Não desperdice seu sofrimento. (Achados na Internet)

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações.” (2 Coríntios 1:3-4)

Adversidades pessoais e sofrimento nos dão uma nova visão de compaixão por aqueles que também sofrem. Alguém que já sofreu pode ministrar com grande compaixão a outra pessoa que  passa pelo mesmo tipo de adversidade.

Acredito que a pessoa mais efetiva que pode apoiar alguém diagnosticado com câncer é um sobrevivente da doença, porque pode dizer: “Sei o que você está passando. Sei como é ouvir a notícia do diagnóstico. Deixe-me dizer o que eu fiz para passar por isso”.

Leia mais…

Minha história de amor- Patrick e Manuela Allebrandt

A nossa história de amor, assim como muitas histórias dos jovens da convenção pioneira, começou no ABP (Acampamento Batista Pioneiro).

Como todo ano, em 2013 estava eu em mais um Acamzeca (acampamento para adolescentes da Jumap), mas nesse ano eu estava diferente. Tinham acontecido muitas mudanças, principalmente na vida espiritual, eu havia decidido que meu foco estava totalmente em Deus, que eu iria para o acampamento, mas que eu não queria fazer nenhuma amizade, que eu aproveitaria o acampamento para aprofundar e crescer no relacionamento com Deus. E também, eu recém tinha começado a faculdade de direito, tinha decidido que 2013 seria um ano dedicação exclusiva a Deus e aos estudos.

Eis que então, o Patrick surge… ele já era conhecido da Eve/Veve (uma das minhas melhores amigas) então, por mais que eu não quisesse, acabamos nos conhecendo por intermédio dela, e tomamos alguns tererês juntos, porém, sem trocar nenhuma palavra.

Voltando do Acamzeca o Patrick me adicionou no facebook e veio querer puxar assunto, mandou vários “Oi tudo bem 😊?” e eu pensava “nossa que menino chato, não vou nem dar conversa, senão ele vai ficar no meu pé”. Eu já estava pensando que ele estava com segundas intenções (julgamento precipitado e errado) e era “mega” mal educada, visualizava e não respondia…Leia mais…

Além do que os olhos podem ver: Batalha Espiritual

Muitas pessoas vivem como se não existisse nada além do que os olhos podem ver e as mãos podem tocar. Acreditam apenas no que é físico negando, inclusive, a existência de um Ser Divino. Porém, tem também aquelas pessoas que acreditam em Deus, muitas até afirmam ser cristãs, mas que ignoram a realidade do mundo espiritual. A grande maioria nem pensa nisso mesmo, entretanto, alguns preferem fingir que não existe… talvez por medo, talvez para não terem que encarar as coisas que estão erradas em suas vidas…

Precisamos estar atentas para a existência de Deus, mas também para a existência de demônios e do príncipe deles, Satanás. Ignorar que há o mundo espiritual é uma forma de estar suscetível às ciladas do Diabo, pois a Bíblia fala que ele anda ao nosso redor rugindo como um leão, a espera de quem possa devorar (1 Pe 5:8); além disso, ele vem para roubar, matar e destruir (Jo 10:10). Essa é a Palavra de Deus! Parece que diante das muitas igrejas que tem falado mais do Diabo do que de Deus, chegando a fazer entrevistas com demônios, nós, batistas, fomos para o outro extremo, quase que esquecendo que temos de estar vigilantes.Leia mais…

RELACIONAMENTOS SÃO COMO COMIDA

Espero que você, cara leitora, possa entender minha analogia sem nenhuma maldade. Mas pensando seriamente com meus botões me dei conta que relacionamentos são como comida. Perigosos e essenciais, precisamos de prudência para fazer a melhor escolha. Por mais que a pessoa seja alguém que come de tudo, não é sempre que se quer comer qualquer coisa. E isso depende de um fator muito importante que chamamos de “saciedade”.

Quanto mais saciados, melhor descobrimos o poder de escolher bem o que e quando comer. Embora sinta o desejo incrível de comer um bolo de cenoura coberto de chocolate, quando estou saciada da fome esse bolo não passa de um desejo, um aperitivo, que posso comer naquele momento apreciando cada detalhe do sabor, ou simplesmente conseguirei imaginá-lo sendo consumido uma outra hora, sem maiores problemas. Por outro lado, quando estamos famintas aceitamos qualquer coisa comestível, não importa o valor nutricional, se é que há. As vezes nem olhamos o prazo de validade ou informações nutricionais, se é cancerígeno ou está cheio de bizarras manipulações até chegar à sua boca.Leia mais…

“Não vou me posicionar” ?

Sempre que surgem assuntos polêmicos existem três tipos de pessoas: as que concordam, as que discordam e um grande número que diz que “não irá se posicionar”. Vivemos em um mundo onde a liberdade de expressão está maior do que nunca e as pessoas têm “direito” de não se posicionar. O grande problema é que esquecem que “não se posicionar” já é “tomar uma posição”.

