SOMOS TODOS CORRUPTOS!

Reading Time: 3 minutes

Em fevereiro de 2015, o Estadão de São Paulo fez uma campanha com esta afirmação: Somos todos corruptos! Esta frase de impacto choca e desafia ao leitor a fazer uma troca de papeis; ao invés de tratarmos pessoas distantes como corruptos, apontamos o dedo para alguém mais próximo: nós mesmos.Leia mais…

Toda menina cristã deve ser….grata!

Reading Time: 2 minutes

A gata da minha vizinha da frente criou…uma ninhada de gatinhos pretos…lindos, fofíssimos, dá vontade de apertar… mas apesar de brincarem todos os dias bem na minha frente eu não tinha visto… sério…não vi! Precisei receber a visita dos meus pais e do meu pai dizer: “Você viu a ninhada de gatinhos?”. Fiquei impressionada de não ter visto antes, eles até já estão crescidinhos e eu não tinha percebido.Leia mais…

Toda menina cristã deve ser… cristã.

Reading Time: 3 minutes

Parece redundante, mas não é. Tudo começou com os “do Caminho”, ou seja, os primeiros seguidores de Jesus, que mais tarde, ficaram conhecidos como cristãos. Daí, o nome. Gosto de ver entrevistas ou ler comentários de pessoas que não se identificam como cristãos, mas têm pontos de vista muito interessantes sobre nós. Estou falando de pessoas sensatas, que tem algo a contribuir. É como se ver de fora. Ás vezes, essa indagação pode nos trazer um certo receio. Afinal, como sou vista como pessoa? A minha vida é relevante?

Vamos voltar um pouco no tempo, lá para igreja primitiva. Alguém de fora já fez essa observação dos cristãos há muito tempo e deixou registrada em uma carta a sua impressão. Esse documento histórico, escrito provavelmente entre o II ou III séculos é a “Carta a Diogneto”. Acredita-se que Diogneto foi tutor do imperador Marco Aurélio. Na edição de março/abril de 2013 da Revista Ultimato, o teólogo Paul Freston discorre sobre essa carta. Super recomendo esse artigo.

Olha só, que interessante o que o escritor da carta observou. Escrevo aqui apenas alguns trechos, para nos dar um gostinho: “A diferença entre os cristãos e o resto da humanidade não é uma questão de nacionalidade ou linguagem ou costumes. Os cristãos não vivem separados em cidades próprias, nem falam um dialeto peculiar, nem praticam um modo de vida excêntrico.” Tampouco “seguem esta ou aquela escola de pensamento humano”. Leia mais…

O que eu NÃO posso esquecer ao crescer?

Reading Time: 2 minutes

“Quero trazer a memória o que me pode trazer esperança”. Lamentações 3.21

Quando eu era criança, surgiu uma história de uns homens maus que arrancavam os olhos das crianças. Eu, bem pequena, morria de medo de que eles me “pegassem”. Até hoje eu lembro das pessoas comentando. Diziam que era real, e eu acreditava piamente naquela história. Mesmo que em minha casa nunca fui incentivada a “criar” medos de estimação, a febre era geral entre meus coleguinhas e eu também passei a tê-lo.Leia mais…

Um papo sobre pureza – Parte 2

Reading Time: 4 minutes

Como estão queridonas? Espero que muito bem.

Espero de todo o coração que você esteja mantendo seu corpo puro para glória e honra de Deus.

Hoje iremos continuar falando sobre pureza, mas o foco será um pouquinho mais pra cima… Isso mesmo, a nossa mente. Minha mãe sempre me dizia: “Minha filha, quando a cabeça não pensa, o corpo padece…”. Depois de alguns anos vejo como isso é cada vez mais real neste mundo. Falamos muito sobre a pureza do corpo e como conservar um hímen intacto, mas esquecemos que tudo começa na mente. O pecado começa na mente. Tiago nos fala o seguinte:

Quando alguém for tentado, jamais deverá dizer: “Estou sendo tentado por Deus”. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido. Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz o pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte. (Tg 1.13-15). Então vem as seguintes perguntas:

  • É errado ser tentada? Não, o errado é cair na tentação!
  • De onde vem a tentação? O próprio Tiago responde: Da nossa cabecinha!

Precisamos estar em constante alerta com a nossa mente. Romanos 12.1 e 2 lembra que nossa mente precisa ser transformada para que o corpo possa ser um sacrifício vivo e santo, agradável a Deus. “A queda é um constante ceder” quando nossa consciência fica cauterizada, o pecado vai ser tornando normal. E daí minha filha, o corpo padece mesmo!!!

Leia mais…

Um papo sobre pureza – Parte I

Reading Time: 3 minutes

E aí meninas de fé? Como estão?

