e tomando medidas concretas para vencê-los. Só com essa experiência ela vai poder realmente ajudar suas lideradas.
O livro do John Broger nos apresenta a palavra de Deus como padrão de vida: fica claro que é possível mudar com a ajuda de Deus. E o manual também tem muitas dicas práticas (ainda que algumas bem difíceis de executar) para vencer os maus hábitos e os pecados que insistimos em cometer todos os dias. O primeiro capítulo da parte mais prática fala sobre inveja, ciúme, cobiça e ganância. Achei que não era comigo – mas só até começar a lição. Os capítulos seguintes falam de ira e amargura, problemas interpessoais, depressão, etc. Alguém se identifica?
Esse não é um livro para ler à noite, antes de dormir. É um estudo difícil, duro, demorado… mas vale a pena. Ele vai levá-la a mergulhar profundamente na palavra de Deus. Se você decidir estudá-lo, não desista também de ir até o fim, de fazer as tarefas propostas. Você vai ver que a Bíblia realmente tem resposta e orientação para todas as situações da nossa vida.
Que Deus a abençoe e faça de você uma líder submissa ao Senhor, um lindo exemplo para suas lideradas.
Onde comprar:
Editora Batista Regular
Dóris Körber
São Paulo

5 curiosidades sobre o abraço

Você sabia que:
1. Quando damos um abraço, o cérebro ativa a libertação de substâncias como a dopamina e a serotonina, a qual produz a sensação de bem-estar, calma e harmonia.
2. O número necessário de abraços que necessitamos para cobrir as nossas necessidades afetivas básicas é de 14 por dia. Em psicologia a falta de contato físico chama-se de ‘fome de pele’.
3. A abraçoterapia é um método que se baseia nos abraços, de forma a facilitar e a eliminar qualquer barreira física e emocional nas pessoas que o recebem, despertando a criatividade, a alegria, o bom humor e a alegria.
4. Se todos os dias abraçássemos alguém ou nos deixássemos abraçar, seguramente que o mundo seria algo bastante melhor.
5. A ação de abraçar é necessária para o nosso bem-estar psicológico, emocional e corporal, pois aumenta a alegria e melhora a saúde da pessoa que o recebe.
Então vamos abraçar mais? 

Obs.: Esse é um repost do Blog Menina do Céu