A vida é feita de escolhas…

E “se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida” (Tg 1:5). Pois cada escolha traz suas consequências, quer sejam boas, ou más.

Aplicando o texto às finanças pessoais, vale lembrar que valores, no mercado, são o produto de cálculos que podem comprometer sua qualidade de vida quando se tornam prejudiciais.

Por exemplo: comprar à vista, com um pequeno desconto, ou a prazo com parcelas de valores “baixinhos e acessíveis”? Precisa calcular, sem dúvida. Tanto faz pagar à vista ou em 10 vezes, diz o anúncio da loja. Só que os juros estão embutidos! Pesquise e encontrará o mesmo produto bem mais barato.

Já reparou que, em muitas lojas e shoppings, há um som alto e agitado? Isso dificulta uma análise mais crítica das opções, o que interessa para quem quer vender.

Não vou perguntar quem já comprou coisas que nunca usou. Faz parte, mas dá para evitar. Dá para guardar um pouco, esperar para realizar um sonho e tomar o controle das suas finanças pessoais.

Veja algumas das dicas do Banco Central do Brasil, em sua “Cartilha da Cidadania Financeira”, no módulo I – Nossa relação com o dinheiro:

Ponha em prática

  • Eduque-se financeiramente. Não é porque lidamos com o dinheiro desde pequenos que não precisamos dedicar tempo a isso. É comum achar que sabemos mais sobre o uso do dinheiro do que realmente sabemos.
  • Sonhe. É importante para sua vida. Mas tão importante quanto sonhar é realizar. Transforme os sonhos em projetos: saiba aonde quer chegar, internalize a visão de futuro, dimensione metas claras e objetivas, estabeleça etapas intermediárias, não se esqueça de compartilhar e comemorar cada etapa conquistada.
  • Faça escolhas equilibradas. Razão e emoção fazem parte do nosso processo de escolha. Não seja excessivamente emocional, a fim de evitar as decisões impulsivas e momentâneas; tampouco seja demasiadamente racional a ponto de retirar o prazer de consumir.
  • Leve em consideração o fenômeno da troca intertemporal quando fizer suas escolhas, avaliando o que é mais vantajoso para você: pagar antes (poupar) para consumir depois ou consumir antes e pagar mais caro depois.
  • Necessidade é diferente de desejo. Saiba diferenciá-los. Tanto uma quanto o outro são importantes para nós. Confundir esses dois conceitos pode trazer sérios problemas financeiros.

Quer saber mais?  Acesse http://www.bcb.gov.br/pre/pef/port/caderno_cidadania_financeira.pdf

Colunistas-16

(Visited 253 times, 1 visits today)
Posted in Bolsa Blindada.

Gostou do post? Deixe seu comentário :)