Hoje vamos falar de um assunto um pouquinho delicado para algumas de nós, mas de extrema importância para nossa vida, a pureza. Acredito que a maioria saiba o que significa pureza e deve estar pensando: “Prá que chover no molhado? Já sei o que ela vai falar…”. Queria te desafiar ao seguinte: Se você já sabe tudo o que vou escrever aqui continue lendo, se chegar ao final e constatar que você sabia de tudo isso, pense: “Será que Deus está querendo falar algo?” Você deve ter pensado: “Saiu pela tangente…”, mas na verdade existem várias e várias coisas que nós sabemos, mas guardamos em uma gavetinha bem escondida lá dentro do nosso cérebro só prá dizer que sabemos, mas muitas vezes não praticamos. Jesus depois que lavou os pés dos discípulos perguntou se eles haviam entendido a mensagem, eles responderam que sim, mas ele disse que seriam bem-aventurados se praticassem (Jo 13.17). Muitas vezes sabemos, sabemos e sabemos, mas não fazemos.Leia mais…

Você quer casar?

Reading Time: 3 minutes

“Não andeis ansiosos por coisa alguma; pelo contrário, sejam vossos pedidos plenamente conhecidos diante de Deus por meio da oração e súplica e com ações de graças.” Filipenses 4.6

Sempre gostei de falar! As pessoas a minha volta sabem muito bem disso…  (: E sempre externei para minhas amigas que desejava ter uma família e muuuito mais para meu Deus. Mas, tantas vezes que nem posso contar nos dedos, me senti estranha por não parecer “tão espiritual” como algumas meninas – ao compartilhar o desejo de casar, ter um maridão, ter filhos – já recebia um discurso daqueles que não descia na garganta:

  • “Você tem que esperar em Deus!” (Sim, sim, já aprendi…)
  • “No momento que você parar de pensar nisso, vai acontecer!” ( Humm… Será que é assim mesmo?)

Minha cabeça pensante não engolia a frieza daquelas palavras, e nem o meu relacionamento com Deus permitia aceitar. Por mais que havia verdade nas afirmações daquelas meninas sobre “esperar em Deus” e “existir um tempo certo” o que mais rolava no meu coração era o sentimento de fracasso.

“Será que tenho feito tudo errado? Será que existe uma única forma para encontrar o amor da minha vida?”

Leia mais…

Para o homem que não dormirá comigo

Reading Time: 4 minutes

Era um hábito que começou com as conversas bobas no corredor do colégio. Quando nos encontrávamos nas festinhas e tal. Eu escrevia sobre você no meu diário e trocávamos olhares e carinhos. E era tão bom ter você nos meus braços e chamar você de namorado.

Nossas vidas não estavam apenas conectadas por telefonemas e ligações em sussurro no meio da noite, que ecoavam na sala do apartamento que eu dividia com minhas amigas na universidade. Você estava lá, uma presença aconchegante.

Muitas de nós, boas garotas cristãs, faríamos isso. Por um tempo, nosso primeiro ano na universidade seria assim. A vida seria uma extensão do que era quando estávamos em casa. Nós orávamos, escutávamos música cristã, ríamos quando pensávamos nas coisas que aconteceriam no futuro. Então, nossos namorados viriam nos visitar ou simplesmente passar o final de semana. A liberdade que tínhamos agora se misturaria com um turbilhão de emoções e novas descobertas. Nós esqueceríamos que estaríamos guardando a “grande noite” para o casamento. Nós estávamos cruzando uma fronteira muito séria, entrando em um lugar de intimidade radical, mesmo se na nossa cabeça estivéssemos quebrando um mandamento, ou não.

Essa forma de agir apareceu em meus outros relacionamentos depois que terminei com o primeiro namorado. Ela se repetiu muito depois do primeiro ano na universidade. Muito depois da vida de estudante. Ela ecoou na dinâmica de cada relacionamento desde então, como as longas ligações telefônicas com meu namoradinho do colégio.

Leia mais…

Com o que tenho me importado?

Reading Time: 2 minutes

É um tanto quanto inquietante a forma como o cristão têm olhado as circunstâncias ao seu redor e, se desesperado ao ver o que outrora já fora mencionado acontecer (Mateus 24:6-12). Tenho refletido por diversas vezes nos últimos meses sobre o modo como nós, que nos consideramos igreja, temos nos portado diante as situações presenciadas na atualidade.Leia mais…

Socorro! Todo mundo está NAMORANDO! #REPOST 10/10

Reading Time: 3 minutes
Oi gurias mais lindas do sul do mundo (:
Quero compartilhar com vocês algo que veio ao meu coração hoje.
Todas nós temos acesso ao Facebook (ah vá, Vanessa) e somos bombardeadas por notícias o tempo todo. Geralmente as notícias que mais lembramos são as atualizações de relacionamento dos namorados (podem admitir, eu sei que é verdade, a gente sempre sabe quem começou a namorar e comenta com a amiga,haha).
Teve uma época esse ano que eu acho que foram uns 15 casais de namorados que assumiram o relacionamento no Facebook de uma vez só. Foi terrível, tinha atualizações e declarações de amor todo dia… (hahaha). E nós que não temos namorados como ficamos? Queria dizer pra nós (vale muito pra mim também) acalmarmos nossos ânimos. (“Acalmar os ânimos Vanessa? Por quê?” “Ah gurias, esqueci que não temos pressa e nem pensamos em namorar né? … ERRADO, a gente pensa nisso quase todos os dias haha”).