Dias atrás aconteceu outro fato polêmico envolvendo a nossa fé a defesa dela. Confesso que fiquei “de cara” com o teor da tal exposição e muito ofendida por se tratar de um ataque total à minha fé. Muitas pessoas se posicionaram, brigaram, xingaram, discordaram, concordaram, mas mesmo em meio do chamado “povo de fé evangélico” existiram aqueles que simplesmente “não se posicionaram”, como se não fosse contra a sua fé, como se não fosse consigo, como se o nome de Jesus não tivesse sido difamado, simplesmente pelo fato de poder permanecer confortável em seu sofá apenas observando e “não se posicionando”. O problema não é somente o acontecimento em si, e quando não nos posicionamos na nossa sala de aula quando repudiam o nome de Cristo? E quando não nos posicionamos quando um colega sofre bullying ou outro ato de injustiça? Quando a injustiça bate na nossa porta e abrimos a porta simplesmente por “não querer me posicionar”.Leia mais…

Ouça com o coração

Minha cabeça dói. Quando penso em todos os compromissos que tenho pela frente, sinto o calor da ansiedade subindo pelo peito. Só consigo ficar longe das mídias sociais quando meu celular cai no chão e para de funcionar, e só segunda-feira para levar na assistência. Barulho na televisão, a música no computador, aquele vídeo no Youtube, mais uma postagem no Instagram, mais uma conversa no Whatsapp. Mais alguma coisa pra fazer e mais uma, e mais.

O Pai me convida para o silêncio, para meditar. Ouvir primeiro minha própria respiração, meu coração bater, para poder ouví-Lo também. Ele me chama para uma Lectio Divina. A Lectio Divina é um método de leitura da Bíblia, é um “ouvir com o coração”. Eu o pratiquei há algum tempo e foi uma experiência surpreendente!Leia mais…

Setembro amarelo

Bom seria se o setembro amarelo fosse assim chamado devido ao início da primavera, não é?

Mas… infelizmente, essa não é a realidade.

Você não precisa fazer muito esforço para encontrar diversas pesquisas sobre os índices de suicídio (que só aumentam) ou encontrar diversos textos que buscam ajudar pessoas…

Também, são apresentados diversos fatores para justificar o porquê de tantas pessoas optarem por dar fim às suas vidas. Dentre eles, a pressão imposta sobre os jovens: estudar, estudar, estudar… ter um bom emprego, uma conta bancária com muitos dígitos, o carro do ano… Viver para ter, não para ser. São adultos que não alcançaram seus objetivos (objetivos, talvez, que outras pessoas impuseram para eles)… são adolescentes, filhos, pais, namorados (as), irmãos, professores…

São pessoas. São almas.

Leia mais…

3º dia: Feminismo e Feminilidade

3º dia: Feminismo e Feminilidade

Ao longo desses dias, lendo, relendo e pensando sobre o movimento feminista e a sua influência (visível e invisível) nas nossas vidas, fiquei pensando: Afinal, por que preciso do feminismo?
Como uma resposta exata para a pergunta, nossas amigas do Conselhos para Meninas souberam responder com muita propriedade. Elas levantaram várias questões motivam mulheres a defenderem este posicionamento. Assim, compartilhamos aqui um trecho do artigo “Porque preciso do feminismo”¹, do blog Conselhos para Meninas e desejamos que você fique atenta! Seja sincera e jamais se esqueça do perdão que Deus nos oferece.

Leia mais…

2º dia: Feminismo e Feminilidade

Continuando com a ideia do “quero que chegue logo dia sete”, vou recomendar pra você uma leitura incrível, que tem me ensinado muito sobre o movimento feminista e a abordagem bíblica dele. Maaaas, antes de continuar, não deixe de ler o nosso texto de ontem, pra que você entenda melhor o porquê desse tema no FéMenina.

Muito mais do que um spoiler do livro, desejamos que você conheça o testemunho da autora do livro, que ao longo desses anos, foi feminista, redimida e transformada.

Leia mais…

Feminilidade Radical – 1º dia: Feminismo e Feminilidade

Daqui há 24 dias, estaremos nós, lindas e formosas, participando do tão esperado 3º Congresso FéMenina… (Se você ainda não fez sua inscrição, corre que dá tempo!!). E, para dar um gostinho de “quero que chegue logo dia sete”, vamos falar um pouquinho de um dos assuntos que veremos em Santa Maria: Feminismo e Feminilidade.

“O que significa ser uma mulher e não um homem? Qual a importância da nossa habilidade de dar luz a filhos? Como devemos lidar com a nossa sexualidade? Devemos estruturar nossas carreiras da mesma forma que fazem os homens? Qual é o propósito de ser uma esposa? ” ¹.

Bom, provavelmente você tenha as respostas na sua mente… talvez não bem formuladas, mas alguma opinião sobre esses pontos você tem. A questão é: será que as nossas respostas estão baseadas na Palavra de Deus, a Bíblia, ou tem como referências músicas, textos populares, propagandas, conceitos, estilos de vida ou pessoas que nos cercam?

Leia mais…